De Villalobos a Telê Santana: Fluminense e a sina de artilheiros no Estádio Centenário
De Villalobos à Telê Santana: Fluminense e seus artilheiros no Estádio Centenário

Richarlison, Wellington e Henrique Dourado terão a chance de quebrar um longo tabu nesta quarta-feira (10), ao enfrentar o Liverpool-URU, às 21h45, pela Copa Sul-Americana: podem fazer o Fluminense voltar a marcar um gol no Estádio Centenário após 65 anos e valer a mística de grandes artilheiros tricolores no maior palco do futebol uruguaio.

De Silas à Fred, são 73 anos de história. Em 1944, coube a Pinhegas marcar o primeiro gol da história tricolor no Centenário - na derrota por 4 a 1 diante do Peñarol, pelo Torneio Quadrangular. De lá pra cá, o cargo de maior artilheiro é ocupado pelo peruano Jesus Villalobos, autor de sete gols. Logo depois, o histórico Telê Santana, com cinco.

MAIORES ARTILHEIROS DO FLUMINENSE NO CENTENÁRIO
GOLS
Villalobos 7 gols
Telê Santana 5 gols
Silas 3 gols

E os 65 anos de tabu se iniciaram em 1972, no último gol marcado pelo Fluminense em solo uruguaio: em amistoso contra o Nacional, Silveira marcou de pênalti aos 5 minutos do primeiro tempo, mas sua equipe levar a virada e terminar derrotada por 2 a 1. Foi a última vez no país até 2011, quando retornou para disputa da Copa Libertadores, mas terminou zerado. Em 2017, nova chance de reescrever a história.

O Liverpool-URU costuma mandar seus jogos em Belvedere, estádio com capacidade para 7 mil torcedores, mas que não tem a permissão da Conmebol para sediar uma partida internacional. Com isso, transferiu o confronto para o Centenário, palco onde o Fluminense não tem bom retrospecto: são 27 jogos com apenas seis vitórias, nove empates e 12 derrotas.

 

VAVEL Logo