Bragantino surpreende, vence no Morumbi e elimina o São Paulo da Copa do Brasil
Bragantino eliminou o São Paulo no Morumbi (Foto: Divulgação/São Paulo FC)

Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 1 fora de casa, o São Paulo estava praticamente classificado para as oitavas de final da Copa do Brasil. No entanto, o Bragantino surpreendeu, venceu por 3 a 1 e encerrou precocemente na noite desta quarta-feira (13) o sonho do título inédito do Tricolor. Em pleno Morumbi, o time de Muricy Ramalho decepcionou mais uma vez e está eliminado.

Frio, classificação encaminhada, horário pouco convidativo e até falta de luz. Não foram poucos os motivos que afugentaram o torcedor são-paulino do Morumbi para acompanhar a partida contra o Bragantino. A luz, que abandonou toda a região onde o estádio está localizado, só voltou a iluminar o Cícero Pompeu a 20 minutos do pontapé inicial.

Quando a bola rolou, o São Paulo tratou de transformar a difícil missão do Bragantino - vencer por dois gols de diferença - em quase impossível. O goleiro Renan falhou e Paulo Miranda abriu o marcador. O gol até animou o torcedor da equipe da Capital, mas quem passou a tomar conta do jogo foram os interioranos, que chegaram ao empate ainda no primeiro tempo e passaram a precisar de apenas um gol para levar a disputa para as penalidades máximas.

O Bragantino foi superior no primeiro tempo e poderia ter terminado o primeiro tempo em vantagem. Com um pouco de azar e uma dose de incompetência, não conseguiu. Na segunda etapa, o São Paulo parecia ter melhorado, mas logo voltou a mostrar as deficiêncas do primeiro tempo. Assim, em mais uma falha da zaga, o Massa Bruta virou o jogo e teve até chances de marcar o terceiro. Não conseguiu e o jogo foi para os pênaltis.

Essa foi a última fase eliminatória da Copa do Brasil antes da entrada dos seis representantes brasileiros na Copa Libertadores deste ano. Agora, o Bragantino aguarda o sorteio dos confrontos na próxima segunda-feira (18), na sede da CBF, para conhecer o seu adversário nas oitavas de final e também se poderá decidir a classificação em casa.

O Braga vai para o Pote B do sorteio, o que significa que poderá enfrentar qualquer um dos oito times do Pote A, os seis brasileiros da Libertadores - Cruzeiro, Atlético-MG, Flamengo, Cruzeiro, Botafogo e Atlético-PR - mais os dois melhores no Ranking da CBF dentre os 10 classificados após as três fases eliminatórias - Corinthians e Vasco.

Por outro lado, o alvinegro não poderá jogar contra nenhum dos seus companheiros de pote, dentre os quais já estão confirmados Coritiba, Ceará, Palmeiras e ABC, além dos vencedores dos confrontos desta quinta (14) entre Santos x Londrina (vitória paranaense por 2 a 1 na ida) e Santa Cruz x Santa Rita (alagoanos venceram por 3 a 2).

Já o São Paulo, por ser um dos oito melhores do Brasileirão de 2013 a não se classificarem para as oitavas de final, disputará a Copa Sul-Americana e também aguarda os últimos jogos da terceira fase para saber seu adversário. Se o Santos eliminar o Londrina, será o Bahia. Se os paranaenses vencerem, teremos um clássico entre o Tricolor e o Peixe. Campeão em 2012, o São Paulo caiu na semifinal na última edição.

São Paulo sai na frente, mas sofre o empate e é pressionado pelo Bragantino

Os poucos presentes no Estádio do Morumbi viram um início promissor do São Paulo. Depois de ter vencido por 2 a 1 no jogo de ida, em Ribeirão Preto, o Tricolor poderia até perder por 1 a 0, mas foi logo para o ataque e não demorou para chegar ao gol: aos sete minutos, após cobrança de escanteio, o goleiro Renan se atrapalhou todo ao sair do gol e Paulo Miranda cabeceou para abrir o placar.

