Fernando Prass, após conquista do tri da Copa do Brasil: "Estou flutuando ainda"
Fernando Prass, mais um goleiro para a bela história do clube (Foto: César Greco/Agência Palmeiras/Divulgação)

Em toda a sua história, o Palmeiras foi reconhecido por ter grandes goleiros. Oberdan Cattani, Valdir de Moraes, Velloso, Sérgio, Marcos e tantos outros arqueiros colocaram seu nome na história do Alviverde imponente. Toda esquadra histórica começa com um bom goleiro. E os palmeirenses têm muito orgulho de ser uma das maiores equipes no futebol brasileiro em questão de goleiros históricos.

Após a saída de Marcos, Fernando Prass foi contratado. Diferentemente de tantos ícones do Palestra Itália, Prass não foi revelado nas categorias de base. Mas isso não quer dizer que seu nome não seria inscrito em mais uma página na história gloriosa do clube. O atual camisa 1 passou por momentos turbulentos, de muita dificuldade, mas a temporada 2015 foi para pôr seu nome nos registros mais brilhantes do Palmeiras.

Após eliminar o Corinthians no Campeonato Paulista na casa do rival, o Palmeiras enfrentou o Fluminense nas semifinais. Decisão por meio das penalidades máximas. Fernando Prass brilhou. No primeiro duelo decisivo contra o Santos, o Verdão perdeu, mas o goleiro se superou com importantes defesas que evitaram uma vantagem maior da equipe do litoral paulista.

No segundo e principal jogo do ano, Fernando Prass foi abraçado pela torcida por meio de gritos específicos, cantos entoados no maior potencial da voz de cada palestrino. Após o rolar da bola, 90 minutos de pura tensão, de brilho de Dudu no ataque e de destaque de Prass na retaguarda. Após o triunfo por 2 a 1, penalidades máximas. O camisa 1 defendeu a primeira cobrança da série, e garantiu o tricampeonato da Copa do Brasil com um chute forte, rasteiro, para estufar as redes e correr para a comemoração junto com os companheiros de elenco e de comissão técnica, além da torcida.

A euforia começou a aumentar descontroladamente, e sem nenhuma restrição. E ainda bastante emocionado, numa mistura de risadas, gritos, choro e lágrimas, Fernando Prass conversou com a imprensa e afirmou que agora é curtir o momento e exaltar a conquista do tricampeonato da competição considerada a mais democrática do país.

“Eu nunca imaginei isso [bater pênalti], mas estava confiante. Para falar a verdade, nem sei onde bati. Vamos descansar, tem que comemorar para caramba. Que nem o Marcão falou, tem de entrar dentro da garrafa. Quem fez o mosaico [em homenagem a Prass] achava que estava prevendo alguma coisa. Queria agradecer, eu sinceramente não esperava. Estou flutuando ainda. Amanhã é que vou acordar, tomar pé da situação, para ver como vai ficar”, afirmou o goleiro.

Fernando Prass renovou o vínculo contratual com o Palmeiras até o fim do ano de 2017. Até lá, quando o goleiro estará com 39 anos de idade, cada palestrino, presente ou não no Allianz Parque no jogo mais feliz do ano, espera que o ídolo palmeirense faça jus a um dos versos mais cantados do hino, com “uma defesa que ninguém passa”.

VAVEL Logo