Jair lamenta empate e destaca falta de planejamento: "A conta vai chegar e serei eu a pagar"
(Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

O Botafogo empatou com o Coritiba por 2 a 2 na manhã deste domingo (11) no Nilton Santos, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Após o jogo, o técnico Jair Ventura concedeu entrevista coletiva à imprensa.

O técnico alvinegro comentou sobre os pontos perdidos em casa, os primeiros no Campeonato Brasileiro, e também elogiou a boa equipe do Coritiba.

“Vencer jogando em casa é obrigação. Mais uma vez paramos de jogar no fim. Nos criamos, lutamos, tivemos excelentes chances, uma até com o Montillo, mas não fizemos. O Coritiba é uma boa equipe, tinha jogadores leves para o fim do jogo”

Jair deu sequência a entrevista falando da oportunidade aos jovens da base e se usou de exemplo quando teve chance: “Eu tive minha oportunidade contra o São Paulo e abracei. Todos terão suas chances. Os atletas que eu tiver, eu vou usar. Não posso tirar um cara do departamento médico para jogar. Quem jogar mal vai ficar para trás.”, disse o treinador.

O comandante do time do Glorioso destacou os bastidores do alvinegro e elogiou muito o meia João Paulo, que perdeu um parente na sexta-feira (9) e ainda sim quis atuar hoje (11).

“Vocês não sabem o que acontece dentro do elenco. O João Paulo perdeu o avô na sexta-feira (9) e eu o liberei da concentração, mas ele me pediu parar jogar, fez questão. Mérito para ele e para os outros pelo profissionalismo de sempre.”

O treinador falou sobre Montillo, que volta aos poucos de lesão e busca a forma física ideal. O meia entrou novamente no jogo de hoje e quase marcou um gol, mas parou em Wilson, goleiro do Coritiba.

“O Montillo precisa de ritmo. Ficou dois meses fora e veio da China, temos de ir com calma. Ainda não é o momento dele ser titular. Se estiver 100% fisicamente, dispensará apresentações. Achei que o Coritiba cansou na segunda etapa mas não conseguimos o gol. Prefiro ir usando-o no final das partidas.”

Perguntado sobre a dupla Camilo e Montillo, Jair deixou claro que pode usar os dois: “Preciso de pelo menos um dos dois. Se eu tiver ambos, serão titulares. Vou abrir espaço para os dois”, afirmou.

Por fim, o técnico do Botafogo reclamou da falta de opções no ataque e teme “pagar o pato” pela falta de planejamento da diretoria, já que só tem um atacante no elenco estando no meio do ano.

“Estamos chegando na fase mais importante  da temporada com menos atletas. No momento mais decisivo estamos com menos jogadores. Eu tinha Sassá e Joel, hoje eu só tenho o Roger. Uma hora essa conta vai chegar e serei eu a pagar ela. Quando aceitei o desafio eu sabia. Vamos ver até aonde a gente consegue ir.”

VAVEL Logo