Fora da Seleção, comissão técnica soube de saída pelo site da CBF

Na noite desta segunda-feira (14), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou a saída da comissão técnica da Seleção Brasileira. O presidente José Maria Marin, através do site oficial da entidade, aprovou a demissão do grupo. O vexame diante da Alemanha e a derrota para a Holanda, em partida válida pela disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo, foram os principais motivos da queda.

Procurado pela reportagem do site ESPN, Carlos Alberto Parreira afirmou que não sabia da decisão tomada pelo dirigente e disse que ainda estava esperando saber qual seria seu futuro. "Estou esperando uma resposta da CBF sobre qual será meu futuro e de toda comissão técnica. Eles ainda não falaram comigo a respeito disso. Eu realmente não sabia dessa informação. Então, veja bem, a comissão técnica não treina mais a seleção, esse é o posicionamento da CBF, mas é novidade para mim, não estava sabendo disso até o momento", disse o coordenador técnico da equipe.

José Luiz Runco, médico da seleção, foi outro que não ficou sabendo da demissão: "Eu estou tranquilo. Não vivo a mesma situação que eles (o restante da comissão). Sou convocado, não tenho vínculo empregatício. Então, não me avisaram de nada. E não estou nem acompanhando isso. Estou aqui descansando. Estou muito tranquilo com o trabalho que fiz. E acho que cada um fez o que achava que tinha que fazer. Diante dos resultados, claro, cada um tem que explicar sua parte, não tem jeito. Eu não posso falar do trabalho dos outros", afirmou.

Luiz Felipe Scolari, agora ex-técnico da Seleção, segundo a acessoria de imprensa, também não foi avisado que deixaria o cargo. Além disso, Marin, em comunicado oficial, agradeceu o trabalho realizado pela comissão técnica, jogadores e também aos torcedores, pela demostração de carinho com o time durante todo o Mundial.

''O técnico Luiz Felipe Scolari, como havia antecipado na coletiva de sábado, e seus companheiros de comissão técnica entregaram seus cargos à diretoria da Confederação Brasileira de Futebol. O Scolari e toda a sua comissão técnica merecem o nosso respeito e agradecimento. Eles foram responsáveis por devolver ao povo brasileiro o seu amor pela Seleção, mesmo não tendo conseguido o nosso objetivo maior. Vimos nas ruas o povo vestido de verde-amarelo, exibindo a Bandeira Nacional com orgulho e mostrando sua paixão pela Seleção Brasileira como há muito tempo não acontecia. Claro que essa comissão técnica e esses jogadores contribuíram decisivamente para que esse sentimento voltasse. A todos eles, portanto, o nosso renovado agradecimento'', afirmou Marin.

Sendo assim, a cúpula brasileira começa a buscar um novo nome para ocupar o cargo de Felipão. Entre os nomes mais cogitados para assumir a vaga está Tite, que foi campeão da Libertadores e também do Mundial com o Corinthians, em 2012. Na próxima quinta-feira (17), Marin participará de uma entrevista coletiva na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

VAVEL Logo