Uma goleada parecia estar sendo desenhada. Dois minutos depois do primeiro gol, Paulo Henrique Ganso recebeu ótimo lançamento dentro da área e, sozinho, não se decidiu entre chutar forte contra a meta adversária ou entrar com bola e tudo. Resultado: acabou perdendendo o controle e cedendo tiro de meta para o Bragantino.

O Braga tentava marcar a saída de bola do adversário, mas esbarrava na boa troca de passes dos comandados de Muricy Ramalho. Aos 14 minutos, Alexandre Pato recebeu ótimo cruzamento e poderia cabecar para o gol, mas Ganso mais uma vez atrapalhou ao tentar uma bicicleta e tirar a bola do companheiro. Foi o último lampejo de bom futebol do São Paulo na primeira etapa.

A partir daí, a troca de passes não se mostrou mais tão eficiente e o Bragantino foi para o ataque. Foi chegando, chegando, até que, aos 23 minutos, Cesinha arriscou de fora da área e Rogério Ceni aceitou. Era o gol de empate do Massa Bruta que passava a depender de apenas mais um gol para levar a disputa para os penalidades.

O empate não serviu para acordar o São Paulo. Na verdade, o que aconteceu foi exatamente o contrário. O Bragantino foi quem se animou e partiu para cima em busca da virada. O clube interiorano criou boas jogadas, assustou e deu trabalho para o sistema defensivo são-paulino. 

Apostando bastante no jogo aéreo, o Massa Bruta esteve muito perto de passar à frente do placar aos 39 minutos, quando Gustavo Carbonieri cabeceou e Paulo Miranda tirou em cima da linha. Foi a chance mais clara do Braga após o gol de empate. O Triclor conseguiu se segurar e foi para o intervalo tentando se acertar pois a classificação, antes garantida, já estava ameaçada.

Na bola aérea, Bragantino surpreende e elimina o São Paulo

A entrada de Denilson no lugar de Maicon corrigiria, na cabeça do treinador Muricy Ramalho, os problemas do meio de campo e da saída de bola do time. E, nos primeiros minutos, parecia ter sido uma decisão acertada. O Tricolor diminuiu os espaços e conseguiu neutralizar um pouco o ímpeto dos interioranos.

Mas foi por pouco tempo. Logo aos quatro minutos, o Braga já chegava novamente com perigo quando Geandro cabeceou e tirou tinta da trave de Rogério Ceni. Aos seis, um escanteio venenoso quase complicou a vida do arqueiro Tricolor. A virada parecia questão de tempo.

Depois de muito cruzar, muito insistir, o Bragantino marcou o segundo aos 19 minutos. Após cobrança de escanteio, um desvio - talvez de Paulo Miranda, contra, talvez de Gustavo, para quem o gol foi creditado - tirou qualquer chance de Rogério. O Bragantino levava assim a disputa para os pênaltis.

Mas, no entanto, os comandados de PC Gusmão queriam mais e foram para o ataque. O São Paulo, cada vez mais assustado, não conseguia jogar e via o Bragantino crescer cada vez mais. Aos 26 minutos, em mais um escanteio, Sandro acertou a trave são-paulina. Quatro minutos depois, mais uma vez depois de escanteio, Rogério afastou o cruzamento e a bola sobrou para Guilherme Mattis fazer o gol da classificação.

A partir daí, com 15 minutos para buscar dois gols, o São Paulo partiu para o desespero. Sem qualquer competência ou inspiração, tentou se aproximar da meta de Renan, mas em vão. O Bragantino, tranquilo, segurou facilmente o desespero são-paulino e, sem sofrer qualquer susto mais sério, levou o jogo até o apito final, que sacramentou: o Braga está nas oitavas de final da Copa do Brasil.

VAVEL Logo