Com mistério na escalação, Avaí visa reverter vantagem da Chape no primeiro jogo da decisão
Cada equipe venceu um dos confrontos neste ano (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Dominantes, cada um em um dos turnos do Campeonato CatarinenseAvaí Chapecoense começam a decidir a edição de 2017 do Estadual de Santa Catarina. O Leão venceu o primeiro turno de forma invicta, enquanto a Chape venceu sete jogos seguidos no returno e só perdeu na rodada final, quando já tinha sua vaga garantida na final.

No último encontro entre as equipes, a Chapecoense venceu na Arena Condá por 2 a 0, com gols de Andrei Girotto e Arthur Caike. Já no jogo do primeiro turno, em Florianópolis, o Avaí derrotou a Chape por 3 a 0. Em 144 confrontos na história, foram 51 vitórias de cada lado, além de 42 empates.

Pela melhor campanha somando os dois turnos, a Chapecoense tem a vantagem de jogar a partida em casa, além de jogar por dois resultados iguais, ou por mesma diferença de gols.

Claudinei não confirma escalação e destaca importância de sair na frente em casa

O Avaí vive provavelmente sua pior fase na temporada. Após um ótimo começo, com título invicto do primeiro turno do Catarinense, o Avaí já não vence a quatro jogos - dois empates e duas derrotas. Na última rodada da fase classificatória, o Avaí entrou em campo com o time reserva e perdeu para o Inter de Lages por 2 a 0.

Em relação às últimas partidas, o técnico Claudinei Oliveira terá à disposição o seu artilheiro, Denílson, que marcou oito gols no Estadual e estava fora com um problema na sola do pé. Apesar do número de gols marcados, o atacante ainda não está confirmado entre os titulares, já que o treinador alternou o time nos treinamentos, escolhendo sempre dois entre o próprio Denílson, Diego Jardel e Rômulo no XI principal.

"Preferimos não entregar a equipe no treino. Na minha cabeça eu já tenho o time. Os jogadores sabem quem vai jogar, mas deixem eles pensarem um pouquinho", disse o treinador.

Claudinei destacou a qualidade do rival e do trabalho de Vagner Mancini nesse trabalho de recuperação da Chapecoense em 2017. O técnico vê vantagem para o Avaí por conta do cansaço do rival, que jogou quinta-feira (27) no Uruguai, enquanto seu time focou na decisão, mas prevê uma final equilibrada.

"Eles saíram de madrugada, isso pesa um pouco. Você não dorme tão bem... A gente teve essa condição de semana que ficamos aqui e trabalhamos. Ele tem peças de reposição à altura, é uma pequena vantagem, mas entendo que isso prejudica um pouco eles, mas eles têm elenco para colocar um grande time em campo​. A gente sabe da qualidade do trabalho do Mancini, do grupo que ele tem. Se precisar trocar uma peça ou outra ele tem elenco para isso. Tem como fazer um rodízio de atletas. Agora, se perder, não quer dizer que tudo tá ruim e isso vale também para nós", analisou.

O treinador do Avaí também destacou a importância de sair com um bom resultado de Florianópolis, por conta da força que a Chape sempre mostra diante de sua torcida. "O ideal é que a gente consiga sair daqui com uma vantagem a nosso favor, uma vitória mínima para que o empate nos possa favorecer. O que não pode acontecer é a gente ter um resultado adverso aqui, o que complica muito. Não é determinante, mas não podemos perder por uma diferença de um ou dois gols, complica demais. É impossível ganhar lá? Não é. O ideal é recuperar a vantagem para ir para Chapecó mais tranquilo e conquistar o titulo lá".

Chape quer superar derrota no Uruguai para focar na final

Apesar da grande campanha no returno do Estadual, onde somou sete vitórias, um empate e apenas uma derrota - já com time reserva, na última rodada -, a Chape acabou derrotada por 3 a 0 para o Nacional-URU, fora de casa, o que deixou a situação do clube na Libertadores muito complicada.

Diferente do Avaí, que foca todas as suas forças nesse primeiro semestre para o Estadual, a Chape, além da Libertadores, ainda entrará em campo por Copa do Brasil e Recopa Sul-Americana nas próximas semanas. Apesar de todos esses compromissos importantes, o zagueiro Grolli destacou a relevância da final estadual, deixando para trás os resultados das outras competições.

"Temos que estar confiantes. Vínhamos em um bom momento, e um jogo atípico não pode nos abater. Estamos motivados para buscar esse título tão importante", reforçou.

Em relação ao jogo de Montevidéu, Vágner Mancini deve abandonar o sistema de três zagueiro e manter Grolli e Nathan na zaga. Assim, a dúvida recai sobre a escalação de Apodi: se jogar, João Pedro é deslocado para o meio-campo. A outra opção é a Chape entrar com mais um volante - Moisés Ribeiro -, e com João Pedro na função de lateral-direito.

VAVEL Logo