Brasil de Pelotas e Londrina fazem jogo equilibrado e empatam para somar primeiro ponto
Foto: Carlos Insaurriaga / G.E. Brasil

O Brasil de Pelotas recebeu o Londrina pela segunda rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Em um jogo muito movimentado, o Brasil saiu na frente com Rodrigo Silva de pênalti e o Londrina chegou a igualdade no início do segundo tempo, em tento marcado por Jonatas Belusso. A partida decaiu em nível técnico e o placar ficou mesmo no 1 a 1.

Na 3ª rodada, o Xavante joga fora de casa contra o Goiás, na sexta-feira (26). O Londrina volta a seus domínios diante do Luverdense, no sábado (27). A rodada da B tem complemento até o próximo sábado e Brasil e Londrina começam o torneio na luta para fugir da parte de baixo da tabela.

O Brasil teve mudanças drásticas na escalação. O meio campo ficou composto com os remanescentes volantes Leandro Leite e João Afonso, as novidades de Rafinha, com Bruno Lopes e a volta de Elias, contando com Rodrigo Silva mais à frente. O Londrina teve os reforços de Jardel e Jonatas Belusso para o campeonato e ambas as equipes entram em tendência de melhorar o desempenho nas próximas rodadas, para atingir suas primeiras vitórias.

Jogo é disputado e Xavante abre o placar de pênalti

A primeira grande chance veio com Rodrigo Silva, aos 4 minutos. O lateral-direito Wender cruzou, Rodrigo disputou na área, a bola se ofereceu para seu arremate e ele mandou à esquerda da meta, quase abrindo o placar.

A primeira chance do Londrina veio somente a 15 minutos. O meia Jardel, ex-Novo Hamburgo, cobrou falta da direita e Ícaro cabeceou para fora, sem perigo. As equipes estavam compactadas e o jogo era concentrado no meio de campo. Era um duelo entre dois técnicos de bastante experiência, não só no futebol, como em suas respectivas equipes.

O Londrina melhorava e tentou entrar pelo meio da defesa. Na sobra de Wender, Artur ajeitou e chutou fraco de perna esquerda, fazendo a bola sair pelo fundo de campo. No minuto seguinte, aos 18', o lateral Lucas Ramon avançou com espaço e chutou cruzado para fora.

O Brasil voltou ao perigo na bola parada. Escanteio da esquerda, o goleiro Zé Carlos parecia ter o controle da jogada, mas largou a bola e quase Bruno Lopes aproveitou, só que atingiu o goleiro na dividida e o jogo ficou parado. Com a bola voltando a rolar, somente a 28 minutos Elias teve boa chance. Era superioridade numérica xavante no lance, mas ele resolveu arriscar de fora da área e mandou à esquerda da meta.

A 32 minutos, bola na área do Londrina e toque de mão de Ícaro: o árbitro marcou o pênalti na jogada de Rafinha. Quem cobrou a penalidade máxima foi Rodrigo Silva, que chutou para esquerda e o goleiro pulou para o canto oposto: 1 a 0. Foi o primeiro tento do atacante com a camisa rubro-negra em oito jogos.

A 41 minutos, Marlon encontrou espaço para cruzar da esquerda, Bruno Lopes fechava na área, mas tocou fraco e o goleiro Zé Carlos defendeu firme. No minuto seguinte, nova tentativa de ampliação do placar, mas o chute de João Afonso passou ao lado da trave. Mas a chance mais clara antes do intervalo veio em passe milimétrico de Celsinho e Elton entrou na área para chutar à esquerda da meta. Grande chance pelo empate, mas primeiro tempo finalizado na sequência.

O Brasil finalizou mais vezes (9 a 7) e errou menos passes, possuindo mais jogo aéreo em relação ao adversário. O placar ficou no solitário gol de pênalti de Rodrigo Silva.

Londrina empata e garante ponto somado no extremo sul

As equipes não mexeram nas escalações no intervalo. A primeira chance da volta foi com finalização forte de Elias pela meia lua da área, o goleiro Zé Carlos espalmou e Wender chutou por cima no rebote, em grande oportunidade de ampliar.

Em um lance estranho, o gol do Londrina foi assinalado para Jonatas Belusso. O passe do Londrina veio da direita, o atacante dividiu com o zagueiro e com o goleiro e a bola correu para ultrapassar a linha. O assistente e o árbitro confirmaram o gol aos 7 minutos: 1 a 1 em Pelotas.

Com o placar igualado, o Brasil novamente tentou tomar a dianteira. Chute de longe aos 10 minutos, Bruno Lopes desviou com o pé e a bola passou próxima da meta. Minutos depois, João Afonso chutou de longe e o goleiro Zé Carlos deu um rebote estranho, tendo que tirar no carrinho na sequência.

A partida ficava aberta e o Londrina perdeu chance na área com a presença de Artur. Eduardo Martini saiu nele, Artur tirou do goleiro, mas João Afonso estava esperto para cortar a bola na defesa.

Aos 15 minutos, o técnico Zimmermann tirou Bruno Lopes e propôs a estreia do meia Wagner. Mas na primeira participação do jogador, ele tomou cartão amarelo ao atingir Ícaro. Outra cartada do treinador xavante foi colocar Marcinho no lugar de Rafinha, jogador aplaudido pela torcida. No Londrina, saiu Celsinho e entrou Rafael Gava.

O ritmo decaiu e as mudanças não proporcionavam melhores oportunidades para haver um vencedor. A maior emoção no decorrer do segundo tempo foi a informação do longo acréscimo de quatro minutos, que foram aumentados para seis pelo árbitro. Em jogada na área, Rodrigo Silva chegou a desviar a bola, mas Zé Carlos estava atento e pegou firme. Foi o último lance de perigo, finalizando a peleia em empate por 1 a 1.

VAVEL Logo