Santa Cruz bate Salgueiro e fica com título do Campeonato Pernambucano
Foto: Dilvulgação/FPF

Com a vitória por 1 a 0 neste domingo (3) diante do Salgueiro, no jogo final do Campeonato Pernambucano, o Santa Cruz se sagrou campeão estadual pela 28ª vez em sua história de glórias. O placar mínimo foi suficiente para fazer a festa da torcida coral, que esteve presente em mais de 40 mil pessoas no Arruda.

Após um primeiro tempo bem apagado, o herói do título acabou sendo o atacante Anderson Aquino, que marcou seu primeiro gol no estadual e deu a vitória aos comandados do técnico Ricardinho.

A valentia do Salgueiro não foi capaz de dar o primeiro título do Campeonato Pernambucano à uma equipe do interior. Eliminar o atual campeão em uma semifinal, a priori, não era suficiente. O Sertão esperava que um mundo em cores verde, vermelho e branco fizessem do Arruda o habitat natural do Carcará. Quis o destino que ainda fosse cedo. O sonho ficou para um futuro próximo.

Sem troféu, sem medalha, mas com muita honra. A final do estadual em 2015 mostrou para a metrópole o brio que o interior tem. Se ficou para depois, não precisa chorar. Sem demora, a chuva virá de novo para devolver a alegria ao povo sertanejo. Pela frente, ainda virão o Campeonato Brasileiro e a Copa do Nordeste no ano que vem. Ainda há tempo para sonhar.

Agora, os tricolores terão pela frente a disputa da série B, que já começa no próxima sábado (9). O primeiro compromisso da Cobra Coral será diante do Macaé, fora de casa, às 16h20, em jogo válido pela primeira rodada.

Inércia faz do primeiro tempo sem muitas emoções

Quando a bola rolou, logo no início, o ritmo quente de uma decisão já era visível em campo. Os primeiros minutos foram marcados por faltas de ambos os lados e pouco tempo de bola rolando. Após cobrança de escanteio, Luciano deu rebote e Bruninho teve a chance de fazer o primeiro, mas não acertou o alvo, na primeira chance clara do jogo.

Na sequência, os tricolores tentavam esboçar uma pressão, povoando o campo de defesa dos sertanejos. As principais oportunidades corais eram oriundas de bolas alçadas na área, enquanto o Carcará buscava espaços para se defender. Edson Sitta bateu de longa distância e mandou à esquerda da meta de Luciano.

Omisso, o time treinado por Sérgio China não conseguia criar chances reais de ataque. Do outro lado, o Santa Cruz não tinha medo de arrematar em gol. João Paulo tentou de longe e forçou Luciano a fazer a defesa. O fato é que a partida era carente de emoções, com a marcação sempre levando vantagem sob o ataque.

As chances ficavam por conta dos chutes de fora da Cobra Coral, que seguia com baixo aproveitamento. Em seguida, Betinho escorou o escanteio de João Paulo e conseguiu levar certo perigo. A grande chance veio quando Bruninho rolou para trás e Emerson Santos bateu consciente. O goleiro Luciano voltou a tempo de fazer a grande defesa.

No fim da primeira etapa, o Salgueiro ainda tentava sua primeira chance clara, mas Kanu não conseguiu pegar bem na bola e o árbitro marcou apenas tiro de meta. Foi a última incidência do primeiro tempo.

Anderson Aquino marca seu primeiro gol no Pernambucano e fez a festa da torcida

Na etapa final, os tricolores já começaram buscando o gol. Tiago Costa avançou pela esquerda e bateu cruzado, forçando Luciano a trabalhar logo cedo no primeiro tempo. Os sertanejos responderam em cobrança de falta de Rogério Paraíba, que pegou muito em baixo da bola e mandou por cima.

Betinho teve a oportunidade, mas acabou fazendo falta no goleiro Luciano e o árbitro impugnou a jogada. O técnico Ricardinho colocou Renatinho na vaga de Emerson Santos, na tentativa de ter mais ímpeto no ataque. Do outro lado, o Carcará tentou mostrar suas garras dentro de campo, mas não adiantou.

Anderson Aquino bateu muito bem de fora da área e venceu Luciano para fazer o primeiro gol do jogo. Festa total da torcida coral no Arruda. Depois daí, os donos da casa continuaram pressionando, buscando sacramentar a vitória e o título. Nininho bateu de perna direita e levou perigo, mas errou o alvo.

Na sequência, o jogo ficou morno e estudado. A Cobra Coral mostrava parcimônia, mas sem deixar de agredir o adversário. Do outro lado, o Salgueiro não encontrava forças para reagir. O treinador Sérgio China buscava utilizar os últimos cartuchos, mas via sua equipe bem despeça em campo.

No fim, o nervosismo pairou sob o gramado, de ambos os lados, com uma escasez de chances de gol. A esperança permaneceu para o Salgueiro, até os últimos minutos, mas a festa no final foi da torcida Coral, que comemorou o 28º título do Campeonato Pernambucano. 

VAVEL Logo