Corinthians volta a tropeçar, fica no empate com a Chapecoense e pode sair do G-4
O garoto Malcom marcou o gol do Corinthians no empate com a Chapecoense (Foto: Divulgação/Corinthians)

Mais uma vez, um bom início. Mais uma vez, uma queda brusca de rendimento. Mais uma vez, o empate cedido. Mais uma vez, um empate em casa. O torcedor do Corinthians que esteve presente na Arena na noite desta quinta-feira (18) teve a sensação de ver um filme repetido no empate da equipe com a Chapecoense em 1 a 1, que pode tirar a equipe do G-4 do Campeonato Brasileiro.

Longe de fazer o campeonato dos sonhos, o Timão entrou em campo pressionado e tratou de buscar logo o primeiro gol, que durou menos de 10 minutos para sair. Apesar da rapidez para inaugurar o marcador, os donos da casa não tiveram vida fácil no primeiro tempo e encontraram uma forte marcação da Chapecoense, que não deu espaços para que o adversário criasse chances de ampliar o marcador.

O segundo tempo começou com um duro golpe para o time da casa, que sofreu o empate em um gol contra bizarro. A Chapecoense voltou melhor e continuou no ataque mesmo após ter empatado a partida. Quando o Corinthians voltou a tomar o controle da partida, a falta de criatividade e o nervosismo foram grandes empecilhos para que o timee saísse com a vitória. Vendo as melhores chances serem criadas pelo adversário, o Timão ainda pôde agradecer por ter saído da Arena com o empate.

Com o empate, o Corinthians foi para 37 pontos e continua em quarto lugar. A vantagem para o segundo colocado, o rival São Paulo, no entanto, caiu de seis para três pontos. Caso o Grêmio não vença o Santos no encerramento dessa rodada, o Timão vai abandonar a zona de classificação para a Libertadores, já que o Tricolor Gaúcho iria a 38 pontos.

Já a Chapecoense, apesar do bom empate fora de casa, ainda está proxima da zona de rebaixamento. A equipe catarinense agora aparece na 14ª colocação com 24 pontos, apenas três a mais que Botafogo e Palmeiras, primeiros times do grupo dos que seriam rebaixados no momento.

Ambas as equipes voltam a campo no domingo (21) pela 23ª rodada do Brasileirão. O Corinthians enfrenta justamente o rival São Paulo, na Arena Corinthians, às 16h. Às 18h30, a Chapecoense vai até o Rio Grande do Sul enfrentar o Grêmio em sua Arena, na cidade de Porto Alegre.

Corinthians abre o placar no início de primeiro tempo complicado

O início de jogo na Arena Corinthians foi animador para os torcedores alvinegros. Precisando da vitória, o Timão começou se impondo, trabalhando a bola em seu campo de ataque e procurando os espaços no sistema defensivo da Chapecoense, que é conhecido justamente por complicar a vida dos times grandes. Ganhando nova oportunidade no time, o garoto Malcom buscou desde o início participar da partida, voltando frequentemente até o meio-campo.

E foi justamente pelos pés de Malcom que o Timão abriu o placar. Aos nove minutos, o atacante recebeu a bola na meia-lua, não se intimidou com a marcação, pedalou, deixou o oponente para trás e bateu firme, no contrapé do arqueiro adversário, para balançar as redes dos catarinenses. Aos 17 anos, o jogador, destaque na última edição da Copa São Paulo, marcou seu primeiro gol pelo time profissional.

Quem esperava vida fácil para o Corinthians, no entanto, se enganou. É bem verdade que os catarinenses não criaram uma chance sequer nos primeiros 45 minutos, mas, do lado paulista, as coisas também não foram muito diferentes. A forte marcação da Chapecoense voltou a dar as caras e os donos da casa tiveram enorme dificuldade para criar. Jadson, escalado justamente para aumentar a criatividade da equipe, sumiu entre os marcadores rivais.

Se a Chapecoense só conseguia se aproximar da meta de Cássio no jogo aéreo, o Corinthians só conseguia chegar perto do segundo gol quando o adversário falhava na saída de bola. A exceção se deu aos 36 minutos, quando Guerrero recebeu bom cruzamento e ganhou dos marcadores. O camisa 9, no entanto, foi derrubado por Fabinho e não conseguiu finalizar, mas a arbitragem não enxergou o pênalti. Assim, o jogo foi para o intervalo com vantagem mínima para os corinthianos.

Chapecoense volta melhor, empata e Corinthians tropeça mais uma vez

Parecia ser só mais um dos muitos cruzamentos errados das Chapecoense na partida. Aos quatro minutos do segundo tempo, Ferrugem estava sozinho na grande área e parecia conseguir com facilidade afastar o perigo. Na prática, porém, o lateral, que ganhou uma chance com a suspensão automática de Fagner, se atrapalhou todo, testou em cima da própria canela e acabou jogando no cantinho de Cássio que, sem chances, só pôde observar o empate catrinense.

Não dá para dizer, entretanto, que o gol foi um ato isolado. Principalmente nos primeiros 15 minutos, a Chape foi bastante superior ao time local e, mesmo já tendo um excelente empate, continuou no ataque criando chances de gol. A falta de pontaria impediu a virada, mas fato é que, por um tempo considerável da etapa final, foram os catarinenses quem criaram as melhores chances e o Corinthians, surpreso, ficou escondido lá atrás.

Com o tempo, a pressão catarinense foi diminuindo e o time da casa foi recuperando terreno. No entanto, a atuação lembrava muito mais a de outros tropeços em casa do que aquela do início do jogo ou dos melhores momentos do time na temporada. Jadson saiu vaiado e Romero, que entrou no lugar de Luciano, mais uma vez não conseguiu colaborar. As poucas boas jogadas eram oriundas de chutões lá do campo de defesa e a Chapecoense mais uma vez se mostrava muito feliz dentro de sua proposta.

O Corinthians intensificou a pressão nos minutos finais. Os paulistas apertaram a saída de bola, adiantaram a marcação e até obtiveram sucesso, pois passaram a conseguir a posse de bola com maior facilidade. O problema é que o misto de mais uma noite pouco inspirada com a quase obrigação de fazer mais um gol provocou uma infinidade de erros do lado alvinegro. Passes, lançamentos, cruzamentos e finalizações desconcertadas dificultaram ainda mais a vida do Timão.

Para piorar, os espaços lá atrás começaram a aparecer e a Chapecoense perdeu duas chances incríveis de virar o placar. Na primeira, aos 32 minutos, Camilo saiu cara a cara com o goleiro e mandou para fora. Na mais incrível delas, aos 35, Fabinho chutou e Fábio Santos salvou em cima da linha. Quando o jogador já vinha no rebote para estufar as redes, Cássio, caído, se esticou para dar um tapa na bola para fora da área.

Para não dizer que o Corinthians não assustou, Guerrero perdeu uma boa oportunidade aos 37 minutos, quando, após uma cobrança de escanteio, chutou da entrada da pequena área para a defesa de Danilo. Daí para frente, o que se viu foi um Corinthians desesperado, errando ainda mais e chutando só mais uma vez a gol. Assim, não teve jeito: mais um empate, mais um tropeço e mais vaias por parte da torcida.

VAVEL Logo