Técnico Raul Cabral destaca merecimento do Avaí após vitória: "Os atletas se entregaram"
Treinador exaltou superação da carga psicológica que o jogo carregava (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Em um jogo fundamental nas pretensões do Avaí de se manter na primeira divisão do Campeonato Brasileiro, o time sofreu no segundo tempo, mas conseguiu um gol no fim e venceu o clássico contra o Joinville por 2 a 1. Assim, chegou a 38 pontos e permaneceu em 16º lugar, um ponto a frente da zona de rebaixamento, faltando três jogos para o fim da competição.

Em sua primeira partida após a saída de Gilson Kleina, o ex-auxiliar e agora técnico Raul Cabral destacou a entrega dos jogadores durante a partida e os treinamentos, principalmente do autor do gol da vitória Everton Silva que, mesmo com a mão quebrada, insistiu para jogar e acabou sendo decisivo.

"O principal desse resultado é o merecimento. Os atletas se entregaram no treino, no jogo. A carga psicológica é grande e por isso cansaram. O Everton Silva não iria para o jogo e forçou a ida. A mão dele ainda estava quebrada e a alteração foi pensada em função do merecimento dele e dessa vontade", explicou.

O treinador também explicou as presenças de Claudinei, Rudnei e Renan Oliveira no meio campo, dizendo que baseou-se nas atuações das equipes nas partidas anteriores. "Quando eu fui comunicado que assumiria o time, eu revi os sete últimos jogos e os últimos quatro do Joinville. Levantamos estatísticas dos atletas para montar a equipe. O Joinville tinha uma bola aérea forte e o time foi montado de acordo com o que precisava, força, intensidade. Se for olhar, os atacantes com maior aproveitamento eram Anderson Lopes e André Lima. No meio, o Claudinei é mais rápido e tem mais estatura. Foram essas as opções. Em relação ao Rudnei, ele vinha fazendo boas partidas", disse.

Durante a semana, o técnico pregou que esperava o time com mais posse de bola, mas o Avaí perdeu nesse quesito, tendo 42% do tempo com a bola. Cabral atribuiu isso ao fato da equipe ter cansado após um primeiro tempo muito intenso.

"Fizemos cerca de 30 minutos em uma intensidade alta e os atletas cansaram. Joinville tem muita força no meio e ficamos com um meio mais técnico. Eduardo Neto, Rudnei e Claudinei cansaram. Depois sem a posse eu apostei na transição. Empate seria ruim para nós, mas horrível para eles. Então apostei no contra-ataque", explicou.

A próxima partida do Avaí será contra o Fluminense, no domingo (22), às 19h30 (horário de Brasília), em Cariacia-ES. Suspensos pelo terceiro cartão amarelo, Eduardo Neto, Romário e Everton Silva estão fora da partida. O zagueiro Jubal, volta de suspensão, e o volante Renan, que ficou de fora da partida contra o Joinville para o julgamento do seu caso de doping, que não teve uma decisão, também ficará à disposição.

VAVEL Logo