Náutico confirma favoritismo e elimina Jacupiense na Copa do Brasil
Foto: Divulgação/FPF

Com o terceiro triunfo em três jogos pela Copa do Brasil, desta vez em cima do Jacupiense, o Náutico chegou à terceira fase da competição. Mesmo atuando fora de casa, o Timbu foi superior nesta quinta-feira (31) e venceu por 2 a 0. O atacante Josimar e o meia Patrick Vieira marcaram os gols da vitória.

O jogo foi marcado por dois tempos distintos. Na primeira etapa, muita apatia de ambas as equipes e poucas chances claras de gol. Já no segundo tempo, os pernambucanos conseguiram abrir o placar, ampliar, e garantir a classificação à fase subsequente.

Agora, o Timbu terá um grande confronto pela frente na competição nacional. O Flamengo, que bateu o Salgueiro no sertão pernambucano, será o adversário na 3ª fase. As datas dos confrontos ainda não estão definidos. Para o Leão da Sisal, resta apenas a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro.

Inerte, primeiro tempo tem poucas emoções 

O embate começou equilibrado, com os times brigando pela posse de bola. Patrick Vieira acusou ser cargueado com falta dentro da área, mas o árbitro mineiro mandou seguir o lance. Em seguida, Josimar teve a chance da finalização, mas adiantou demais a bola e o goleiro Pezão fez a defesa. Depois o atacante tentou o arremate de cabeça, mas errou o alvo.

Os donos da casa, do outro lado, tentavam ter a posse de bola no campo de ataque, mas esbarravam na marcação da equipe alvirrubra. Marinho arriscou da longa distância e mandou para fora, levando certo perigo. O Jacuipense conseguiu responder com o atacante Nadson, que não conseguiu acertar a barra de Júlio César.

Na sequência, os pernambucanos tentaram levar perigo. Porém, pecavam muito na criação de jogadas, errando muito passe. Thiago Lima aproveitou o rebote e chutou para o gol, mas o arqueiro Timbu fez defesa tranquila. Bruno Alves respondeu, também sem acertar o alvo. Com poços espaços no meio de campo, o jogo era marcado por jogadas laterais.

Se as chances claras eram escassas, o jeito foi aumentar o ritmo e a pagada. O treinador Lisca, já agitado, pedia um pouco de ímpeto de seus comandados. Entretanto, a primeira oportunidade real foi do Leão do Sisal. Dimas rolou para trás e Ananias bateu para o gol, mas pegou muito embaixo da bola e mandou por cima.

Melhor fisicamente, o Náutico buscava encontrar espaços e, ao mesmo tempo, impedir o adversário de contratacar. Após cobrar mão do jogador baiano, o técnico alvirrubro foi expulso do gramado por Cleison Pereira. Confusões a parte, a reclamação de Lisca realmente tinha fundamento.

Marino aproveitou o rebote e testou para o gol, forçando o goleiro Pezão a trabalhar. Depois daí, os times não conseguiram criar mais oportunidades, e o resultado não poderia ser outro além de um placar em branco na primeira etapa, mesmo com o árbitro dando três minutos de acréscimo.

Timbu acorda e volta para Pernambuco com a classificação 

Logo no início da etapa final, os visitantes tiveram a chance mais clara do jogo até então. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Diego testou com força e obrigou Pezão a fazer uma bela intervenção. No rebote, Josimar ainda tentou finalizar para o fundo das redes, mas a zaga leonina fez o corte.

O Jacuipense fez uma alteração no intervalo, mas era o Náutico que voltara do vestiário com uma postura diferente. Mais incisivo e agressivo, buscando efetivamente o gol adversário. O esforço surgiu efeito quando Marino fez grande jogada pela esquerda e cruzou para área. Josimar completou para o fundo das redes e abriu o placar na Arena Valfredão; 1 a 0.

Na sequência, os donos da casa acusaram o golpe, enquanto o Timbu tentou ampliar sua vantagem. Buscando responder, o técnico Clebson Araújo mexeu no time, colocando um atacante na vaga de um lateral. Mesmo assim, não adiantou muito dentro de campo e o pior aconteceu.

Renato fez boa jogada pela esquerda e rolou para trás. Patrick Vieira, de perna esquerda, completou para o fundo das redes para fazer 2 a 0, placar que dava a classificação ao excrete de Rosa e Silva. Foi o primeiro gol do meia na Copa do Brasil, mostrando a evolução da equipe Timbu.

Na sequência, o Leão da Sisal tentou reagir e a torcida empurrou o time, acreditando na chance de forçar o segundo jogo. Bruno Silva cobrou falta e forçou Júlio César a trabalhar. No rebote, Edcarlos ainda tentou o arremate, a bola passou perto mas saiu à direita da meta pernambucana.

Em contrataque do Timbu, o goleiro Pezão fez falta em Renato e recebeu cartão vermelho. O Jacuipense já havia feito as três substituições e Ananias teve que sair da linha e calçar as luvas. Mesmo com várias dificuldades, o Leão tentou reagir, mas via as chances se esvaindo a cada minuto que passava no relógio.

A equipe de Recife ainda tentou pressionar, buscando o terceiro gol. Mesmo com um goleiro improvisado, a defesa grená conseguiu se segurar, enquanto os alvirrubros abusavam de errar. No final das contas, não importou muito, e o Timbu conquistou sua 40ª vitória na história da competição nacional. 

VAVEL Logo