Melhores defesas da Série B, Paraná e América-MG empatam na Vila Capanema
(Foto: Robson Mafra/Paraná Clube)

Na noite desta sexta-feira (8), na Vila Capanema, em Curitiba, Paraná e América-MG fizeram jus ao título de melhores defesas da Série B. Pela 12ª rodada da Segundona, os times empataram em 1 a 1, em um jogo com pouquíssimas oportunidades de gol. Renan Oliveira marcou para o Coelho na etapa inicial, enquanto Gabriel Dias igualou para os donos da casa no segundo tempo.

Com o empate, o Paraná perdeu a oportunidade de se aproximar do G-4, e dependendo os resultados da rodada, pode ser ultrapassado por mais quatro equipes, deixando a oitava colocação. Na próxima terça-feira (11), o Tricolor visita o Vila Nova, no Serra Dourada, em Goiânia, às 20h30.

Já o América, com 20 pontos, mantém a boa fase. O Coelho chegou ao sexto jogo de invencibilidade, sendo três empates e três vitórias. O time comandado por Enderson Moreira ocupa o terceiro lugar na tabela, porém, corre o risco de sair do G-4 caso Vila Nova e Internacional vençam os seus compromissos. Na terça-feira (11), às 20h30, o Coelho recebe o Boa Esporte, no Independência.

Goleiros brilham, mas em jogada de bola parada, Coelho sai na frente

Como já se previa, a partida entre as equipes menos vazadas (sete gols até o início da rodada) do campeonato seria bastante equilibrada. Um bom sistema defensivo começa pelo goleiro, e os times mostraram que até mesmo nesse quesito a igualdade iria prevalecer.

Na primeira boa jogada no ataque, aos dez minutos, o zagueiro Brock fez um belo lançamento por elevação para Robson, que chegou à linha de fundo e cruzou para o estreante João Pedro. O meia, no entanto, demorou a tomar a decisão, e nesse período, o goleiro João Ricardo praticou uma excelente defesa.

O arqueiro paranista viria a responder na mesma dose sete minutos depois. Pelo lado esquerdo, Hugo Cabral fez boa jogada e cruzou para área, encontrando Renan Oliveira que tentou chutar direto, mas a bola sobrou para Bill, na pequena área. Então o atacante chutou, mas, atento no lance, foi a vez de Richard, caído, impedir o gol do América.

Os dois lances perigosos no início não representaram o que foi primeiro tempo. Com o jogo muito pegado no meio-campo, poucos lances foram construídos depois das excelentes intervenções dos goleiros. Até que aos 42 minutos, João Ricardo apareceu novamente.

Em uma saída errada do lateral-esquerdo Pará, Robson ficou com a bola e deixou João Pedro em ótimas condições para abrir o marcador. Porém, de frente para o gol, o meia-atacante tentou tocar entre as pernas de João Ricardo, que em um rápido toque desviou a bola para escanteio.

No lance seguinte, enquanto descia em contra-ataque, o América teve uma falta na intermediária. O lance, aparentemente, não iria resultar em muita coisa. Mas o Coelho tinha algo para tirar da cartola. Pará cobrou a falta levantando a bola para a área, Messias cabeceou para o meio, e Renan Oliveira, livre de marcação, testou para gol. Paraná 0, América-MG 1.

Paraná busca o empate, tem jogador e técnico expulsos, e não consegue a virada  

Jogando em casa, o Paraná tratou de correr atrás do prejuízo logo no início da etapa complementar. Mas pelo meio-campo o time tinha dificuldade, então os anfitriões tentaram através da bola parada, e assim chegaram ao empate. Aos sete minutos, Renatinho cobrou o escanteio e, Gabriel Dias, na primeira trave, desviou para o fundo da rede, empatando o jogo na Vila Capanema.

Com o empate, em tese, o time da casa deveria buscar a virada. Mas o que se viu em campo foi um jogo burocrático de ambas as equipes. Disputado intensamente entre as intermediárias, mas sem muita inspiração dos setores de criação.

No minuto 23, Rayan, que antes havia levado cartão amarelo por fazer falta em Renan Oliveira, levou o segundo por dar um pisão em Luan e, por conseqüência, acabou sendo expulso, deixando o Paraná com um jogador a menos.

Em vantagem numérica, o Coelho encurralou o Paraná, mas o bom sistema defensivo do Tricolor soube suportar as investidas americanas. Quem também desceu para o vestiário mais cedo foi o técnico Cristian de Souza, expulso pelo excesso de reclamações.

Parecendo satisfeito com o empate fora de casa, o América ameaçou o goleiro Richard apenas uma vez depois que ficou com um jogador a mais. O arqueiro paranista, no entanto, defendeu sem grandes dificuldades. No fim, o empate acabou traduzindo o que foi o jogo. 

VAVEL Logo