Jair Ventura cobra mais eficiência e lamenta desfalques para jogo diante do Coritiba
(Foto: Divulgação/Botafogo)

Os atletas do Botafogo treinaram na manhã dessa sexta-feira (09) visando a preparação para o duelo diante do Coritiba, no Estádio Nilton Santos, domingo (11). A atividade contou com novidade, a presença do meia Marcus Vinícius, que está em fase final de exames para assinar o contrato.

Quem também treinou normalmente foi Montillo, que voltou de lesão contra o Santos. Já Victor Luís foi a campo para iniciar o trabalho de transição, mas é baixa devido a torção no joelho. O zagueiro Emerson Silva também participou das atividades e deve ser relacionado para o próximo confronto. Jair Ventura comentou sobre os desfalques e voltas de alguns jogadores após o trabalho.

"Camilo continua fora, não está treinando nem no campo ainda. Gatito dever ir para o jogo normalmente. No caso do Montillo não posso dar certeza se começa jogando, o Coritiba está nos analisando. É uma possibilidade. Não é legal ficar sem bons jogadores. É gratificante por um lado, quando conseguimos manter o mesmo padrão. As peças podem mudar mas a parte tática continua igual. Eles são muito obedientes", completou. 

A preocupação atual da equipe é o setor ofensivo, que vive momento crítico, foram apenas três gols no campeonato e todos marcados pelos volantes, além das chances claras disperdiçadas. 

"Minha preocupação é a dificuldade do Brasileiro. Mas confio em meus atacantes, sei que serão decisivos. O Roger já falou comigo, disse pra ele que foi decisivo em outros momentos, como na Copa do Brasil. O Pimpão na Libertadores. Aqui não tem vilão, a responsabilidade é minha", afirmou o comandante. 

O treinador do Glorioso lembrou que ainda não é possível fazer uma projeção até o fim do Brasileirão. Relembrou ainda a importância de se preparar a cada jogo e da arrancada de 2016: "Não programamos os pontos que vamos ganhar ou perder. A gente trabalha pensando jogo a jogo. Temos que jogar bem fora de casa. Conseguindo as vitórias em casa, temos que vencer fora, se almejamos voos maiores. Ano passado foi assim. Fiquei feliz porque vi a imprensa falando que fomos melhor que o Santos, mas ficou um gosto ruim pois jogamos bem", disse o técnico. 

Uma das principais ansiedades entre os torcedores botafoguenses é a volta do camisa 1, Jefferson, que vem trabalhando e realizando algumas partidas amistosas para ganhar ritmo. A dúvida que ronda General Severiano é como Jair vai conciliar o a volta do arqueiro com a boa fase de Gatito, mas o treinador esclareceu: 

"O Jefferson é um grande goleiro, tem uma história linda dentro do Botafogo, mas já conversou comigo. Ele quer ser tratado igual a todos. Vai esperar a oportunidade chegar. A meritocracia serve pra todos. Estamos dando o tempo que ele precisa parar ter confiança, sentir-se seguro. Quando eles estiver confortável vai ser relacionado".

Ainda na coletiva, analisou o próximo adversário da rodada e não exitou em pedir atenção: "Eles têm sete jogadores de frente para definir. O terço final me preocupa. Isso é um ponto positivo deles. É uma situação pra se ter bastante atenção, é um time leve. Vejo o Coritiba, pelo elenco e pela força, com tudo para fazer um grande Brasileiro".

VAVEL Logo