Prezando pela continuidade da gestão, Arnaldo Barros ratifica combate à Torcida Jovem
Arnaldo busca se manter no clube apoiado em membros de outras gestões

Na próxima sexta-feira (16), na sede social do Sport, ocorre a eleição presidencial para o biênio 2017-18. O atual vice-presidente de futebol Arnaldo Barros concorre na chapa de situação "Avança Sport" e terá como vice Gustavo Dubeux, ex-presidente na gestão 2011-12. O candidato falou à VAVEL Brasil os planos e as estratégias para sua gestão à frente do escrete da Praça da Bandeira.

Arnaldo falou sobre a proibição às organizadas, que é uma iniciativa da atual gestão, ressaltando que esse é um dos pilares da próxima gestão e o combate e as restrições não irão parar. Destacou que é preciso trazer pessoas de bem para dentro do clube, exaltando ainda a importância dos atletas olímpicos e as competições disputadas por esses.

VAVEL: Qual o planejamento para os "esportes amadores", uma vez que já foram importantes e perderam espaço, como o basquete feminino?

Arnaldo Barros: "Temos muitos atletas olímpicos desfrutando da estrutura do Sport e competindo. O que se modificou foi que o esporte olímpico se tornou autossustentável, ao invés de o Sport bancar o esporte olímpico, o próprio esporte olímpico está se bancando, e os recursos que antes, aplicaríamos no esporte olímpico, nós vamos aplicar em outros locais que também precisam e que não tem esse potencial midiático de ser autossustentável"

V: Como será composta sua diretoria de futebol e qual a filosofia a ser traçada pela gestão no carro-chefe do clube?

AB: "Os nomes para a diretoria de futebol serão revelados após a eleição. Nós pretendemos intensificar a profissionalização, nós pretendemos fazer um centro de inteligência. Precisamos monitorar não só a base, mas monitorar atletas para a base e atletas para o profissional. Queremos criar um banco cada vez maior de dados, pra subdisiar o treinador, a comissão técnica, pra quando precisar repor um talento, se evitar o erro e ter uma linha profissional desde a base"

V: Qual o relacionamento com sócios e quais benefícios seriam viáveis em uma boa campanha de marketing para angariar novos sócios? Qual vai ser a política do clube em relação às torcidas organizadas?

AB: "Nós vamos dar continuidade, aos nossos projetos, o sócio torcedor não é projeto, é uma realidade. E para trazer torcedores de fora, iremos dar continuidade ao que já está sendo feito, que são os consulados. Os torcedores contactam nosso departamento de marketing, e nós vamos lá, damos o suporte, a tecnologia para que ele se credencie a formar um consulado. Diplomamos o cônsul e damos voz a ele dentro do clube. É um dos pilares da nossa gestão e irá sim, continuar o combate a Torcida Jovem, queremos trazer pessoas de bem para dentro do clube."

V: Como vai ser a parceria com a Arena? Planeja alguma mudança na estrutura da Ilha do Retiro?

AB: "Nós temos um projeto redondo, pronto e aprovado na prefeitura e nós vamos finalizar tudo que é necessário pra esse projeto ficar aguardando execução ou não, tomando os devidos cuidados. A gestão de Martorelli já encomendou um estudo de viabilidade econômica e financeira para que a Ernst & Young aponte o que é mais economicamente e financeiramente viável para ser feito na Ilha, se uma reforma, se investir em outro projeto. E se for alguma coisa desse tipo, eles também tem o compromisso contratual, apontar os parceiros interessados em investir."

VAVEL Logo