Em jogo truncado, Chapecoense e Criciúma empatam em Chapecó

O duelo era entre dois catarinenses que lutam contra a zona do rebaixamento, Chapecoense e Criciúma se enfrentaram na noite deste sábado (27), na Arena Condá, em Chapecó, o jogo terminou empatado pelo placar de 1 a 1, Leandro abriu o placar para os donos da casa e Souza empatou para os visitantes.

O resultado não serve para ambas as equipes, que continuam na luta contra a degola. Com o empate, a Chapecoense foi a 28 pontos e continua na 14ª colocação. Já o Criciúma sobe uma posição ficando em 19º e deixando o Coritiba, que joga neste domingo (28), com a ultima colocação.

Na próxima rodada, a Chapecoense tem mais um confronto direto, dessa vez fora de casa, diante do Palmeiras, quinta-feira (02), às 19h30. O Criciúma volta para o Heriberto Hülse, onde enfrenta o Atlético-MG, sábado (04), às 21h.

Chapecoense marca em primeiro tempo truncado

O jogo entre as duas equipes iniciou bem truncado, com erros de passes e marcação forte dos dois times. A Chapecoense, por jogar em casa, tentava mais a chegada ao campo de ataque, tocava mais a bola e o Criciúma tentava sair no passe longo, o que facilitava a zaga do Verdão. Aos 12 minutos, a primeira chance aconteceu, mas Camilo finalizou longe do gol. A partida começava a ficar feia, o número de erros aumentava, principalmente pelo lado do Criciúma, e foi exatamente no erro do adversário que a Chapecoense conseguiu marcar, aos 23 minutos. Em cruzamento na área a zaga desviou e a bola sobrou para Leandro, dentro da área, que dominou no peito, sem marcação, e finalizou com perfeição, fazendo a alegria da torcida na Arena Condá. Depois do gol, o Criciúma acordou e logo foi ao ataque, Lucca bateu falta na lateral, Danilo saiu mal e viu a bola passar muito perto de sua meta. As chances começaram a aparecer para a equipe da casa, e o Criciúma era praticamente nulo na partida.

A Chapecoense poderia ter ampliado aos 31, Camilo partiu em posição legal, a zaga do Tigre parou pedindo impedimento e o meia saiu cara a cara com o Bruno, tentando encobrir o goleiro, mas a bola foi para fora, perdendo uma grande oportunidade para sua equipe. Se destacando na parte ofensiva do Verdão, Camilo mais uma vez chegou com perigo, Fabiano viu Camilo sozinho mais uma vez e cruzou na medida para o meia arriscar uma linda bicicleta passando por cima do gol de Bruno. 

O jogo era com muita marcação e dois atletas acabaram sendo expulsos, o atacante Zé Carlos, em uma dividida, acabou deixando o pé na cabeça de Bruno Silva. Seguindo o lance, Bruno Silva retrucou e também agrediu Zé Carlos, os jogadores receberam vermelho direto, deixando suas equipes com dez em campo aos 41 minutos. Ainda teve tempo para Camilo aparecer novamente, o meia dominou, entrou na área e bateu cruzado, a bola passou mais uma vez muito perto da meta do Criciúma.

Criciúma melhora e empata com Souza, que perde um no fim

O técnico da Chapecoense, Jorginho, voltou com a mesma equipe. O Criciúma voltou para o segundo tempo com duas mudanças, sinal de que o técnico Gilmar Dal Pozzo não gostou do que viu da sua equipe na primeira etapa: Rodrigo Silva deu lugar a Souza e Luís Filipe a Eduardo. 

As alterações surtiram efeito na equipe do Tigre, que voltou melhor, passou a tocar mais a bola e a procurar mais o campo de ataque e, logo aos oito minutos, o atacante, que entrou no segundo tempo, empatou a partida. Em cruzamento na área, Souza, de forma estranha, conseguiu cabecear para baixo e a bola enganou o goleiro Danilo, que foi pegar a bola no fundo das redes, o atacante, em oito minutos em campo, deixou tudo igual na Arena Condá. A Chapecoense, que tentava administrar a partida, teve que sair para o jogo, mas foi o Criciúma quem tomou as ações do jogo. Cléber Santana recebeu a bola, entrou na área, passou por três e bateu no canto de Danilo, a bola passou rente a trave direita do goleiro. 

Vendo as dificuldades que o time vinha tendo, o técnico Jorginho tirou o meia Zezinho e reforçou a marcação com o volante Wanderson e a Chapecoense tentou o ataque novamente e jogou o Criciúma para todo o campo de defesa. O adversário acabou cometendo diversas faltas e o Verdão não soube aproveitar. Só aos 41 minutos as equipes botaram mais emoção na partida, Rodrigo Biro jogou na área e Douglas Grolli cabeceou para fora. A Chapecoense chegou novamente com Bergson, que finalizou forte, de primeira, mandando para fora. O Criciúma não deixou barato, Cléber Santana recebeu e finalizou, a bola assustou passando perto da meta de Danilo. Aos 49, a torcida da Chapecoense se segurou enquanto a torcida do Tigre se lamentou. Souza teve a bola do jogo nos pés, o atacante foi lançado, tirou do goleiro, finalizou rasteiro, mas a bola bateu na trave e sobrou para o time da Chapecoense, não dando tempo para mais nada. 

VAVEL Logo