Botafogo viaja para enfrentar Nacional-URU em primeiro jogo das oitavas da Libertadores
Reprodução/ Botafogo

Nacional e Botafogo darão o pontapé inicial no confronto das oitavas de final da Taça Libertadores da América nessa quinta (06) no Estádio Gran Parque Central, em Montevidéu, já que a equipe uruguaia terminou a fase de grupos em segundo lugar e, consequentemente, a equipe carioca terminou como líder de sua chave.

O Nacional pode se considerar como um time muito sortudo, já que chegou nessa fase de mata-mata por conta da desclassificação da Chapecoense por causa da escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio. No Grupo 7, o Rey de Copas se classificou com 8 pontos, com 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas, superando a equipe catarinense e o Zulia, da Venezuela, mas ficando atrás do Lanús, que ficou em primeiro.

Por sua vez, o Botafogo possui umas das mais difíceis campanhas até aqui. Vindo da Pré-Libertadores, o Glorioso eliminou os gigantes Colo-Colo e Olimpia. Sem facilitar, esteve no Grupo 1, um dos considerados mais difíceis, ao lado de Atlético Nacional, Estudiantes e Barcelona de Guayaquil. Com uma campanha de 10 pontos, com 3 vitórias, um empate e 2 derrotas, conquistou a primeira colocação do grupo, graças ao critério de saldo de gols, passando junto com a equipe do Equador.

Em toda a história, Botafogo e Nacional se enfrentaram apenas duas vezes, ambas em 1973, na Taça Libertadores daquele ano. Nos confrontos, duas vitórias para a equipe brasileira: no Rio de Janeiro, triunfo por 3 a 2 com dois gols de Marinho Chagas e um de Jairzinho. Em Montevidéu, o resultado foi de 2 a 1, com Jairzinho marcando mais uma vez e Roberto completando o marcador.

Apesar do histórico favorável ao clube de General Severiano, o Nacional, no ano passado, provou ser o algoz de muitos times brasileiros. Na fase de grupos, derrotou o Palmeiras tanto em São Paulo quanto em Montevidéu, garantindo o segundo lugar da chave e eliminando o Alviverde. Na fase seguinte, desbancaria o Corinthians em plena Arena, em Itaquera, com um empate de 2 a 2 – em Montevidéu a partida terminou sem gols – aproveitando-se do critério de desempate dos gols marcados fora de casa.

Nacional: momento é favorável, mas lesão desanima

Desde a sua última partida na Taça Libertadores, contra o Lanús, a equipe uruguaia não soube mais o que é perder: em seis partidas, 5 vitórias e apenas um empate, o que rendeu-lhe a liderança do Grupo B do Torneio Intermedio – é bom ressaltar que apenas o primeiro colocado de cada chave garante vaga na grande final. Na última partida, o Rey de Copas derrotou o Sud America por 3 a 0, com Sebastian Fernandez marcando duas vezes e um gol-contra de Julián Perujo.

Se por um lado, o momento é favorável, a preocupação com a equipe de Montevidéu é em relação ao atacante Rodrigo Aguirre, emprestado pela Udinese, que se machucou e ficará de fora do confronto. Principal nome da equipe, o atleta vinha de cinco gols nas últimas quatro partidas disputadas. Hugo Silveira, artilheiro da equipe na Taça Libertadores, deverá herdar o lugar no time titular, que é montado pelo treinador Martin Lasarte em um 4-2-3-1, aproveitando a velocidade de Sebastian Fernández e Tabaré Viudez, que jogam pelos lados do campo ofensivo.

“Bom, nós temos a esperança de eliminarmos o Botafogo e passarmos às quartas de final. Temos uma boa equipe, e creio que vai ser uma disputa equilibrada. Esperamos fazer bons jogos tanto em Montevidéu quanto no Rio. Também te digo que a partir da última Libertadores, o Nacional tem tido muito bons resultados contra times brasileiros.”, afirmou José Luis Rodriguez, o presidente do clube uruguaio.

Com “experiência” ao jogar contra camisas pesadas, Botafogo tenta continuar surpreendendo

Desde o último compromisso da equipe da estrela solitária na competição, muita coisa mudou – como por exemplo as saídas de Sassá e Montillo, e uma quantidade enorme de lesões. Apesar disso, a equipe treinada por Jair Ventura não perdeu o seu padrão e continua sendo um tormento para qualquer um que o desafie. Apesar disso, o Alvinegro saiu derrotado no seu último compromisso, válido pelo Campeonato Brasileiro, pelo Corinthians por 1 a 0, em São Paulo.

Fora dos últimos três compromissos da equipe por estar machucado, o volante Matheus Fernandes voltará à equipe titular no lugar de Camilo, que vem sendo alvo de críticas por parte da torcida. Dessa maneira, o Botafogo terá João Paulo atuando um pouco mais à frente no setor de meio campo, como um exímio camisa dez. Além disso, o lateral Arnaldo, que não estava inscrito na fase anterior, teve sua situação regularizada e provavelmente começará no onze inicial.

Um dos fatores mais surpreendentes do Alvinegro até aqui é a habilidade de conseguir jogar contra camisas tradicionais e que têm um grande peso, devido à suas histórias. Dessa vez, não será diferente: o Nacional possui 3 Libertadores e 46 campeonatos nacionais. Porém, é bom ressaltar que o Alvinegro já deixou Olimpia, Colo-Colo, Atlético Nacional e Estudiantes pelo caminho, sendo taxado como “exterminador de campeões”.

“Lutamos muito para chegar até aqui no ano passado, lutamos muito na Pré-Libertadores, na fase de grupos. Não vai ser agora que vamos vender barato. É ter o mesmo empenho, nossa equipe pode ter todas as dificuldades, mas entrega não pode deixar de ter.”, disse Jair Ventura em entrevista coletiva. 

VAVEL Logo