Ídolo no Náutico, Kuki comenta motivação alvirrubra na briga pelo retorno à Série A
Atual auxiliar técnico do Timbu, Kuki é também o atleta que mais vestiu a camisa alvirrubra (Fotomontagem: Rodrigo Rodrigues/VAVEL Brasil)

Três títulos do Campeonato Pernambucano, 184 gols e muita história na bagagem. Quem carrega isso consigo é Silvio Luiz Borba da Silva, ou simplesmente, Kuki. Ídolo no Náutico, terceiro maior artilheiro e o atleta que mais atuou na história do clube, com 386 apresentações, o ex-atacante atualmente é auxiliar técnico da equipe. Função, essa, que ocupa desde 2010, após anunciar aposentadoria dos gramados, onde dedicou 14 dos 21 anos como profissional ao escrete vermelho e branco.

Enquanto jogador, conquistou também um acesso à Série A, em 2006. Em entrevista exclusiva à VAVEL Brasil, o goleador alvirrubro falou sobre a motivação dada ao elenco do Timbu na briga pelo retorno à elite do futebol nacional, comparando a situação atual da equipe com a que vivenciou na última vez que chegou à divisão máxima.

"A motivação independe da geração, pois o objetivo é o mesmo, que é o acesso, o qual traçamos desde o início do campeonato. A conquista foi mirada pelos atletas e, chegando no fim, o nível de concentração tem que aumentar, pois não se pode mais errar. Errando, todo os planos vão por água abaixo", garantiu o ex-camisa 11 do esquadrão da Rosa e Silva.

Kuki contou que situação vivenciada em 2006 é diferente da atual (Foto: Juana Carvalho/VAVEL Brasil)

"Não dá para comparar com 2006, pois são situações diferentes. Às vezes, as coisas não acontecem conforme planejado, mas não adianta se acomodar. O presente está aí e os jogadores sabem da importância de conquistar vitórias e fazer bem os resultados, pois o futuro está logo à frente e não se pode fracassar", completou.

Confira a entrevista na íntegra com o principal símbolo do Timba na última década.

INFLUÊNCIA DE TREINADOR

Não é influência, sim a cultura do futebol, assim como em 2006. À época, o elenco sentiu uma comoção maior pela troca no comando, mas a confiança seguiu forte por conta da filosofia ter permanecido. Agora não foi diferente, já que muitos atletas conhecem o trabalho do Gilmar (Dal Pozzo) e isso o ajudou a ter bom relacionamento, além de manter seu estilo de jogo

DICAS AOS ATLETAS

Gosto sempre de orientar os atletas, pois a situação dentro de campo é muito rápida. A gente até dá dicas, mas a execução é toda deles, assim como o mérito. Os mais jovens, contudo, são melhor orientados. Por terem pouca instrução, procuramos sempre evitar que o empresário estrague a carreira, deixando o extracampo em segundo plano

Terceiro maior artilheiro da história à torcida para acreditar no acesso (Foto: Juana Carvalho/VAVEL Brasil)

FORÇA DO NORTE-NORDESTE PELO ACESSO

É normal ter poucos times dessas regiões na briga, mas leva vantagem quem tem estrutura, já que planejamento não é algo visto no futebol. Quem trabalha e se dedica mais para isso, diminui a margem de erros e acaba sendo recompensado no fim, alcançando o objetivo final com o devido mérito

MENSAGEM À TORCIDA

Assim como eu, o torcedor tem que acreditar no time. Independente se o Náutico tá em uma fase boa ou ruim, a torcida precisa continuar acreditando, pois eu tenho certeza que ninguém vai deixar de torcer. Vai continuar sendo a torcida do Náutico e eles têm que acreditar até o fim, o que é importante

VAVEL Logo