Presidente corinthiano confirma saída de Sheik e fica pessimista com Paolo Guerrero
(Foto: Reprocução/ Agência Estado)

O começo da tarde desta sexta-feira esteve quente, no CT Joaquim Grava. Após Tite, foi a vez de Roberto de Andrade, presidente do clube, dar uma coletiva e revelar saídas, futuros e planejamentos para a equipe corinthiana.

Com grave crise financeira, Andrade falou sobre o uso de jogadores da base, contratações e contenção de gastos.

"Queremos o melhor jogador do mundo gastando menos possível. Não só o Corinthians está pensando de forma diferente. Os atletas sabem também que o mercado mudou. A Europa passa por dificuldades também. Qualquer jogador valia dez milhões de euros. Hoje, não tem ofertas nem parecidas com essas. Se o atleta não sabe disso, vamos avisá-lo quando chegar aqui. Prefiro fazer uma realidade mais honesta comigo e com quem vem trabalhar."

Pensando nessa renovação de ideias e buscando menor gastos, o comandante da equipe alvinegra definiu a saída de Emerson Sheik. Ele agradeceu, falou sobre a história dele no clube e que foi importante para o Corinthians.

"Em relação ao Sheik, nós da diretoria, comissão, conversamos com o atleta e achamos por bem não renovar. O contrato acaba em julho e ele vai seguir a vida dele. O Corinthians agradece muito o que ele fez. Enquanto foi atleta do Corinthians sempre fez o melhor e resolveu grandes jogos que entraram para a história do Corinthians, como a final da Libertadores. É muito pouco falar que ele fez dois gols na final da Libertadores. Eu só tenho a agradecer."

Outro titular e principal atacante do país, Paolo Guerrero foi outro que novamente teve pauta na entrevista. Em um tom de voz emotivo, Roberto praticamente deu adeus ao peruano.

"Estamos conversando com o Bruno (Paiva, empresário). Aviso que está muito difícil chegar a um consenso. Não é por falta de vontade do empresário, do Corinthians e do atleta. Se não acontecer, que é o mais provável, porque o Corinthians não tem condição de fazer o que ele está pedindo, é um lado comercial que todos temos. O que eu tenho muito claro na minha mente é que o Corinthians não fará loucura ou irresponsabilidade. É muito simples aceitar a proposta do Guerrero. Enquanto nós não arrumarmos as finanças, não tenho como assumir. Eu poderia fazer a renovação e no dia de pagar não vai ter. Enquanto eu estiver aqui, vou lutar com as minhas forças para que isso não aconteça. O Corinthians não deve salário a ninguém, nem ao mais simples funcionário. O que tem são luvas divididas e premiações. Estamos correndo para saldar. Vamos sentir a falta dele."

Sabendo da repercussão, o presidente corinthiano fez um pedido de calma à Fiel, prometendo dias melhores no futuro e que essa fase passará.

"Não vai existir o Corinthians amanhã se não cuidarmos do hoje. O amanhã chega muito rápido. Em algum momento isso teria que acontecer. Se chegou na minha vez de consertar o clube, o meu compromisso é com o Corinthians e não com jogadores. Fiz uma promessa a mim mesmo que temos que consertar o Corinthians. Isso passa por algumas cicatrizes. Peço o apoio do torcedor, frequentando estádio, virando sócio-torcedor. Isso põe o clube em uma situação melhor. A maior dificuldade é 2015. A partir de 2016 vamos ter uma vida um pouco melhor e em 2017 melhor ainda. Mas temos de fazer alguns ajustes e vamos fazer."

A fase é tão conturbada que até o diretor de futebol, Sérgio Janinkian, foi demitido. O dirigente ficou marcado após entrevista agradecendo à Deus pelo confronto ante o Guarani. A declaração foi vista como soberba e hoje, foi confirmada a sua saída. Fernando Alba surge como provável substituto.

"Quero dizer que tive uma conversa pela manhã com o Sergio Janikian, diretor de futebol. Pelos últimos acontecimentos, ele não está à vontade no cargo e pediu para sair. Ele é uma pessoa do bem, fico sentido. Ele não quer trazer transtornos ao grupo, para o futebol. Enfim, o Sergio não é mais diretor de futebol do Corinthians a partir de agora. Ainda não deu tempo de pensar em outro nome. Ele está incomodado com outras coisas e precisamos respeitar a decisão dele. Ele não quer atrapalhar nada. A partir de agora, vamos pensar em um outro nome."

O Timão passará por fortes mudanças. O futuro será escrito, também, dentro de campo. E neste domingo, tem o começo do fim do ciclo de Guerrero com a camisa alvinegra. Contra o Fluminense, no Maracanã, Paolo e cia. entrarão em campo pela terceira rodada do Brasileirão.

VAVEL Logo