No reencontro com o Arruda, Santa Cruz vence Ponte Preta e se aproxima do G-4
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Depois de 25 dias sem poder atuar dentro do Arruda, o Santa Cruz recebeu a Ponte Preta nesta terça-feira (3), no estádio José do Rego Maciel. O jogo, que foi válido pela décima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, teve o tricolor pernambucano como vencedor; a Cobra Coral fez 2 a 1 sobre a Macaca e chegou ao terceiro triunfo consecutivo na competição.

A vitória levou o Santa à sexta posição na tabela, com 16 pontos em jogos, somando sete empates e três vitórias. Lembrando que a Cobra Coral é a única ainda invicta. Já a Macaca estacionou na quinta colocação com os mesmos 16 pontos, tendo quatro vitórias, quatro empate e duas derrotas.

Agora, as equipes só voltam a campo no mês que vem, por causa da pausa para a Copa do Mundo que começa daqui a nove dias. Os pernambucanos enfrentarão o Vasco, no Rio de Janeiro, enquanto os paulistas terão pela frente a Portuguesa, em casa. Os dois jogos acontecem no dia 15 de julho.

Lar, doce lar

De volta ao sua casa, o Santa Cruz resolveu mostrar força já no início. A Ponte Preta também tentava levar perigo, mas não obtinha êxito. As defesas se mostravam conscientes e bem postadas, dificultando as ações ofensivas.

Os cinco primeiros minutos foram marcados pelo equilíbrio, até que Renatinho, aos sete minutos, abriu o placar para a equipe da casa com um lindo gol. Após boa troca de passes do time tricolor, o baixinho recebeu cruzamento da direita e finalizou de letra - inapelável para o goleiro Roberto.

Mesmo em desvantagem, a Macaca tentou não se abater e buscar o prejuízo, enquanto a Cobra Coral ganhou ainda mais o apoio de sua torcida apaixonada e se encheu de moral rumo à vitória.

Empurrado pelo torcedor, o Santa chegou outra vez com Danilo Pires, que bateu fraco da entrada da aérea e perdeu boa oportunidade. Pouco depois, aconteceu o inverso. Desta vez quem tentou foi Pingo, que pegou muito forte e a bola passou por cima, muito longe da meta campineira.

Percebendo as armas do adversário, a Ponte viu que precisava responder. Aos 20 minutos, Daniel Borges tabelou com Edno e saiu na cara do gol; Tiago Cardoso cresceu na frente do atacante e fez a defesa. No rebote, o mesmo Edno tentou empatar, mas chutou por cima do gol.

Em seguida, o time da casa foi frio e conseguiu administrar a vantagem, mas não parou de atacar. Tanto que, aos 32, fez o segundo. Léo Gamalho lançou Pingo, que driblou o goleiro adversário e empurrou para as redes, fazendo seu primeiro tento na Série B.

A equipe visitante ainda tentou esboçar uma reação nos últimos minutos da primeira etapa, mas não conseguiu. Já os anfitrões ainda tiveram chance de mais, mas, esbarraram nos seus próprios erros e foram para o vestiário em vantagem por 2 a 0.

Ponte marca no final, mas Santa garante a vitória 

Nos últimos 45 minutos, como era de esperar, a Ponte Preta tomou as iniciativas na tentativa de diminuir a vantagem do adversário. O time paulista até conseguiu chegar, mas pecava na hora das conclusões e, às vezes, esbarrava no goleiro Tiago Cardoso. Mesmo com menos posse de bola, o Santa se mostrava tranquilo dentro de campo.

Se a equipe visitante passou a levar perigo com as subidas de Jonathan Cafu, o Santa tratou de acertar sua defesa. Nas poucas oportunidades da Ponte, a zaga do tricolor pernambucano se manteve intacta.

As coisas pioraram para a Macaca quando o zagueiro César levou o segundo amarelo e foi expulso, deixando sua equipe com um a menos em campo. A expulsão fez o técnico Dado Cavalcanti promover duas mudanças no time: tirando Adrianinho e Alexandro para as entradas de Rodolfo e Luan.  

Os tricolores que não tinham nada com isso tentaram aproveitar a vantagem. Sérgio Guedes colocou Betinho, artilheiro do Santa na competição, na vaga de Carlos Alberto, deixando a equipe com três homens no ataque. Na última cartada, a Ponte tirou Edno e colocou o atacante Antônio Flávio.

Depois daí, o jogo ficou morno e truncado - com poucas chances reais de gol. Quem levava mais perigo eram os visitantes, que buscavam se recuperar da vantagem estabelecida no primeiro tempo pelos donos da casa. Já nos acréscimos, Juninho cruzou para Jonathan Cafu, que fez um belo gol para diminuir.

Mesmo assim, já era tarde demais. No minuto seguinte, o árbitro mineiro deu o último apito do jogo. O Santa Cruz levou a melhor e conquistou sua terceira vitória seguida no Brasileirão da Série B. 

VAVEL Logo