Micale vê derrota para Flu como injusta e naturaliza opção por Fred e Robinho na reserva
Abel Braga e Rogério Micale concordaram sobre alternância de domínio entre os tempos (Foto: Bruno Cantini/Atlético MG)

O Atlético-MG perdeu sua nona partida no campeonato, para o Fluminense. Em jogo válido pela 21ª rodada do campeonato, o time tricolor venceu no Maracanã, nessa segunda-feira (22), chegou aos 30 pontos e alcançou a sétima colocação, vislumbrando estar entre os seis primeiros já na próxima rodada. Enquanto isso, o Galo termina a rodada na 13ª colocação, a quatro pontos de diferença do G-6 e apenas três da zona do rebaixamento.

O técnico Rogério Micale chega a seu sétimo jogo no comando do Galo. O retrospecto conta com três derrotas e duas vitórias no Campeonato Brasileiro e duas eliminações, pela Copa do Brasil e pela Copa Libertadores. Ele esteve à frente da equipe alvinegra apenas na segunda partida das duas decisões, já que chegou após o então treinador Roger Machado já ter jogado a partida de ida.

Na partida contra o Fluminense, o Galo saiu atrás e foi para os vestiários perdendo por 1 a 0. No segundo tempo, o rendimento alvinegro subiu, o time chegou a empatar o jogo com Valdívia e pressionou o tricolor carioca até o fim do jogo. Porém, Henrique Dourado marcou seu segundo gol no embate, garantindo a vitória para o Fluminense e a artilharia do Brasileirão – 12 tentos. Ao fim da partida, Micale analisou a partida alvinegra:

“Tivemos algumas dificuldades no primeiro tempo, principalmente no lado direito, com o Lucas chegando muito na linha de fundo. O Victor fez algumas boas defesas. Corrigimos isso no intervalo. A gente precisava de uma qualidade um pouco melhor no início da construção das jogadas, por isso coloquei o Valdívia, com o Elias ao lado do Yago. A gente dominou as ações. Fizemos um segundo tempo muito consistente e bom, tivemos chance de virar o jogo. Infelizmente tomamos um gol. A gente sabia que o Scarpa traz a bola por dentro para buscar um passe entre as linhas, no segundo pau buscando o Dourado. Eles conseguiram. São coisas do futebol”, disse.

Para Micale, a vitória do Fluminense não retrata o que aconteceu durante a partida. O comandante atleticano viu uma divisão no domínio da partida nos dois tempos e lamentou a derrota.

“A frustração é imensa. A gente poderia sair com o empate, seria justo, pelo que as equipes fizeram. Um primeiro tempo bom do Fluminense e o segundo muito bom nosso. Seria o mais adequado. Futebol não tem justiça. Existe quem aproveita melhor as oportunidades que aparecem”, lamentou.

O técnico alvinegro não estará no banco de reservas contra a Ponte Preta na próxima rodada, quando o Galo vai até Campinas, no próximo domingo (27). Micale foi expulso pelo árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo no intervalo da partida. Após o fim do jogo, o técnico falou sobre a decisão do juiz e a considerou injusta por ter apenas separado seus jogadores durante uma discussão e não ter se dirigido à arbitragem de forma desrespeitosa.

Fred e Robinho

Fora dos gramados, uma decisão do técnico atleticano que chamou a atenção do torcedor do Galo e da imprensa foi manter Fred e Robinho no banco de reservas. Questionado sobre sua opção, Rogério Micale naturalizou sua escolha.

O Fred e o Robinho são importantes desse processo, pela experiência, pela rodagem, pela qualidade. Eles fazem parte de um elenco de 30 jogadores e a gente vai optar, pela circunstância do jogo, aqueles que tiverem melhor momento. Ganhamos o jogo anterior em casa, dei uma sequência na equipe, que achei que se portou muito bem, apenas com duas ausências por cartão, então é isso. Não tem muito segredo, não. É o básico”, concluiu.

VAVEL Logo