Seleção VAVEL do Campeonato Gaúcho 2015

O Campeonato Gaúcho de 2015 chegou ao fim no clássico Gre-Nal do estádio Beira-Rio. O Internacional venceu a partida por 2 a 1, com gols de Nilmar e Valdívia e sagrou-se pentacampeão do torneio estadual. A festa tomou conta da casa colorada, especial por ser a primeira taça erguida após a remodelação da mesma.

Fora do eixo da dupla Gre-Nal, o Brasil de Pelotas confirmou a melhor campanha e, com o 3º lugar no geral, saiu como campeão do interior na temporada. O tradicional Juventude ficou na 4ª colocação. Do outro lado da tabela, a surpresa: o Caxias, último campeão entre as agremiações interioranas, ao conquistar o título em 2000, encarou seu primeiro rebaixamento na história.

A equipe da VAVEL acompanhou todas as rodadas do certame gaúcho e escolhe a seleção do campeonato, além de o melhor técnico e o craque da competição. Relembramos também momentos marcantes das disputas.

Seleção do Gauchão 2015

Goleiro: Bruno Grassi (Cruzeiro)

Grassi mostrou a que veio no Campeonato Gaúcho. No primeiro embate contra o Internacional, defendeu o pênalti cobrado pelo estreante Anderson. Já na fase de quartas de final, novamente contra o Colorado, segurou o possível e o impossível para impedir a vitória vermelha no tempo normal. Assim, a queda do Cruzeiro-RS ocorreu apenas na decisão por penalidades máximas. Por suas grandes atuações pelo Cruzeiro na competição, garantiu contrato com o Grêmio para buscar espaço no segundo semestre.

Foto: Diego Guichard


Lateral-direito: Wender (Brasil de Pelotas)

Wender encarou a desconfiança do torcedor e surpreendeu na reta final do Gauchão. A glória maior foi ter feito o gol da classificação sobre o Lajeadense no jogo único das quartas de final, no estádio Aldo Dapuzzo. Quando o placar estava em 1 a 1, o lateral conseguiu colocar o Xavante novamente em vantagem, o que assegurou vaga nas semifinais. O lateral foi peça fundamental no esquema do técnico Rogério Zimmermann.

Foto: Divulgação Brasil de Pelotas


Zagueiro: Pereira (Juventude)

Pereirão foi um dos pilares responsáveis pela solidez da defesa do Juventude. Zagueiro de porte físico e imposição sobre os adversários, guardou posição pela zaga do esmeraldino de Caxias do Sul, que ainda contou com as presenças de Diogo e Heverton. Em atuações firmes, ajudou o clube da serra a sair da parte de baixo e fazer uma das melhores campanhas da fase inicial, caindo somente para o Grêmio, na semifinal.

Foto: Arthur Dallegrave / Juventude


Zagueiro: Rhodolfo (Grêmio)

Capitão da equipe gremista, Rhodolfo veio de uma temporada muito boa em 2014 e manteve a elevada performance. Absoluto na zaga, teve primeiramente a companhia de Erazo e depois de Pedro Geromel, recuperado de lesão, na metade final do torneio. A sequência invicta do Grêmio de fevereiro até a final do certame passou pela segurança de Rhodolfo na grande área.


Lateral-esquerdo: Marcelo Oliveira (Grêmio)

A escassez de laterais também paira no Rio Grande do Sul. A disputa pelo merecimento da escalação na seleção ficou entre Marcelo Oliveira, do Grêmio, e Rafael Forster, do Brasil de Pelotas. Marcelo, originalmente volante, tomou conta do lado esquerdo do Grêmio e não saiu mais. Já Forster, jogador de boa qualidade e interessante na bola parada, decaiu na reta final do campeonato e ficaria na condição de reserva.

Foto: Lucas Uebel / Grêmio


Volante: Rodrigo Dourado (Internacional)

Da base colorada, importante a presença de Rodrigo Dourado no meio campo do Inter para conquistar o Gauchão. O jovem de 20 anos já havia sido destaque nas categorias anteriores, como na conquista da Copa do Brasil sub-20. Desarme e naturalidade para atuar são os pontos fortes do volante gaúcho.


Volante: Leandro Leite (Brasil de Pelotas)

Impressionante o sucesso da dupla de volantes do Brasil de Pelotas, Leandro Leite e Washington. Com um entrosamento muito grande adquirido nos últimos anos, o Xavante conseguiu sucesso para conter ataques adversários em mais um Gauchão. Capitão, Leite honrou a braçadeira em mais um campeonato estadual em que sai com o simbólico título do interior.

Foto: Diário da Manhã Pelotas


Meia: Valdívia (Internacional)

Revezando presença entre o time titular e o reserva de Diego Aguirre, Valdívia chegou à condição de artilheiro do Inter na temporada até aqui, com 8 gols, 6 no estadual. Com atuação brilhante no jogo decisivo da final, participou da jogada do primeiro gol colorado e converteu a segunda bola na rede na vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio. Sonhando alto, o meia almeja a seleção brasileira.

