Donos das melhores campanhas, CRB e CSA iniciam briga pelo título do Campeonato Alagoano
(Foto: Júnior Melo/VAVEL Brasil)

Depois de quatro meses de intensa disputa, chegou a hora de saber quem é o melhor time de Alagoas na temporada. A partir deste domingo (1º), às 16 horas, no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL, CRB e CSA entram em campo e iniciam a decisão do Campeonato Alagoano 2016. Donos das melhores campanhas até o momento, os clubes terão pela frente mais dois clássicos. Os eternos arquirrivais e mais tradicionais clubes do estado já mediram forças três vezes neste ano, com vantagem para o Azulão, que venceu dois confrontos e empatou um.

O histórico de decisões no Alagoano com os times azul e vermelho na história do futebol é muito grande. De um lado, os marujos somam 37 títulos estaduais, mas conquistou apenas um no atual século e viu o Regatas encurtar a hegemonia com 28 troféus. Nas 86 edições do torneio, foram 58 presenças azulinas na final, enquanto o Galo registra 55 participações. Quando os maiores se confrontaram, em 39 ocasiões, o CSA tem ampla vantagem, com 23 triunfos a seu favor e 16 a favor do Galo. Em toda a centenária história do Clássico das Multidões, em 482 clássicos, 174 vitórias regatianas, 150 triunfos azulinos e 161 empates.

Será a segunda vez na década que CSA e CRB medem forças. Em 2013, o Galo levou a melhor. Venceu o primeiro jogo por 4 a 2, foi derrotado por 1 a 0 no segundo confronto e a disputa foi para as penalidades máximas por não haver saldo de gols como critério de desempate. Nos pênaltis, o CRB pôde comemorar ao lado do seu torcedor.

Esquema de segurança

Durante a semana, o esquema de segurança para o quarto Clássico das Multidões de 2016 foi discutido e ficou acordado em não haver modificações em relação aos jogos anteriores. Em reunião com a presença de representantes da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Maceió (SMTT), do Poder Judiciário e das duas torcidas, foi apresentado todos os detalhes a serem colocados em prática neste domingo.

As ruas no entorno do estádio serão interditadas a partir das 13 horas. Os portões serão abertos às 14 horas. Ao todo, 310 policiais dentro e fora do Estádio Rei Pelé a pé, motorizado e cavalaria. Após o encerramento do jogo, o foco policial será voltado aos corredores de ônibus e as redondezas do principal palco esportivo de Alagoas. O Poder Judiciário irá trabalhar dentro do estádio, com o Juizado do Torcedor. Menores de idade só podem assistir ao jogo acompanhados de um responsável e portados de documento oficial com foto.

Voltar a vencer arquirrival e abrir vantagem em busca do bicampeonato

Após três anos, o CRB reencontra o arquirrival na decisão do Campeonato Alagoano. Curiosamente, o segundo jogo da final em 2013 tinha sido a última derrota do Galo até a atual temporada, onde o clube ainda não conseguiu vencer o tradicional oponente. Na quinta decisão consecutiva, a equipe alvirrubra tenta o bicampeonato, a redução da distância em conquistas para o CSA e o jejum de títulos da equipe azul.

Os treinamentos realizados na semana foram realizados a portas fechadas. Apenas na última atividade, com o recreativo, o Centro de Treinamento foi aberto aos torcedores, que compareceram na tentativa de aumentar o incentivo ao Regatas para a primeira metade dos 180 minutos.

Desfalques e dúvidas deixam incerta a escalação do Galo para o duelo deste domingo (30). O lateral-direito Marcos Martins não reuniu condições de jogo suficientes para receber a aprovação do departamento médico e fica de fora. Além do ala, mais quatro jogadores não entram em campo. Glaydson Almeida e Marcelinho também estão lesionados. Também estão fora da lista de relacionados, mas por cumprimento de suspensão automática, o zagueiro Gabriel e o volante Matheus Galdezani.

Na defesa, o técnico Mazola Júnior pode optar por André Vinícius ou Diego Jussani. Jonathan Bocão deve ser o substituto de Matheus Galdezani, enquanto Marcos Aurélio e Dakson brigam por vaga no meio de campo, no setor responsável pela criação de jogadas.

O atacante Lúcio Maranhão falou sobre a expectativa do time para o confronto. Artilheiro do Campeonato Alagoano, o jogador afirmou que a final premia os dois melhores times da competição e que ele está focado no CRB, em como o Regatas vai jogar, e não no que o adversário pode apresentar.

“Não gosto de conversar do adversário, até porque é só um adversário. Para mim, é só um adversário. Eu tenho que viver junto com meus companheiros e fortalecer aquilo que nós precisamos, e cada vez mais focar no trabalho que o professor vem nos pedindo, aperfeiçoar a técnica que nós temos. Então é deixar o adversário para quando chegar o momento do jogo. E eu tenho certeza que nós estamos preparados”, disse.

Com calendário garantido, CSA visa acabar jejum de títulos

O CSA é o maior vencedor do Campeonato Alagoano, com 37 conquistas. Supercampeão até a década de 1990, o time entrou em um marasmo no século XXI que culminou no pior período de sua tradicional e gloriosa história. Com apenas um título alagoano conquistado em 15 anos, o Azulão vê no Campeonato Alagoano 2016 a possibilidade de um recomeço. Após a conquista de vagas no Campeonato Brasileiro da Série D 2016 e 2017, na Copa do Brasil e na Copa do Nordeste da próxima temporada, o time vê a final do estadual como o momento para recuperar a hegemonia em Alagoas.

O time entra em campo focado. Embora o principal objetivo tenha sido alcançado, a equipe azulina luta pela conquista do título, que premia o melhor desempenho do primeiro semestre. Em 17 jogos disputados até aqui, são 14 vitórias, dois empates e uma derrota, com 39 gols marcados e 10 sofridos. Além disso, o grupo vê uma oportunidade de retribuir a torcida, presente em grande quantidade nos jogos em Maceió e no interior.

Para o quarto Clássico das Multidões de 2016, o técnico Oliveira Canindé conta com o retorno de duas peças importantes do elenco. O zagueiro Douglas Marques se recuperou de lesão na coxa, enquanto o atacante Luís Soares, vice-artilheiro do Campeonato Alagoano, volta após cumprir suspensão automática. O único desfalque é o volante Panda, que ainda está contundido e deve voltar aos treinamentos durante a semana. Com isso, Xandão e Bismarck certamente retornam ao banco de reservas. Cleyton deve jogar mais uma vez como titular no meio de campo.

Luís Soares despontou como um dos destaques azulinos na campanha do Alagoano, mas há cinco jogos não balança as redes e viu a artilharia ser ultrapassada. Embora esteja em um momento de seca, o atacante espera marcar na decisão e conquistar o campeonato pelo CSA.

“O título é fundamental para o que a gente vem fazendo. É para honrar o nosso trabalho, e é um objetivo a ser alcançado, porque não adianta chegar na final e não ganhar o título. Infelizmente a bola está teimando em não entrar, mas vai aparecer a chance na hora certa. Agora é continuar trabalhando. E não só eu, mas meus colegas, queremos o melhor para o CSA. Então também vou ser feliz se der um passe para um colega”, afirmou.

VAVEL Logo