Em meio a polêmica sobre ingressos, Andrés deixa administração da Arena Corinthians
Em carta, Andrés Sanchez rebate opositores e anuncia saída (Foto: Divulgação)

Uma das grandes discussões da torcida alvinegra, ainda durante a construção da Arena Corinthians, era o preço dos ingressos que o clube cobraria na nova casa. A polêmica aumentou já na inauguração oficial em maio, contra o Figueirense. Mas, desde o último sábado (2), a pressão se tornou insustentável para Andrés Sanchez, administrador do estádio e apontado como principal responsável pelo aumento dos preços. Nesta terça-feira (5), o ex-presidente anunciou seu desligamento da posição e marcou a data para a saída: 18 de agosto.

Com seis setores, a Arena Corinthians tem hoje ingressos com preços entre R$ 50 (com meia-entrada a R$ 25) e R$ 400 (meia-entrada custando R$ 200). Os setores mais baratos são o Sul e o Norte, enquanto o mais caro é o Oeste Vip. Torcedores associados ao programa Fiel Torcedor podem comprar antecipadamente e com descontos. 

Para os torcedores, os valores são abusivos e não refletem a origem popular do clube. No sábado, alguns integrantes da torcida foram ao Parque São Jorge para protestar. Faixas com frases como "Cadê o time do povo?" e "O estádio é do Andrés ou dos corinthianos?" foram estendidas no local.

Na manhã desta terça-feira (5), Andrés conversou com o jornalista Martín Fernandez, do blog Bastidores FC. Segundo ele, o aumento não foi alto e o programa de fidelidade do Corinthians garante ingressos com valores populares.

"O ingresso mais barato no Pacaembu custava R$ 40 e agora custa R$ 50. Não é uma diferença tão grande assim, e ainda tem os descontos do Fiel Torcedor. Acontece que no Pacaembu eram 22 mil lugares assim, entre arquibancada e tobogã. Agora na Arena são 16 mil. Mas o estádio é mais moderno, não tem como comparar o conforto do Pacaembu com o da Arena. O banheiro do setor mais barato é o mesmo do camarote", comentou o dirigente. 

Andrés afirmou ainda que o clube reduziria o preço do setor leste superior, onde cabem 9 mil torcedores. Neste local, o ingresso passaria de R$ 180 para R$ 150, valor que continua bem salgado e não atende as reinvindicações da torcida. Não há previsão de redução nos outros setores.

"O prédio Oeste, onde cabem 11 mil pessoas, não existia no Pacaembu. A partir do ano que vem, com o aluguel dos camarotes e das cadeiras VIP, não vamos mais vender ingressos. O estádio é do Corinthians. O dinheiro que está sendo cobrado é para pagar o estádio, que não sai de graça. Não temos que dividir nada com empresa nenhuma, como outros clubes fizeram. O estacionamento é nosso, a comida é nossa. O estádio é do Corinthians. O que eu posso fazer? Eu não estou explorando o torcedor. Duvido que alguém consiga me provar isso", completou.

Andrez Sanchez continuará como conselheiro vitalício do Corinthians, mas não terá envolvimento com as questões da Arena. Em nota divulgada para a imprensa, disse: "Vou continuar sendo o que sempre fui, um apaixonado pelo clube e torcedor fanático”.

Confira abaixo o comunicado na íntegra:

''Tomei uma decisão, para deixar muito claro às pessoas que em nenhum momento me senti dono, proprietário ou qualquer coisa desse sentido, do estádio do Corinthians. O que acho que consegui foi contribuir com outras pessoas para que esse sonho tão importante na vida do clube fosse concretizado.

Não posso aceitar que um grupo pequeno de pessoas de dentro do clube e torcedores pensem desse jeito, afinal de contas o que o Corinthians tem hoje é um dos estádios mais modernos do mundo. Seria hipocrisia não ter a responsabilidade de entender que essa é uma conta que todos nós temos a obrigação de pagar.

No começo ouvia indignado, que o Corinthians estava ganhando um estádio, e hoje todo mundo sabe que temos a responsabilidade de honrar com o pagamento. Desde o começo da construção, deixo o planejamento financeiro para pagar o estádio, conforme planejado com grupos de pessoas que querem o bem do clube.

Por isso, a partir do dia 18 de agosto, não terei mais nenhum envolvimento com o estádio, deixo a presidência do Fundo responsável pelo empreendimento e continuo sendo conselheiro vitalício e como ex-presidente, membro nato do CORI e vou continuar sendo o que sempre fui, um apaixonado pelo clube e torcedor fanático.

Desde que sai da presidência do clube, não opinei em nada relacionado às finanças do Corinthians.

A essas pessoas quero deixar claro, que eles estão contra um dos melhores projetos da história do Corinthians, que é o Fiel Torcedor que tem sido tão importante para demonstrar a paixão dos torcedores do clube. O Fiel Torcedor, além de render financeiramente, demonstra claramente para quem quer enxergar que o torcedor corintiano se envolve com tudo, para não só apoiá-lo, como contribuir financeiramente para manter o time num determinado momento, e posteriormente para ajudar muito na edificação do estádio.

Estou muito chateado, mas como quero deixar claro para as pessoas que não sou dono de nada no Corinthians, a não ser pela minha paixão pelo clube, a partir da semana que vem, vou fazer aquilo que sempre fiz, sentar na arquibancada e torcer muito pelo Corinthians.

Andrés Sanchez''

VAVEL Logo