Luan diz que sonha em defender a seleção e revela que sua renovação já está sendo negociada
Zagueiro é um dos mais regulares na temporada (Foto: Marcelo Sadio/Vasco)

De uma simples promessa à uma grande realidade no Vasco, o zagueiro Luan, um dos mais regulares da temporada 2014 do Cruz-Maltino vive um momento especial em sua carreira. Buscando uma afirmação, o jovem jogador de apenas 21 anos passou pela grande tristeza de ter caído para a Série B 2014 pelo clube, mas, durante toda temporada vem mostrando um grande nível técnico.

Em tempos de Copa do Mundo, as atuações o coloca com uma das possíveis surpresas para o próximo Mundial, que ocorrerá na Rússia em 2018. Com os pés no chão, ele não nega a vontade de sentir na pele a experiência de defender a seleção, entretanto, não vive de ilusão.

''É um sonho de todo jogador, ainda mais com a Copa tão perto assim, no nosso país. Isso motiva cada vez mais a conseguirmos espaço, então que aconteça naturalmente, através do trabalho. Estou no Vasco, vivendo o momento, já fiz 30 jogos no ano e espero fazer mais. Coisas boas só acontecem com o desempenho do clube, e esse é o meu foco hoje,” disse o jogador.

Luan admitiu que o assunto sobre sua renovação já está sendo tratado, por meio de seu empresário e com a diretoria do clube carioca. O vínculo vai até junho de 2015, porém o camisa 4 prefere ficar de fora das negociações.
“Estão conversando, mas não sei de nada. Tenho uma relação aberta com eles e passei que não quero ficar com isso na cabeça. Se renovou, vai sair... Deixo para se passarem o desfecho, se vai surgir algo... O Rodrigo Caetano é um grande diretor, e meu empresário é também um amigo. Estou focado em jogar, num lugar onde me sinto feliz. Quero deixar as coisas acontecerem,” declarou o zagueiro.

O último Mundial em que a Seleção Brasileira teve um zagueiro de um clube nacional foi em 2002, onde Anderson Polga, justamente com Luiz Felipe Scolari, atual técnico da seleção. Porém, mesmo que exista uma forte tendência em ser lembrado com mais facilidade no exterior, o vascaíno crê que isso não seja uma regra e não definirá suas escolhas futuras.

“Nem penso em jogar no exterior, quero continuar bem minha carreira. Hoje, meu objetivo é dar títulos ao Vasco. O Neymar jogava no Brasil até pouco tempo estava no Brasil e teria sido convocado para a Copa se fosse do Santos. O segredo é mantes a regularidade. Estamos num país em que se nasce talentos com facilidade, então a disputa é difícil'', finalizou o camisa 4.       

VAVEL Logo