Rincón é novamente procurado pela polícia após suspeita de estar envolvido em tráfico de drogas

Um dos maiores volantes da história do futebol mundial, o colombiano Freddy Rincón está novamente na lista da Interpol como um dos procurados pela justiça do Panamá, na investigação sobre tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

A acusação vem após investigações e alegando compras de propriedades no exterior com ajuda do traficante Pablo Rayo Montaño, que já pertenceu ao cartel de Cali. No total, são 96 pessoas no processo, sendo 20 já absolvidas e outras 76, incluindo o ex-atleta, à espera de julgamento.

Sabendo da atual stituação, o ex-jogador declarou em redes de noticias colombianas, sua inocência e atacou a ordem de prisão: "Foi por isso que, inclusive, o Brasil arquivou o caso contra mim. A imprensa e as autoridades colombianas deveriam fazer o mesmo. É muito estranho que quando quero retomar minha vida e me empregar no futebol aparece esta ordem da Interpol".

Rincón ainda afirmou que a justiça brasileira está tratando o caso como seria tratado na sua terra natal: "O Brasil tratou o caso como deveria ter sido tratado na Colômbia. O Brasil pediu três vezes as provas ao Panamá a respeito disso. O Panamá nunca as apresentou, então o Brasil arquivou o caso".

Esta é a segunda vez que o colombiano entra na lista da polícia internacional. Em 2007, chegou a ser preso e foi solto após habeas corpus. Anos depois, em 2013, ele novamente teve mandado de prisão no Panamá, mas na época chegou a dizer que estava perto de ser arquivado.

Rincón teve passagem marcante pelo Corinthians, além de integrar o Palmeiras, da Parmalat, e passou discretamente por Santos e Cruzeiro. Na seleção colombiana, integrou a ótima geração que levou o país às copas de 1994 e 1998.

VAVEL Logo