Mais dois patrocinadores rompem com Boa Esporte, que emite nota para explicar contratação de Bruno
Bruno deverá assinar contrato com o Boa Esporte nesta segunda-feira (13) (Foto: Divulgação)

Em menos de 24 horas do primeiro patrocinador romper com o Boa Esporte após a repercussão negativa da contratação do goleiro Bruno, mais duas empresas romperam parceria com o clube de Varginha/MG neste domingo (12). A clínica Cardiocenter e a Magsul, especialista em ressonância magnética pediram para que a agremiação retire as respectivas logomarcas do site oficial e do uniforme da equipe.

Em nota, a Cardiocenter informou que "não concorda com a contratação de jogadores que não representam os ideais da empresa". A empresa alega também que precisa ser um exemplo para as crianças e todos os apaixonados por futebol. Já a Magsul declarou que apoia o esporte e a vida e que jamais vai ser a favor de algo que contrarie os dois princípios. Ambas as marcas anunciaram o rompimento da parceria pelas redes sociais.

Patrocinador master ameaça sair

Também neste domingo, o Grupo Góis & Silva, principal patrocinador do Boa, informou que irá estudar o cancelamento da parceria caso o clube se mantenha decidido em assinar contrato com o goleiro Bruno. A empresa declarou que irá se reunir com a diretoria da agremiação para saber da decisão.

A repercussão negativa da contratação fez com que a empresa recuasse no apoio a Bruno. Anteriormente, o Grupo anunciou que acreditava na ressocialização e no mercado de trabalho.

(Foto: Divulgação/Grupo Góis & Silva)
(Foto: Divulgação/Grupo Góis & Silva)

Site do Boa Esporte é hackeado

Além da perda de patrocínios, o Boa Esporte teve seu site hackeado, também na manhã deste domingo. A página inicial do endereço continha textos com estatísticas sobre violência contra a mulher e ameaças aos parceiros do clube, nos quais o autor do ataque garantiu que seriam as próximas páginas a serem invadidas.

"No Brasil, a taxa de feminicidios e de 4,8 para 100 mil mulheres. A quinta maior no mundo, segundo dados da Organizacao Mundial da Saude (OMS). Em 2015, o Mapa da Violencia sobre homicidios entre o publico feminino revelou que, de 2003 a 2013, o numero de assassinatos de mulheres negras cresceu 54%, passando de 1.864 para 2.875. a mesma decada, foi registrado um aumento de 190,9% na vitimizacao de negras, indice que resulta da relacao entre as taxas de mortalidade branca e negra. Do total de feminicidios registrados em 2013, 33,2% dos homicidas eram parceiros ou ex-parceiros das vitimas", dizia o texto.

O Boa Esporte, logo em seguida, anulou o ataque e deixou apenas uma página em branco. Até a noite deste domingo, o site ainda não tinha voltado ao normal.

(Foto: Reprodução/ Site Oficial Boa Esporte)
(Foto: Reprodução/ Site Oficial Boa Esporte)

Presidente do Boa emite nota oficial

O Facebook foi o local preferido pelo presidente do Boa Esporte, Rone Moraes da Costa, emitir uma nota oficial a respeito da contratação de Bruno. O mandatário do clube do Sul de Minas afirmou que não está cometendo crime ao contar com o goleiro, uma vez que o mesmo está em liberdade.

Rone garantiu acredita no trabalho para recuperar o ser humano e que "a regra legal brasileira é a que todos, inclusive os criminosos mais perigosos, sejam submetidos a um julgamento honesto, imparcial e que a lei seja o fundamento da punição". O mandatário concluiu a nota dizendo que o Boa Esporte cumpriu uma "obrigação social" ao contratar Bruno.

Confira a nota na íntegra:

O que dizer da contratação do atleta Bruno?

O Boa Esporte clube. Equipe de futebol profissional em Minas Gerais, clube reconhecido nacionalmente, sendo campeão Brasileiro da Série C. Convive nos últimos dias com uma avalanche de comentários nas redes sociais após noticia da contratação do atleta Bruno.

A cidade de Varginha que é conhecida pela possível aparição de um extraterrestre (ET) convive com a notícia da contratação do atleta Bruno.

A regra legal brasileira é a que todos, inclusive os criminosos mais perigosos, sejam submetidos a um julgamento honesto, imparcial e que a lei seja o fundamento da punição. Por sua vez, quando pensamos na aplicação da lei, certo ou não, suficiente o bastante ou não, justa o suficiente para o caso ou não, o que não podemos deixar de entender é determinado pelo cumprimento da lei. As consequências do erro humano possuem fundamentos de pena corporal. A lei dos homens indica a aplicação de penas variáveis de acordo de uma série de crenças, costumes e ideologias.

No Brasil os criminosos serão apenados com a prisão e, via de regras, colocados em liberdade, deve ser orientado, acompanhado e, não menos, pelo caminho de Deus.

Com certeza um dos motivos da evolução da pena que ela não seja transferida para outras pessoas, que seja pessoal, que não seja definida pela lei do Talião (olho por olho, dente por dente).

O tão procurado estado democrático de direito, a sociedade justa e fiel, a vida em sociedade, segundo critérios civilizados indicam de longa data que o criminoso colocado em liberdade deve ter atenção do estado, atenção suficiente para que possa restabelecer uma vida em sociedade. E ninguém pode negar que não existe vida em sociedade mais digna vida no trabalho. Quem nunca ouviu: o trabalho dignifica o homem? Então o argumento seria asqueroso, nojento ou imoral (a contratação do atleta Bruno), antes de mais nada, legalmente, faz parte da obrigação social da empresa, da sociedade em cooperar com a recuperação de um ser humano. Aqui não se condena a morte ou prisão perpetua. Enquanto isso não refletir a regra legal, a regra é que o egresso, o criminoso colocado em liberdade, possa obter meios de viver em sociedade, trabalhando e procurando dignidade em sua vida.
Onde estaria a contribuição de uma empresa esportiva quando cumpre a lei? Diante desses argumentos podemos afirmar que o Boa Esporte Clube não foi o responsável pela soltura e liberdade do atleta Bruno, mas o clube e sua equipe, enquanto empresa e representada por seres humanos, dotada de justiça e legalidade, podem dizer que tentam fazer justiça ajudando um ser humano, mais, cumprem a legalidade dando trabalho a quem pretende se recuperar.

O Boa Esporte Clube não esta cometendo nenhum crime conforme a legislação Brasileira e perante a lei de Deus.

Boa Esporte Clube.
Rone Moraes da Costa
Presidente

VAVEL Logo