Fernando Prass x Ricardo Oliveira: a rivalidade recente que decidiu a Copa do Brasil
Fernando Prass x Ricardo Oliveira: a rivalidade recente que pode decidir a Copa do Brasil (Foto: Agencia Estado)

A rivalidade entre Santos e Palmeiras pode ser personificada em dois jogadores: Ricardo Oliveira e Fernando Prass. A máxima do goleiro contra o atacante nunca ficou tão explícita nesta temporada. Desafetos assumidos, farão o último duelo de 2015 nesta quarta-feira (02), às 22h, no Allianz Parque, valendo o título da Copa do Brasil.

LEIA MAIS: Palmeiras e Santos voltam a se enfrentar valendo o título da Copa do Brasil

Troca de socos com jogo parado, um pisão proposital na saída de campo, troca de farpas afiadas em coletivas e até mesmo reclamações sobre a conduta de seu adversário. Relembre todas as polêmicas que tornaram Ricardo Oliveira e Fernando Prass as figuras centrais de Santos e Palmeiras.

Palmeiras vence, mas discussão de atletas rouba a cena

A principal polêmica entre os jogadores aconteceu no primeiro turno do Brasileirão 2015, partida vencida pelo Palmeiras por 1 a 0. Depois de uma disputa de bola, Fernando Prass e Ricardo Oliveira discutiram de forma ríspida por alguns minutos antes de uma cobrança de escanteio.

O goleiro palmeirense foi o primeiro a dar sua versão do caso e reclamou de uma possível agressão por parte do santista. Prass reclamou que havia recebido um soco nas costas e as imagens comprovariam o fato.

"Eu sou um cara muito tranquilo, para me tirar do sério é difícil. Catimba, jogo de corpo, uma chegada mais forte, faz parte do jogo. Um soco sem bola não faz parte, isso não é de um jogador profissional. Num lance em que eu me antecipei e tirei a bola, ele passou por mim e me deu um soco nas costas. As imagens com certeza estão aí. Espero que analisem essas imagens", afirmou Fernando Prass.

Ricardo Oliveira se defendeu afirmando que não agrediu seu adversário. Segundo o atacante santista, foi Fernando Prass quem desferiu um soco contra ele. Segundo o atacante santista, as acusações não procedem.

"Depois vai dar para ver nas imagens. Eu disputo uma bola com ele e nem toco nele. E ele solta o braço em mim por trás. Estava sem bola. Na sequência eu trombei mesmo. São disputas do jogo que precisamos fazer uma avaliação. Ele faz uma acusação, mas não procede, porque ele deu em mim sem bola primeiro. Falei que se ele quisesse disputar um jogo normal íamos disputar um jogo normal. Só que dentro do campo temos de nos respeitar. Ele não me respeitou. Devolvi sem soco, ele reclamou", se defendeu, Ricardo Oliveira.

Depois do apito final, os dois se estranharam na saída de campo novamente. Quando Ricardo Oliveira conversava com jornalistas, Prass teria pisado no santista. Na zona mista, os dois seguiram trocando farpas.

"Se eu visse que era ele ali, eu não teria esbarrado, teria feito coisa pior. Graças a Deus, não vi que era ele. Ainda bem que ficamos no meio de campo, cumprimentando a torcida, deu para esfriar um pouco a cabeça", afirmou o palmeirense.

"Eu tive um livramento, então (risos). Senão poderia ir para o hospital. Ainda bem. Graças a Deus vou poder chegar em casa (risos). Foi um pisão, ele não viu, acho que não está enxergando direito. Faz parte. Acho que ele quis ser mais homem, quis demonstrar isso", ironizou o santista.

Not bad: Ricardo Oliveira nega provocar Prass após gol

No returno do Brasileirão 2015, o Santos devolveu a derrota sofrida e venceu o Palmeiras por 2 a 1, na Vila Belmiro. Ricardo Oliveira reacendeu a polêmica com Fernando Prass devido a sua comemoração no gol alvinegro.

O camisa 9 afirmou que, ao se virar para trás, estava olhando para Gabriel, autor do cruzamento, e não para Prass, caído no fundo da rede. Sua expressão irônica após balançar as redes também não foi nenhum tipo de provocação.

"Eu estava olhando para o Gabriel, queria compartilhar, dividir com ele, porque o passe dele foi perfeito. Não foi nenhum tipo de provocação ao goleiro adversário", disse o jogador.

Prass x Oliveira: mais uma confusão dentro de campo

Ainda na mesma partida, Ricardo Oliveira foi lançado ao ataque e, mesmo com o lance interrompido, driblou Prass e fez o gol. Enquanto o goleiro reclamava, pedindo um cartão amarelo, o atacante chutou a bola em direção ao árbitro e acertou os pés do palmeirense, que estava de costas.

Na saída de campo, o goleiro palmeirense foi questionado se achava que a jogada tinha sido intencional. Prass não poupou Oliveira em sua resposta e reclamou da conduta de seu adversário.

"O que tu achas? É personalidade do atleta, modo de conduta, não acredito que uma pessoa se transforme tanto dentro de campo", disse Prass.

VAVEL Logo