Dependendo de si, Sport luta contra degola diante do rebaixado Figueirense
Foto: Divulgação/Figueirense

Implementado desde 2003, o sistema de pontos corridos mostra como os times vivem um drama em busca de seus objetivos, tanto por vaga na Libertadores, Sul-Americana ou para evitar o descenso. Buscando permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro 2016, o Sport vai a campo na tarde deste domingo (11), às 17h (de Brasília), em partida contra o Figueirense, válida pela 38ª rodada, a ser realizada na Ilha do Retiro, em Recife.

Com dependência apenas de si, uma vez que só a vitória evita a ida à Série B após três anos consecutivos disputando o Brasileirão. Tendo a força da torcida para explorar o fator casa, o Leão vem de empate na última rodada diante do América-MG, por 2 a 2, no Independência. O resultado deixou o rubro-negro na 16ª posição, com 44 pontos, dois à frente do Internacional, rival direto contra a degola.

Já rebaixado e indo com uma equipe mista, o Figueira tenta finalizar o certame de maneira digna e cabeça erguida. Mesmo tendo a queda decretada após a goleada para o Vitória, o Furacão chega ao jogo de motivação alta. No último compromisso pelo nacional, o alvinegro foi superior e bateu o Fluminense pelo placar mínimo, que o manteve na 18ª posição, somando 37 pontos.

Com dúvidas, Sport tenta evitar queda ante sua torcida

A necessidade de vencer é, mais do que nunca, crucial. Bem como foi durante todo o campeonato, como mandante, o Sport vai precisar ter o fator casa de principal aliado. Contra o Figueirense, não é diferente. Todos os ingressos foram vendidos de maneira antecipada, deixando a Ilha do Retiro na lotação máxima, cantando do início ao fim.

O Leão tem duas baixas no time titular, ambas por suspensão devido ao terceiro amarelo. O zagueiro Matheus Ferraz, que vinha fazendo atuações regulares, será substituído por Durval. O polivalente e que vinha sendo um dos destaques, Rodney Wallace, também está de fora e ainda não tá com substituto definido.

Xerife retorna à titularidade no Leão diante do Furacão (Foto: Williams Aguiar/Sport)
Xerife ganha chance de retornar à titularidade no Leão diante do Furacão (Foto: Williams Aguiar/Sport)

A indefinição no meio-campo fica entre Everton Felipe e Apodi, pois a dúvida é quanto ao estilo de jogo. A outra é na referência ofensiva, já que Ruiz fica mais estático, mesmo dando velocidade. Vinícius Araújo é mais veloz, por outro lado, podendo dar mais gás no setor, segundo detalhou o técnico Daniel Paulista.

"Tenho dúvidas no ataque no meio. Fiz observações nos treinos e vou repetir para ter a melhor formação. A equipe não está definida e vocês saberão apenas na hora do jogo quem vai começar. Venho fazendo as observações que podem ser iniciais ou para as circunstâncias de jogo em questão. Não tem surpresa e nada especial", disse o comandante leonino.

Rebaixado, Figueirense muda estilo para último jogo

Sem poder mudar de posição no campeonato e com situação definida para a próxima temporada, o Figueirense vai tentar surpreender. Na partida contra o Sport, que briga contra a degola, o Figueira vai com um esquema mais ousado, inspirado na tática de Sampaoli na época do Chile, o 3-3-3-1.

A tendência era de que Marquinhos Santos contar com Rafael Moura e Lins, esperados para se reapresentarem, mas não ficaram de opção ante o Leão. Por conta disso, o jovem Matheusinho permanece como único jogador na referência ofensiva, uma vez que o meio-campo vai ter três volantes e três armadores.

Com passagem pelo rubro-negro em 2015, Ferrugem é um dos titulares (Foto: Luiz Henrique/Figueirense)
Com passagem pelo rubro-negro em 2015, Ferrugem é um dos titulares (Foto: Luiz Henrique/Figueirense)

Mesmo esperando ter todo o elenco à disposição, o técnico alvinegro destaca a força da juventude mesclada à experiência utilizada antes. Para o comandante do Furacão, a oportunidade cedida a esses atletas será importante para dar sequência e ritmo em período de transição, exaltando a disponibilidade.

"A ideia era utilizar todos os atletas que estivessem à disposição, para termos opções e colocarmos o que há de melhor mas na ausência deles também cria-se a oportunidade aos jovens atletas. Agora eles vão ter a sequência, ainda mais os garotos da base, e é importante no momento de transição", analisou Marquinhos.

VAVEL Logo