Foto: Alexandre Lops / Internacional


Meia: Paulo Baier (Ypiranga de Erechim)

Se o Valdívia tem a velocidade como uma das especialidades em campo, é justo ter um senhor mais veterano na seleção do Campeonato Gaúcho. Paulo Baier, aos 40 anos, gastou a bola na fase de classificação pelo Ypiranga. O meia conseguiu 6 gols na competição, terminando como 2º colocado na briga pela artilharia. Para a sequência do ano, após passagem por grandes clubes na carreira, ele vai para o Juventude, na disputa da série C nacional.


Atacante: Eduardo Sasha (Internacional)

Como segundo atacante no time do Inter, Sasha balançou as redes somente três vezes no campeonato, mas foi muito importante na caminhada da equipe de Diego Aguirre. Jovem proveniente da base colorada, é um jogador que batalha muito com os zagueiros e com boa consciência tática.


Atacante: Michel (Passo Fundo)

Michel foi um dos destaques do torneio, marcando 11 gols, quase o dobro de Paulo Baier, Nena (Brasil) e Ramon (Lajeadense), que fizeram 6. Artilheiro absoluto, é atacante com cadeira cativa na seleção do Campeonato Gaúcho.

Foto: Alex Borgmann


Técnico: Rogério Zimmermann (Brasil de Pelotas)

Com o grupo na mão, o técnico do rubro-negro pelotense tem direito a um bicampeonato do interior. Em 2014 e 2015, o Xavante só parou na dupla Gre-Nal na fase semifinal do torneio, sagrando-se o melhor do interior. Com um time firme no encaixe e na marcação, Zimmermann se credencia como o melhor treinador do torneio.

Foto: Ítalo Santos / Brasil de Pelotas


Melhor jogador do Campeonato: Valdívia (Internacional)

Valdívia foi dúvida em grande parte dos jogos. Um pé no time titular, um pé no reserva. O poder de decisão dele pesa na decisão do melhor do campeonato. No jogo de ida da semifinal contra o Brasil de Pelotas, cruzou a bola para o gol de Rafael Moura. Na volta, marcou o segundo gol da vitória por 3 a 1 sobre o Xavante. Na final, entrou no segundo tempo do jogo na Arena e criou as duas melhores chances de gol do Inter no 0 a 0. Na partida crucial, assistência e gol para coroar o título e coroá-lo como o melhor jogador do Gauchão. Valdívia, sensação dos gramados gaudérios em 2015.

Com as escolhas feitas dos melhores em cada posição, a seleção VAVEL do Campeonato Gaúcho 2015 fica assim: Bruno Grassi; Wender, Pereira, Rhodolfo e Marcelo Oliveira; Leandro Leite, Rodrigo Dourado, Valdívia e Paulo Baier; Sasha e Michel. Técnico: Rogério Zimmermann. Faltou alguém no selecionado? Acredita que algum jogador do seu time deveria estar entre os 11? Comente abaixo.

Momentos do Gauchão 2015:

Gol mais bonito: Jô (Internacional 4x4 São José)

Dos gols do Campeonato Gaúcho, Jô, atacante do São José, levou a premiação. Em cruzamento da direita, aplicou uma bela bicicleta para vencer o goleiro colorado Alisson em um incrível empate de 4 a 4, no Beira-Rio, pela fase de classificação.


Lance mais marcante: Fellipe Bastos entrega o segundo gol do Gre-Nal da final (Internacional 2x1 Grêmio)

Poucos erros simplórios foram tão marcantes na centenária história do clássico Gre-Nal quanto o que vamos rever. Quando o Inter vencia por 1 a 0, Fellipe Bastos tinha a posse no meio campo e entregou um passe curto para trás, dando início ao contra-ataque vermelho, que terminou com Valdívia ampliando para 2 a 0. Confira o erro difícil de esquecer do volante gremista.


Lance mais polêmico: Pênaltis marcados para o Inter contra o Cruzeiro (Internacional 2x2 Cruzeiro)

Até hoje, ao rever os lances desenhados na fase de quartas de final, as opiniões divergem. Foi pênalti? Não foi? O zagueiro Laerte poderia ter evitado o contato de seu braço com a bola? Um chute à queima-roupa, da distância em que a bola parte, caracteriza uma ação faltosa do defensor em impedir a passagem da bola? Ele foi corretamente expulso após os lances? São questões para um amplo debate. Veja novamente os lances que foram fundamentais para a classificação colorada no campeonato.

Parabéns, Inter! Campeão Gaúcho de 2015!

Obrigado a todos que acompanharam a edição 2015 do Gauchão com a VAVEL. Parabéns novamente ao torcedor do Internacional, pela conquista de mais um Campeonato Gaúcho!

VAVEL Logo