Thiago Silva retoma posto de titular e capitão na Seleção Brasileira e conta com voto de confiança de Tite
Thiago enfrenta a Argentina como titular e vê chance de recomeço na Seleção (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

No amistoso entre Brasil e Argentina nesta sexta (9), a braçadeira de capitão da Canarinho voltará ao braço de um velho conhecido: Thiago Silva. O zagueiro passou dois anos afastado da Seleção Brasileira após uma série de desentendimentos posteriores à Copa do Mundo de 2014, e retomará sua titularidade no clássico continental com o voto de confiança do treinador Tite. 

Críticas e erros contribuíram para afastamento de Thiago Silva da Seleção

Desde a Copa do Mundo de 2014, diversos episódios desagradáveis contribuíram para um afastamento  entre Thiago Silva e a Seleção Brasileira. Nas disputas de pênalti contra o Chile nas oitavas de final da Copa 2014, Thiago mostrou-se visivelmente abalado e preferiu não bater. O episódio deu início a uma série de críticas que viriam a prejudicar a imagem do zagueiro, que à época era capitão da Canarinho. Na mesma Copa, Thiago recebeu o terceiro cartão amarelo e foi suspenso da semifinal contra a Alemanha – a famosa partida do 7x1.

Thiago também ganhou visibilidade negativa ao criticar abertamente as substituições na capitania da Seleção. Em 2014, ao ser convocado para amistosos contra Turquia e  Áustria, o zagueiro perdeu a braçadeira para Neymar Jr. e foi a público demonstrar sua insatisfação. Dunga, então treinador da Seleção Brasileira, não aprovou a atitude.  

A situação de Thiago Silva tornou-se instável dentro da Seleção Brasileira a ponto de o zagueiro ser criticado pelo próprio presidente da CBF, Marco Polo Del Nero. Nas quartas de final da Copa América 2015, Thiago cometeu um pênalti imprudente ao colocar a mão na bola dentro da área. Adversário do Brasil, o Paraguai converteu a penalidade e a Seleção foi precocemente eliminada do torneio. Marco Polo, em entrevista, atribuiu a culpa da eliminação ao erro de Thiago: “A nossa seleção foi desclassificada por erro de um atleta”, afirmou o presidente.

Chance de recomeço na Seleção e voto de confiança de Tite

Das 35 partidas que foram disputadas pela Seleção desde a Copa de 2014, Thiago só esteve presente em nove delas. Com Dunga, a eliminação na Copa América foi a última vez em que o zagueiro vestiu a camisa da Canarinho. Nesta sexta, Thiago enfrenta a Argentina como titular e retorna à Seleção com a benção e o voto de confiança de Tite.

Em entrevista, Thiago falou sobre a sua alegria de voltar a atuar pela Seleção Brasileira e reforçou que seu principal objetivo é contribuir para o bem da equipe: “Tenho alguns sonhos ainda como profissional. Sou bastante sonhador e trabalhador também, porque não basta sonhar. Há dois jogadores excelentes na função, Marquinhos e Miranda, mas só voltar me deixou extremamente feliz, e quem está feliz faz as coisas com naturalidade. Isso me dá tranquilidade para trabalhar, ajudar a Seleção é o principal objetivo”, afirmou o defensor.

O zagueiro falou ainda sobre a responsabilidade de liderar os jogadores em campo e disse estar convicto da confiança de Tite em seu trabalho. “Encaro com naturalidade, a partir do momento em que o Tite me convocou para a Seleção é porque ele tinha confiança no meu trabalho. Essa coisa de ser capitão, o mais importante é ter o respeito do meu treinador, da minha comissão técnica e, principalmente, dos meus jogadores que terei de liderar. Procuro ser sempre o Thiago Silva, verdadeiro no que faço e falo. É assim que eu vivo minha vida”, completou Thiago.

A partida desta sexta marca o recomeço de Thiago Silva com a camisa da Canarinho. Em partida amistosa, Brasil e Argentina disputarão o maior clássico das Américas em Melbourne, Austrália.

 

VAVEL Logo