Emerson Sheik volta a criticar diretoria alvinegra e dispara: "Ninguém mandou me contratar"

Após o empate diante do Cruzeiro em 1 a 1, no Maracanã, o atacante Emerson Sheik, sempre sincedo em suas declarações, voltou a polemizar. Desta vez, o camisa 7 alvinegro deu a entender que seu desabafo ao chamar a diretoria alvinegra de incompetente, pegou mal dentro do clube. Entretanto, não se mostrou arrependido.

"As pessoas me conhecem pela sinceridade. Eu não falto com a verdade, doa a quem doer. Dentro do meu trabalho... Pode falar palavrão? Não? Dentro do meu trabalho eu sou fogo. Eu me dedico, honro o salário, a camisa, sou habilitado a falar da maneira que quero quando não estou satisfeito com alguma coisa. Meu histórico está aí. Quem porventura se sentir ofendido joga a toalha e vai embora. Ninguém mandou me contratar. Falo o que acho mesmo, não gosto de perder, isso me irrita. Enquanto vir coisa errada vou falar, não vou me calar, principalmente quando encontro pessoas de bom coração que abraçam a causa.", disparou o atacante na saída do gramado.

Mas o atacante alvinegro não reclamou apenas, ele elogiou a postura da equipe e a torcida que compareceu para apoiar no momento difícil. Sheik valorizou o comprometimento tático de todo o grupo no empate contra o líder do Campeonato Brasileiro.

"Apoiou os atletas do início ao fim. A torcida do Botafogo, hoje, serve de exemplo para todas as outras torcidas do futebol brasileiro. Enfrentamos uma equipe de muita qualidade, que tem um meio de campo extremamente forte, uma defesa competitiva, com jogadores rápidos na bola rasteira, aérea... O resultado foi bacana porque o Botafogo não perde. Mais do que o resultado, a satisfação de ter hoje conseguido, não os 90 minutos porque é quase impossível, mas encaixar uma maneira de jogar. A formação tática foi bem executada por todos a pedido do Mancini. Quando a gente consegue individualmente, a parte coletiva aparece, e os resultados também."

Além disso, o camisa 7 exigiu que os mais experientes do elenco alvinegro devem chamar a responsabilidade na crise e dividir a pressão com o técnico Vagner Mancini.

''Alguns atletas têm que ter nesse momento, não é falta de humildade, é um momento difícil para o clube, para o futebol do Botafogo, para o torcedor, que tem paixão, é emotivo, age de maneira diferente. O grande momento agora é dos mais velhos, mais experientes, de chamar a responsabilidade. Responsabilidade essa que não quer dizer que vão vir vitórias, títulos, mas o compromisso de chamar os mais novos e assumir essa responsabilidade que não cabe só ao Mancini.''

Com o empate, o Botafogo foi a 13 pontos, na 13ª colocação. O Cruzeiro, com 29, ainda é o líder. O alvinegro agora terá a semana livre para trabalhar e volta a campo só no outro domingo (10), às 16h (de Brasília), quando enfrenta o Atlético-PR, na Arena da Baixada.

VAVEL Logo