Sem presença da torcida, Sport recebe Atlético-PR sonhando com vaga na Libertadores
Walter com a bola nos pés durante o confronto do primeiro turno (Foto: Gustavo Oliveira/Atlético PR (Site Oficial))

Sport e Atlético-PR se enfrentarão nesse domingo (22) na Ilha do Retiro, às 19h30 (Horário de Brasília), em partida válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo não terá a presença de torcedores devido a punição imposta ao Sport pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O jogo será arbitrado por André Luiz de Freitas Castro, de Goiás.

A equipe de Pernambuco ainda sonha com uma vaga na Libertadores do próximo ano. Com 52 pontos, o time treinado por Falcão ocupa da 7ª posição e vem de uma derrota contra o Cruzeiro, pelo placar de 3 a 0, no domingo passado (15). Falcão acredita na vaga da sua equipe no G4 nessas 3 rodadas restantes, apesar dos placares dessa rodada não terem sido muito bons para o Sport, foi derrotado pelo Cruzeiro, concorrente direto e o São Paulo derrotou o Atlético-MG e abriu quatro pontos em relação ao Leão da Ilha. “O único resultado que a gente não esperava era o do São Paulo. Esperava-se um empate ou uma vitória do Atlético-MG. Foi esse que fugiu. Agora temos que ganhar nossos jogos.” – Paulo Roberto Falcão.

Os jogadores do rubro-negro pernambucano lamentam a ausência da torcida no jogo desse domingo (22), mas acreditam que isso faz parte e pensam em não se preocupar com a falta dos torcedores: “Vamos ficar com o mesmo número de jogadores agora. A torcida é o nosso 12º jogador, mas vamos usar o fator casa. Não podemos perder. Mesmo sem torcida, a gente tem que fazer o máximo para conseguir essa vitória.” – Samuel Xavier. Diego Souza apresentou uma estratégia para os 11 titulares não sentirem falta do “12º jogador”: “Joguei uma vez (de portões fechados) e é muito diferente. Temos que estar concentrados o tempo todo. Não pode deixar o marasmo levar. Tem que estar sempre ligado. Temos que contar com o barulho de quem não tiver jogando para nos colocar para cima.”

Falcão contará com as voltas de Elber, que não jogou diante do Cruzeiro por pertencer a equipe mineira, do lateral Samuel Xavier, todavia perdeu André para o duelo, pois o atacante recebeu o terceiro cartão amarelo no último jogo, Hernane Brocador entra na sua vaga.

O técnico do Furacão, Cristóvão, poderá contar com todos os jogadores do seu elenco, o zagueiro Cleberson volta após oito meses, totalmente recuperado da lesão no joelho. A equipe paranaense vem de um empate diante do Palmeiras por 3 a 3, em jogo realizado na quarta (18), na Arena da Baixada.

Cristóvão mira três vitórias nos três jogos restantes e espera a vitória diante do Sport, todavia não será tarefa das mais fáceis, já que também enfrenta o Santos fora de casa, na última rodada: “Nosso desejo é obter a melhor colocação possível. Temos nove pontos a disputar e vamos tentar conseguir os nove. Não tem sido fácil para nenhum dos clubes do campeonato, mas o nosso desejo e meta é essa. Temos que pleitear a melhor colocação e estar na primeira folha do campeonato, bem colocados.” O técnico da equipe paranaense quer seu time com mais posse bola diante do Sport: "É importante ter posse de bola, ter controle de jogo e fazer disso uma forma de atacar o adversário e ser menos atacado."

Falcão esquece as contas e foca na vitória: “Depois voltamos a fazer conta. O que está no nosso alcance é a vitória.”

Técnico da equipe pernambucana acredita que primeiro a sua equipe precisa fazer sua parte, ou seja ganhar do Furacão para depois sonhar com a vaga para a Libertadores: “Temos que fazer o que podemos controlar, que é nosso jogo. É difícil, mas temos que pensar nos nossos três pontos.”

Cristóvão acredita que sem a torcida, o favoritismo do Sport não é o mesmo: “A vantagem é relativa, porque logicamente a equipe deles jogando em casa tem uma torcida vibrante.”

Ele afirma que a torcida rubro-negra dá muita força ao Sport e sem ela o jogo pode se tornar mais equilibrado e sua equipe terá mais chances de ganhar e dominar a partida: "E não ter a torcida, de alguma forma, é bom. Chegamos numa parte do campeonato que todo mundo tem dificuldade pela briga na tabela.'' Mesmo assim, Cristóvão mostrou respeito pelo seu adversário: “Independentemente de qualquer coisa, é uma boa equipe, fez um bom de campeonato e o grau de dificuldade continua alto.”

VAVEL Logo