Eduardo Baptista vê equilíbrio do Sport com São Paulo e acredita em melhoras no segundo turno

O Sport finalizou o primeiro turno da Série A do Campeonato Brasileiro com 49,1% de aproveitamento, ou seja, conquistando 28 dos 57 pontos possíveis nos 19 jogos disputados. Com a derrota por 2 a 0 para o São Paulo, nesse domingo (7), o clube pernambucano amargou o oitavo revés e permaneceu na oitava colocação.

Apesar disso, o treinador Eduardo Baptista garantiu que a confiança na meta de levar o time ao grupo dos quatro primeiros colocados no campeonato ainda está viva, afinal espera não sofrer tanto com as lesões, esperando trazer mais um atacante para resolver o problema das finalizações, pregando uma melhora na postura dentro de campo.

“Eu vejo o Sport fechando bem o primeiro turno. O G-4 só é válido na 38ª (última) rodada. Vamos buscar. Fizemos 28 pontos. Dá para repetir isso e fazer muito mais. Sempre olhamos para frente”, assegurou o comandante.

”Não desmerecendo o grupo de hoje, mas essas lesões pesaram muito. A gente também não esconde que quer mais um atacante. Não dá para trazer só um nome. Queremos alguém que venha para resolver”, completou.

Considerando as falhas que vem influenciando no rendimento dos atletas e destacando os pontos fortes do tricolor na partida, o técnico rubro-negro observou um equilíbrio no segundo tempo da partida. Baptista acredita que a inoperância do setor ofensivo ocorre devido à ausência de um jogador veloz e com faro de gol.

“Jogamos de igual para igual com o São Paulo. Fico com essa personalidade. No primeiro tempo, o São Paulo teve uma atuação impecável no ataque. Ainda assim foram gols de dois contra-ataques. No segundo tempo adiantamos a marcação e conseguimos criar chances. Infelizmente não conseguimos mudar o placar. Precisamos de um nome para fazer gol e resolver nosso problema. Gosto de atacante rápido”, garantiu Eduardo.

Tentando minimizar o questionamento a respeito do tabu que o Leão tem em nunca ter tirado pontos dos paulistas como visitante, Eduardo reconheceu que a superioridade técnica dos adversários foi mais importante que a personalidade leonina, apesar de estar recheado de jovens.

“Os atletas que jogaram hoje (neste domingo) não jogaram os 15 jogos anteriores. Tivemos muita personalidade, mesmo com essa nossa juventude, mas o que fez a diferença foi a superioridade técnica”, concluiu Baptista.

O returno, para a equipe recifense, terá início já na próxima quarta-feira (10), quando irá receber o Santos na Arena Pernambuco, às 21h. O duelo diante dos santistas será o segundo dos seis a ser disputado no estádio que sediou a Copa do Mundo.

VAVEL Logo