Chapecoense é goleada pelo Atlético Nacional e fica com vice da Recopa Sul-Americana

Na noite desta quarta-feira (10), Atlético Nacional e Chapecoense escreveram mais um capítulo emocionante na história do confronto que comove a todos desde o trágico acidente aéreo, ocorrido em novembro de 2016. Valendo o título da Recopa Sul-Americana, o time verdolaga teve atuação impecável e venceu a partida por 4 a 1, gols de Dayro Moreno e Ibargüen, duas vezes cada. Túlio de Melo descontou.

Acreditando em uma virada após perder na Arena Condá por 2 a 1, a torcida do Atlético Nacional lotou as arquibancadas do Atanasio Girardot e protagonizou uma bela recepção aos times, com direito a um grande mosaico. Em campo, o Nacional retribuiu a grande recepção com bela partida.

Com cinco derrotas nas últimas seis partidas, a Chape agora "vira a chave" e liga o alerta para o começo do Campeonato Brasileiro. O Verdão estreia na competição contra o Corinthians, fora de casa, no sábado (13).

Gol relâmpago e domínio colombiano

Jogadores do Atlético Nacional comemoram segundo gol (FOTO: Raul Arboleda/Getty Images)

Precisando vencer, os donos da casa partiram pra cima da Chapecoense assim que a bola rolou. E logo no primeiro minuto de partida, o time verdolaga aproveitou falha defensiva brasileira para abrir o placar. Moreno recebeu passe enfiado na entrada da área, avançou e chutou cruzado. A bola passou por baixo de Arthur Moraes e balançou as redes. 

O gol relâmpago foi um balde de água fria no time de Chapecó, que nitidamente se abateu em campo. Os colombianos se aproveitaram da instabilidade do adversário e seguiram pressionando, dominando o meio de campo e oferecendo grande perigo ao gol de Arthur. O nervosismo do Verdão foi se traduzindo em faltas, cartões amarelos e pouquíssimas jogadas ofensivas.

Aos 31 minutos, em nova desatenção da defesa da Chape, Macnelly Torres deu belo passe para Ibargüen, que dominou com espaço, cortou a zaga e chutou forte no canto esquerdo de Arthur, que nada pôde fazer. O 2 a 0 fez explodir as arquibancadas do Atanasio Girardot. Em meia hora de jogo, o Nacional já dobrava o placar que precisava para ser campeão.

Acuada pelo ótimo primeiro tempo do rival, a Chapecoense foi para o vestiário sem ter criado nenhuma chance de perigo ao gol de Armani.

Tentativa de reação termina em goleada

Ibargüen comemora seu segundo gol na partida (FOTO: Luis Acosta/Getty Images)

A Chape voltou para os 45 minutos finais obstinada a mudar a história do jogo. Tentando responder na mesma moeda, o time brasileiro chegou com perigo logo no minuto 1. João Paulo fez belíssima jogada individual e achou Artur Caike dentro da pequena área. O camisa 17 finalizou fora do alcance de Armani. A bola ia cruzando a linha, quando o zagueiro Alexis Henríquez conseguiu afastar, impedindo o gol.

O lance animou o Furacão do Oeste, que passou a partir pra cima dos donos da casa. Mais veloz, incisivo e agressivo, o time de Chapecó foi pra cima, uma vez que, nesta altura da partida precisava apenas de um gol para decidir a taça nas penalidades.

Entretanto, a reação do time de Chapecó foi freada no minuto 22. Ibargüen, um dos nomes da partida, fez bela jogada individual pra cima de Apodi e cruzou na área. O atacante Rodríguez aparou de cabeça para Dayro Moreno, que só teve o trabalho de escorar para o fundo das redes. A bela atuação ofensiva do time verdolaga se transformou em goleada aos 35 minutos, quando Ibargüen recebeu lançamento longo, dominou e chutou mascado, encobrindo Arthur. 

Com 4 a 0 de desvantagem, restou a Chape buscar seu gol de honra. Ele veio aos 38, através de Túlio de Melo. Precisando de dois gols em menos de 10 minutos, o time brasileiro ainda esboçou buscar o milagre, mas a missão ficou ainda mais crítica quando Andrei Girotto foi expulso, aos 43. Nos minutos finais, o Nacional só administrou o resultado e esperou o apito final.

VAVEL Logo