Marcelo Oliveira comemora vitória, mas salienta: "É uma vantagem importante, mas não definitiva”

Após a vitória do Cruzeiro na noite desta quinta-feira (21), no Monumental de Nuñez, sobre o River Plate, por 1 a 0, pela partida de ida das quartas de final da Copa Libertadores da América, o técnico celeste Marcelo Oliveira, comemorou bastante o resultado, ressaltando que o reforço na marcação para este jogo, foi fundamental para sair da Argentina com o resultado positivo. Porém, o treinador manteve a cautela, chamando a atenção para a partida de volta, que acontecerá na quarta-feira (27), no Mineirão, às 22h, dizendo que ainda não há nada decidido, apesar da vitória em Buenos Aires.

“Achei que foi um belo jogo do Cruzeiro, consistente e equilibrado. Competimos muito e estudamos bastante o adversário. A marcação foi mais adiantada para não dar tanto espaço. Não houve situações claras do adversário. O Cruzeiro precisava encaixar um contra-ataque. Uma bela vitória que nos fortalece muito. É uma vantagem importante, mas não definitiva”, afirmou Marcelo.

O comandante da Raposa avaliou a atuação da sua equipe dentro de campo, como a segunda melhor na temporada, ficando atrás apenas da vitória contra o São Paulo, pelas oitavas da competição-sul americana. O técnico aposta que com essa vitória fora de casa, a equipe terá uma sequência boa de partidas com triunfos.

"Talvez tenhamos feito a nossa segunda melhor atuação na temporada, porque também jogamos muito bem contra o São Paulo. Uma vitória como essa, diante do River, que é uma grande equipe, nos fortalece muito e une ainda mais o grupo. Esperamos que isso seja uma arrancada para jogos tão bons ou melhores do que este”, ressaltou o treinador.

Marcelo Oliveira ainda explicou a alteração promovida durante o segundo tempo, tirando o atacante Willian, que era um dos melhores jogadores da Raposa em campo, e colocando o volante Charles. A substituição causou espanto por parte da torcida, mas segundo o treindor, foi preciso fazer a mudança, por causa da postura ofensiva do River, ao ter dois meias rápidos em campo.

“O Charles foi porque o River havia colocado dois meias, mais rápidos. Achei por bem fortalecer o meio-campo. O Charles tem treinado bem. Ele é experiente também. Depois da entrada dele, por incrível que pareça, a gente atacou mais. Quando você leva um gol, falam que você colocou outro volante”, explicou o comandante.

VAVEL Logo