As revelações do Flamengo na Copinha 2016
Time campeão da Copinha revelou bons jogadores (Foto: Divulgação/Flamengo)

O rubro-negro carioca sempre revelou grandes nomes não só para o futebol brasileiro, mas também em nível internacional. No século passado, os maiores atletas do Urubu eram crias da casa. Nomes como Júnior, Leonardo, Adílio e, claro, o rei Zico, foram todos criados na base do Flamengo.

No segundo título do clube na Copinha, em 2011, ao menos seis jogadores que entraram em campo na decisão subiram à equipe titular. Frauches, Adryan, Negueba, MuralhaThomás já não estão mais na equipe. César, que teve grandes atuações em 2015, hoje é terceiro goleiro, dividindo a posição com outra revelação da base, um pouco mais antiga, Paulo Victor. No time profissional titular, também há a presença de Jorge, que subiu da base no ano passado.

O Mengão conquistou seu terceiro título da Copa São Paulo de Futebol Júnior (1990, 2011, 2016) invicto e com campanha invejável. Com sete vitória e dois empates, a equipe rubro-negra marcou 21 gols e sofreu apenas oito. Apesar disso ser fruto de entrosamento e um ótimo coletivo, a equipe sub-20 conta com alguns nomes de destaque, que fizeram a diferença nos jogos da competição.

Thiago, goleiro

O arqueiro rubro-negro de 19 anos foi um destaque do clube na competição. Fechando a meta, sofreu apenas oito gols ao decorrer da Copa. Em duas rodadas, teve defesas eleitas como as mais bonitas. Na final, pegou dois pênaltis corintianos e selou o título carioca. 

Ronaldo, volante

O jogador Ronaldo obteve destaque na Copinha graças à sua versatilidade. Atuando como volante, lateral ou meia, chamou atenção por um jogo defensivo de qualidade, com bom posicionamento e desarmes precisos. Na saída de bola também não faz feio, mostrando categoria nos passes rápidos.

Ronaldo está no Fla desde os 16 anos, hoje com 19. O jogador já soma alguns títulos de base na equipe, como Estadual, Taça Rio, Taça Guanabara, Troféu Otávio Pinto Guimarães e, o mais recente, a Copinha 2016.

Matheus Sávio, meia

O camisa 10 do sub-20 rubro-negro já jogou pelo profissional graças à sua qualidade na ligação entre o campo de defesa e ataque, guiando o jogo pelo meio. Aos 20 anos, o atleta fala sobre a experiência no plantel principal: "Quando eu subi para o profissional, não fiz nenhum jogo de titular. Tem de estar preparado para quando pintar aoportunidade, entrar bem e aproveitar".

Lucas Paquetá, meia

Lucas joga na base no Fla desde 2006. Enfrentou algum problemas no início de sua jornada nos juniores por causa de uma "maturação tardia" - seu porte físico era muito menor e mais magro que o de outros atletas da idade -, mas garantiu a vaga de titular na equipe em 2015, aos 17 anos, já tendo treinado até mesmo com o elenco principal.

O atleta, canhoto habilidoso, é inteligente e rápido, sendo responsável pelas principais jogadas de ataque da equipe sub-20.

Cafu, ponta

Otacílio Brito Alves, ou Cafú, foi destaque na competição com suas assistências para os companheiros de equipe. Aos 19 anos, o ponta fala sobre o sonho de chegar ao plantel profissional: "Sou flamenguista desde pequeno. Meu sonho é chegar ao profissional do Flamengo, jogar, fazer a alegria da torcida."

Felipe Vizeu, atacante

O camisa 9 rubro-negro foi o artilheiro da equipe e eleito o melhor jogador da competição. Chama a atenção por seu excelente posicionamento dentro da área, assim como pela qualidade de suas finalizações.

Com 18 anos, e no Fla desde os 16, o centro-avante também sonha com possíveis chances no elenco profissional: "Com certeza o professor Muricy tá lá e sabemos da importância de todo campeonato e sei que ele tá de olho na gente", disse Felipe. "A oportunidade que tivermos vamos aproveitar com muita humildade".

VAVEL Logo