Sérgio Guedes não resiste à pressão e deixa o comando do Santa Cruz
Sérgio Guedes deixa o clube com 43% de aproveitamento (Foto: Jamil Gomes/Santa Cruz)

O Santa Cruz está sem técnico. No início da tarde desta quinta-feira (18) a diretoria do clube Coral, através da assessoria de comunicação, anunciou a saída do técnico Sérgio Guedes, que acabou não resistindo à pressão por conta dos últimos resultados negativos e foi mais um treinador a ser demitido neste Campeonato Brasileiro da Série B.

Sérgio Guedes era bastante contestado pela torcida Coral e a cobrança pelo seu trabalho a frente do tricolor aumentou bastante após o time perder, de virada, dois jogos seguidos, contra Paraná e Luverdense, no sábado (13) e na terça-feira (16), respectivamente, pela Série B. Apesar disso, a diretoria do clube garantia a permanência do comandante e falava que ele estava ‘prestigiado’.

No entanto, os diretores do Santa Cruz se reuniram na manhã desta quinta-feira (18) e acabaram optando pela saída do técnico Sérgio Guedes, que deixa a equipe após quase cinco meses no comando Coral. No Tricolor do Arruda, Guedes esteve presente em 26 jogos, venceu nove, perdeu sete e acabou ficando por dez oportunidades no empate, somando um aproveitamento de 43% dos pontos disputados.

De acordo com o diretor de futebol do Santa Cruz, Constantino Júnior, as pessoas que fazem parte da direção Coral acabaram entrando em um consenso e, com isso, foi decidido que o treinador seria demitido da equipe. Constantino também falou sobre a conversa com o agora ex-treinador Sérgio Guedes.

"A conversa com Sérgio Guedes foi amigável, sincera, verdadeira. Ele ficou triste, abatido, mas entendeu a situação. Sérgio nunca temeu a pressão, sempre quis mostrar o seu trabalho. De uma forma coletiva, as pessoas que fazem a direção do Santa entraram num consenso que resultou no desligamento dele, mas deixando as portas abertas", comentou em entrevista coletiva no Arruda.

Os dirigentes do Santa Cruz, agora, vão atrás de um novo técnico para comandar o time na Série B do Campeonato Brasileiro. Enquanto o Tricolor não tiver um treinador, o auxiliar, que também já foi zagueiro Coral, Adriano Teixeira ficará no comando da equipe.

“Estamos fazendo uma analise cuidadosa. Já traçamos o perfil do treinador que queremos. Vamos em busca de um nome que abrace o nosso projeto. Não podemos errar nessa contratação. Vamos trabalhar para encontrar um nome ideal para dar continuidade no nosso projeto”, finalizou Constantino Júnior.

VAVEL Logo