Chapecoense segura empate sem gols no Scarpelli e complica situação do Figueirense
Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC

Jogando em casa, o Figueirense tropeçou no nervosismo e ficou no 0 a 0 com a Chapecoense. Assim, o time alvinegro vai encerrar o Campeonato Brasileiro sem nenhuma vitória em seis jogos contra os rivais catarinenses. Com 40 pontos, o Figueira ocupa a 15ª colocação, mas pode entrar no Z-4 caso Avaí e Coritiba vençam. Já a Chape se mantém em 13º, com 47.

Na penúltima rodada do Brasileiro, o Figueirense visita o São Paulo, no sábado (28), às 17h. Já a Chapecoense entra em campo no domingo (29), na Arena Condá, contra o Goiás, às 18h. Jogos no horário de Brasília

Nervoso, Figueirense cria pouco e Chape é melhor

O primeiro tempo no Orlando Scarpelli não foi um grande jogo. Com muitos passes errados, o Figueirense criou muito pouco, irritou a torcida e a Chapecoense conseguiu criar mais, apesar de nada muito ameaçador ao gol de Alex Muralha. No total, foram apenas seis finalizações no primeiro tempo: duas do Figueira e quatro da Chape.

A primeira chance mais clara foi aos 23. Camilo recebeu de Ananias dentro da área e bateu forte de pé esquerdo, mas Alex defendeu com tranquilidade. Oito minutos depois, após cruzamento de Dener para a área, Thiago Heleno e Yago furaram e a bola sobrou para Ananias, que dominou e bateu, mas a bola desviou no meio do caminho e o goleiro do Figueirense afastou com o pé.

Somente aos 33, o Figueirense chegou a assustar. Na saída errada de Cleber Santana, Rafael Bastos recuperou a bola e lançou para Dudu para a área, mas o atacante dominou mal e Nivaldo segurou. Mas foi pouco para o Figueira, que, ameaçado pelo rebaixamento, foi pouquíssimo criativo no primeiro tempo e saiu vaiado pela torcida para o intervalo em Florianópolis.

Figueira cresce, mas não o suficiente para vencer

Para o segundo tempo, o Figueirense conseguiu crescer um pouco e, principalmente, passou a finalizar mais. Aos 9, Rafael Bastos avançou pela esquerda e arriscou de longe, mas Nivaldo espalmou. No rebote, Dudu ficou de frente para o gol, mas outra vez o goleiro da Chapecoense salvou. Dois minutos depois, após cobrança de falta para a área, Marquinhos ajeitou para o meio e Clayton desviou de cabeça, mas novamente Nivaldo fez ótima defesa para evitar o primeiro gol do jogo.

Apostando mais nos contra-ataques e na velocidade de seus pontas, a Chapecoense não conseguiu manter o seu ritmo na segunda etapa. Aos 21, Cleber Santana levantou para a área em cobrança de falta, Camilo desviou na primeira trave, mas a bola passou à esquerda do gol.

Depois de uma queda de ritmo, o técnico Hudson Coutinho mudou o time, trocando Rafael Bastos e Dudu por Thiago Santana e Marcão. Aos 29, Leandro Silva fez jogada pela direita e cruzou para Marcão, que dividiu no alto com Nivaldo e a bola foi para fora. Logo na sequência, na saída errada de Dener, Clayton recebeu lançamento dentro da área e bateu de primeira, mas pegou mal e mandou longe do gol.

No terço final do jogo, o Figueirense, desesperado, passou a ter mais dificuldades e levantar bolas para área em busca de um gol salvador, mas não conseguiu chegar com perigo. No fim, a Chapecoense ainda quase conseguiu dificultar ainda mais par ao rival. Nos acréscimos, Dener cruzou da esquerda, Maranhão ajeitou e Hyoran ficou de frente para o gol, mas pegou mal e Alex segurou tranquilamente, garantindo o 0 a 0, um resultado que o Figueira não tem nenhum motivo para comemorar.

VAVEL Logo