São Paulo bate Liverpool-URU e conquista a Libertadores Sub-20
Foto: Divulgação/São Paulo

São Paulo bate Liverpool-URU e conquista a Libertadores Sub-20

Tricolor domina o jogo inteiro, mas consegue gol do título apenas ao 39 minutos do 2° tempo com Lucas Fernandes, em jogo que ficou marcado por confusões

brandonvicente
Brandon Vicente
Liverpool-URURodrigo Rodríguez; Emanuel Machado, Facundo Mallo, Lautaro De Amores, Pablo González (Romero, min. 72); Sebastián Peluffo, Nicolás De La Cruz, John Pintos (Ignacio, min. 81), Santiago Laport (Silveira, min. 89), Cristian Sención; Juan Ramírez.
São PauloPerri; Foguete, Maidana, Kal e Inácio; Banguelê, Artur (Queiroz, min. 90+3) e Lucas Fernandes; David Neres, Luiz Araújo (Gabriel, min. 89) e Pedro (Shaylon, min. 89).
Placar0-1, min. 84, Lucas Fernandes
ÁRBITROJesús Valenzuela (VEN). Cartões amarelos: Maidana (min. 17), Sención (min. 31), Banguelê (min. 47), Laport (min. 64), Machado (min. 75), Inácio (min. 78) e Queiroz (min. 94+4). Cartões vermelhos: David Neres (min. 87), De Amores (min. 87) e De La Cruz (min. 90+5).
INCIDENCIASFinal da Copa Libertadores sub-20, entre São Paulo e Liverpool-URU. A partida foi realizada no Estádio Defensores Del Chaco, em Assunção, Paraguai.

Na noite deste domingo (14), o São Paulo sagrou-se campeão da Copa Libertadores Sub-20. A equipe tricolor venceu o Liverpool-URU por 1 a 0, com gol marcado já aos 39 minutos do segundo tempo por Lucas Fernandes. O capitão Banguelê ergueu a taça do título inédito na galeria da base do São Paulo.

A equipe finalmente termina sua brilhante temporada, que começou ainda no ano passado. A equipe foi campeã da Copa do Brasil Sub-20 e da Copa RS, mas a coroação da geração de Cotia chegou apenas neste domingo, após passar por adversários como Libertad, Independiente Del Valle, Melgar, Lanús e finalmente o Liverpool. O clube ainda teve Luiz Araújo com artilheiro da competição, com cinco gols.

São Paulo perde gols e vê Liverpool-URU assustar nos contra-ataques

O São Paulo começou o 1°tempo desorganizado. Pressionando a equipe uruguaia a todo instante, o Tricolor ficava quase todo o tempo no seu campo de ataque. Mas, na primeira oportunidade em que se descuidou, logo aos 6 minutos, viu Ramirez errar o domínio ao ser encontrado dentro da grande área tricolor. E não parou por aí. Aos 8 minutos, Laporte chutou bem de fora da área, e viu Perri fazer grande defesa.

Aos 21 minutos, o goleiro tricolor deu grande bobeada e quase viu os uruguaios abrirem o placar. Após bola cruzada na área do São Paulo, Lucas Perri saiu mal do gol e espalmou pra trás. A bola ia entrando no gol, mas Inácio com um carrinho salvou em cima da linha, evitando o que poderia ser o primeiro gol do jogo.

Porém, após estas chances, o São Paulo dominou o jogo, e praticamente não saiu do campo de ataque. Aos 27 minutos, Artur chutou de fora da área, mas a bola desviou e foi para escanteio. Porém, logo depois pintou uma das melhores chances da equipe Paulista. Luiz Araújo saiu livre pela direita, e avançou, mas preferiu tentar um toque de cobertura ao invés de passar para David Neres, que, sem marcação, pedia a bola no meio.

Aos 34 minutos, a melhor chance do “Tricolorzinho”. David Neres fez belíssima tabela com Pedro na entrada da grande área, recebeu na cara do gol, mas chutou para fora. Porém, a pressão tricolor continuou, e logo aos 37 minutos a equipe teve outra grande chance. Inácio partiu pela esquerda, entrou na área e chutou, para grande defesa do goleiro Rodríguez. A bola voltou para David Neres, que novamente finalizou, para outra grande defesa do goleirão uruguaio.

Aos 42, a equipe brasileira teve outra grande chance. Luiz Araújo fez grande finta pela esquerda, finalizou e viu Rodríguez defender outra vez.

Tricolor pressiona e marca o gol do título nos minutos finais

O 2° tempo começou de maneira parecida com o 1°. A equipe do São Paulo ficava quase todo o tempo no campo de ataque do Liverpool-URU, mas continuava sofrendo com os contra-ataques.

Mas, logo aos 9 minutos, a equipe teve sua primeira chance. Luiz Araújo passou para David Neres, que fez bela finta no zagueiro e viu o goleiro defender mais uma vez. Porém, quatro minutos depois surgiu a melhor chance da equipe do Uruguai no jogo. De La Cruz, o jogador mais incisivo da equipe adversária, driblou Banguelê e chutou, mas viu Lucas Perri defender com a ponta dos dedos, salvando a meta tricolor.

O jogo seguia na mesma tônica, e viu o São Paulo perder sua melhor chance até então. Aos 22 minutos, Artur recebeu de Pedro dentro da área e, ao ver o goleiro deixando o gol, tocou por cima, mas a bola foi pra fora.

A partir daquele momento, o jogo virou uma verdadeira batalha. Os uruguaios começaram a chegar mais forte nos jogadores do Tricolor, que revidavam. Mas, a tradicional catimba uruguaia não foi capaz de parar o envolvente futebol da equipe são-paulina. Aos 39 minutos, Luiz Araújo avançou pela esquerda e driblou o lateral-direito da equipe do Uruguai. O jogador encontrou David Neres na área, que rolou para Lucas Fernandes bater. O camisa 10 do São Paulo tentou a primeira, mas a bola voltou em seu pé, para que ele fintasse o zagueiro mais uma vez e batesse com a perna esquerda, no canto alto direito de Rodríguez, sem chances para o goleirão. 1 a 0 para o Tricolor e taça encaminhada.

Os minutos após o gol foram de sofrimento para o São Paulo. Logo após o tento são-paulino, David Neres provocou os jogadores uruguaios, que se irritaram e partiram pra cima do jogador. A partir daí uma pequena confusão se iniciou, fazendo com que o jogo ficasse paralisado por cerca de  4 minutos. O árbitro Jesús Valenzuela separou os jogadores e expulsou Neres e De Amores.

Com toda a confusão, e uma parada técnica devido ao calor, o árbitro acrescentou 7 minutos, que pareciam intermináveis. Aos 46 minutos, Ramírez recebeu do craque De La Cruz na entrada da área, mas bateu para fora.

Faltando poucos segundos para acabar, Lucas Fernandes avançou pela esquerda e sofreu falta de De La Cruz. O camisa 10 uruguaio foi expulso, deixando o Liverpool-URU com apenas 9 jogadores em campo. A partir daí, o São Paulo apenas  administrou a bola no campo de ataque, e, aos 52 minutos do 2°tempo, pôde ver o árbitro finalmente apitar o final do jogo, que consagrou a brilhante geração de Cotia em campeões da América.

Os jogadores uruguaios ainda ensaiaram mais uma confusão, mas foram contidos por sua comissão técnica. Na final da Libertadores sub-20, o que mais se viu foi a tradicional catimba, mas venceu o bom futebol da equipe brilhantemente treinada por André Jardine.

VAVEL Logo