Luan: o Menino Maluquinho do Galo
Foto: Bruno Cantini/Atlético

Ele tem tudo o que um jogador do Atlético-MG precisa ter para jogar no clube e que o torcedor não dispensa em nenhum momento. Ele raçudo, bom de bola, joga para o time e tem um casamento fiel com os atleticanos que, desde o começo, elogiaram a contratação dele.

Estamos falando de Luan Madson Gedeão de Paiva, 24 anos e natural de São Miguel dos Campos-AL. Para o torcedor atleticano, ele é o Luanzinho Vida Louca, ou Menino Maluquinho, como daquele filme rodado em 1993 e inspirado na história de Ziraldo. Merecidamente, Luan é um dos destaques do Galo.

Chegada ao Galo: Sombra de Bernard

Luan chegou ao Atlético em dezembro de 2012 após passagem muito bem sucedida pela Ponte Preta. A Macaca havia comprado parte do passe do jogador junto ao Atlético Sorocaba meses após perceber no rapaz que ele diferenciado perante ao demais.

Com Rosinei, Luan foi apresentado no dia 07 de janeiro de 2013 (Foto: Bruno Cantini/Atlético)
Com Rosinei, Luan foi apresentado no dia 07 de janeiro de 2013 (Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Luan desembarcou na Cidade do Galo lesionado, mas só foi apresentado no mês de janeiro e muito o colocavam como uma sombra de Bernard, que estava em fase áurea e o grupo carecia de um atleta com características semelhantes para ser reserva do jogador. Rapidamente, o técnico Cuca percebeu que ele estava alí não para ser uma simples sombra, mas se desenhando para ser protagonista.

Sua estreia foi contra o São Paulo, na Copa Libertadores da América. Luan não só foi importante naquela jornada, como disputou 12 das 14 partidas disputadas pelo Atlético naquele torneio, tendo marcado dois gols, contra Arsenal de Sarandi e Tijuana.

No fim de 2013, Luan já era titular com a venda de Bernard para o Shakthar (UCR) e marcou o último gol da temporada alvinegra diante do Guangzhou Evergrande (CHI) no Mundial de Clubes dos Marrocos. 2014 era para ser um ano ainda melhor.

Auge na carreira: do inferno ao ceu, foram seis meses de luta

Logo no início da temporada de 2014, o Departamento Médico atleticano anunciou que Luan teve uma entorse no joelho direito, com ruptura do menisco lateral, associada a uma lesão na cartilagem do fêmur. Com tantos problemas, Luan ficou fora por seis meses, deixando de disputar o Campeonato Mineiro e a Copa Libertadores da América.

Seu retorno não poderia ser melhor. Aclamado pela torcida atleticana, Luan marcou o gol de empate contra o Bahia no Independência. No jogo seguinte, novamente o Menino Maluquinho foi decisivo e participou do lance do terceiro gol do Atlético diante do Lanús (ARG) no Mineirão, valendo pela Recopa Sul-Americana. Na súmula, o árbitro deu gol contra do zagueiro que participava da jogada. Mesmo assim, o jogador se tornava imprescindível e mostrava que seria ainda mais importante para o time.

O segundo semestre ainda prometia mais. Vitórias importantes colocaram o Atlético na disputa por uma vaga na Copa Libertadores da América de 2015 e pelo título brasileiro, mesmo que com chances remotas. Luan foi ainda preciso durante a Copa do Brasil.

Com Dátolo, Luan fez uma parceria que rendeu o título da Copa do Brasil em cima do Cruzeiro (Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Na campanha em que o Galo conquistou o Brasil por ser um time aguerrido e passar por cima até do impossível, Luan foi o grande nome da campanha ao marcar cinco gols naquela trajetória, sendo vice-artilheiro do torneio. Além da dar o título da Copa do Brasil para o Galo, o Menino Maluquinho, junto com os demais jogadores, entraram para a história mais uma vez.

Trajetória na carreira: Do interior paulista à Suíça

Luan teve uma ascensão muito rápida desde quando foi lançado aos profissionais pelo Atlético Sorocaba, em 2008. Jogando como volante, o jogador mostrou ter qualidades mais ofensivas ainda no primeiro ano profissional, sendo alocado a meia ofensivo. A resposta foi rápida e bem sucedida. Em 2008, foi campeão da Copa Paulista ao vencer o XV de Piracicaba na decisão.

Em 2011, foi vice-artilheiro do Campeonato Paulista da Série A2 com 12 gols, seguindo posteriormente para o Comercial de Ribeirão Preto. As atuações chamaram a atenção do futebol europeu e Luan se transferiu por empréstimo para o Basel, da Suíça. Lá foi campeão da Uhrencup.

Em 2011, Luan teve uma passagem rápida pelo Basel-SUI, mas logo retornou para o Brasil (Foto: Divulgação/Basel)

Retornando ao Atlético de Sorocaba, novamente foi vice-artilheiro do Paulistão Série A2 com 13 gols. Números suficientes para que a Ponte Preta o contratasse por empréstimo até o fim do Campeonato Brasileiro. Repetindo boas atuações, Luan teve seu passe comprado em 40%, porém, o Atlético abriu os olhos para o Menino Maluquinho e o levou de forma permanente.

Expectativa para 2015: Muitos gols e raça

Luan tem apenas 24 anos e muito para evoluir com seu futebol. Em uma equipe amplamente técnica, e que depende de jogadores de velocidade, o Menino Maluquinho cai como uma luva no esquema tático do técnico Levir Culpi, o que torna um jogador imprescindível para os planos do treinador para o bom andamento do time em campo.

Luan tem a cara do Galo e o Galo tem a cara do Luan (Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Com Luan, o lado direito atleticano é mais forte, em se tratando de seu companheiro de setor, o lateral Marcos Rocha. Ambos formam uma dupla perfeita ofensivamente e, defensivamente, Rocha tem em Luan um secretário fiel na recomposição no setor defensivo.

Mesmo atuando mais pela direita, Luan tem liberdade para trafegar pelos setores do campo, assim como os demais jogadores ofensivos, fazendo do Galo um verdadeiro "Carrossel Atléticano". Com gols e boas jogadas, Luan não tem mais nada para provar ao torcedor. Apenas mostrar que vida de Luan, é vida de Menino Maluquinho.

FICHA TÉCNICA

Nome: Luan Madson Gedeão de Paiva

Nascimento: 11 de agosto de 1990

Nacionalidade: São Miguel dos Campos, Alagoas, Brasil

Altura: 1,70m

Clubes por onde passou: Atlético Sorocaba (2008 a 2011 e 2012), Comercial (2011), Basel-SUI (2011 a 2012), Ponte Preta (2012) e Atlético desde 2013.

Títulos: Copa Paulista (2008), Uhrencup (2011), Campeonato Mineiro (2013), Copa Libertadores da América (2013), Recopa Sul-Americana (2014) e Copa do Brasil (2014).

VAVEL Logo