ASA arranca empate do Vitória em Salvador e reedita duelo de 2002 com Palmeiras pela Copa do Brasil
(Foto: Divulgação/ASA)

A fase ruim do Leão da Barra não tem um fim em Salvador. Na noite desta terça-feira (19), o Vitória empatou com o ASA em 2 a 2 e está eliminado da Copa do Brasil. O alvinegro arapiraquense, que não tem nada a ver com isso, aproveitou as jogadas de bola parada, além de contar com a chuva e com a melhor organização tática para garantir a vaga na próxima fase da competição, considerada a mais democrática do país.

Escudero marcou os dois tentos rubro-negros, enquanto Rayro e Didira assinalaram os gols que garantiram a classificação àequipe alagoana. Na terceira fase, o adversário do ASA será o Palmeiras. O primeiro confronto será realizado na próxima semana, às 22h da quarta-feira (27), no Allianz Parque, em São Paulo.

Os dois times voltam a entrar em campo no fim de semana. Na sexta-feira (22), o Vitória enfrenta o Bragantino pela Série B, no Barradão, às 19h30. Por sua vez, o ASA enfrenta o Botafogo-PB às 16h do domingo (24), no Estádio Municipal Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.

Primeiro tempo equilibrado e sem gols

O ASA começou a partida no ataque. No entanto, o Vitória fez prevalecer o mando de campo para buscar as melhores oportunidades em campo para sair na frente do marcador. A primeira oportunidade veio com os visitantes, logo no primeiro minuto. Jorginho arriscou de longe e a bola saiu. Os donos da casa responderam em seguida. Élton recebeu na área, matou a bola no peito, mas foi cercado por três defensores. Ainda assim, a defesa alagoana falhou e por pouco não ocorreu o pior.

Aos 13 minutos, Uéderson deu ótimo drible entre as pernas do adversário, mas não manteve o equilíbrio e desperdiçou a oportunidade de continuar a jogada em favor dos alvinegros. Dez minutos depois, o Vitória voltou a ameaçar a meta arapiraquense, quando Gabriel deu um chapéu no jogador do ASA ainda no meio de campo, seguiu, mas perdeu a bola. Os visitantes arriscaram com Valdanes, que chutou de longe para a linha de fundo.

Aos 33 minutos, o lance mais polêmico da primeira etapa. Escudero lançou a bola na área, a defesa do ASA se atrapalhou e a pelota ficou com Diego Renan. O lateral tirou a defesa da jogada e mandou para o gol, mas Didira evitou o gol com o braço debaixo da linha. No entanto, a arbitragem não marcou a penalidade. Aos 35, Gabriel passou pela marcação, desceu em velocidade pela direita e bateu para fora. Aos 43, Marcos Antônio respondeu com um forte chute. A bola desviou na defesa do Vitória e foi para escanteio.

Sob muita chuva, ASA aproveita bola parada para se classificar

Na primeira jogada de ataque da etapa complementar, Vander entrou na área e foi derrubado por Lucas Bahia. Desta vez, o árbitro assinalou penalidade máxima. Na cobrança, Escudero bateu com categoria e deslocou o goleiro Pedro Henrique para abrir o marcador.

O jogo ficou mais aberto. Com um gol, o ASA voltaria a brigar com mais intensidade pela vaga. E isso não demorou a acontecer. Após Valdanes chutar para a boa defesa do goleiro Fernando Miguel aos cinco minutos, Rayro mandou a bola para as redes. Em cobrança de falta ensaiada, Didira deu um toque curto, Marco Antônio passou pela bola e Rayro encheu o pé. A pelota desviou no zagueiro Ednei e tirou Fernando Miguel da jogada.

A partida ficou aberta, com as duas equipes na vontade de marcar um gol, principalmente o ASA. No entanto, a chuva interferiu bastante no desempenho técnico da equipe, e foi fundamental para a construção do placar. Aos 19 minutos, depois de bate-rebate, a bola ficou parada na área. Valdanes chegou mais rápido que Diego Renan e foi derrubado pelo lateral rubro-negro. Na cobrança, Didira mandou no canto. O goleiro Fernando Miguel foi na bola, mas não efetuou a defesa e o ASA conseguiu a virada.

O fator psicológico favoreceu o ASA. Com a vantagem de ter marcado dois gols fora de casa, o time só estaria eliminado se sofresse a virada. O Vitória, absolutamente combalido e criticado ferozmente pela pequena torcida presente no Barradão, ficou abalado e não conseguiu desenvolver boas jogadas. Por outro lado, o time de Arapiraca mostrava tranquilidade, tocava bem a bola, e teve oportunidade de ampliar a sua vantagem aos 26 minutos, mas Uéderson não conseguiu concluir a jogada.

O Vitória tentava pressionar, mas errava muitos passes. As modificações do técnico Claudinei Oliveira não surtiram o efeito esperado. Pelo contrário, piorou o desempenho da equipe, já considerado ruim. Além disso, a forte marcação do ASA após conseguir boa vantagem impedia que o time baiano chegasse ao ataque por meio de jogadas trabalhadas.

O Leão da Barra ainda teve uma esperança aos 42 minutos, quando Rhayner driblou o goleiro e caiu na área. A arbitragem assinalou mais uma penalidade máxima. Na cobrança, Escudero marcou mais um gol e empatou o jogo. Mas a sequência da pressão não resultou em mais tentos assinalados, e o ASA garantiu a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil.

VAVEL Logo