CRB demonstra mais eficiência em campo e mantém Santa Cruz na zona de rebaixamento
Foto: Divulgação/CBF

Visando se reabilitar da derrota para o Guarani, o Santa Cruz duelou contra o CRB na tarde deste sábado (26) no Arruda, pela 22ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2017. Tentando a vencer após seis jogos - último foi diante do Vila Nova - no nacional, os tricolores não se reabilitaram e foram batidos pelos regatianos por 2 a 1. O gol coral foi de Grafite, enquanto Tony e Chico fizeram os da vitória.

Com o resultado negativo ante a torcida, os corais agravam a má fase e continuam com 23 pontos, ocupando a 17ª posição e continuando na zona de rebaixamento. Os alvirrubros, por sua vez, disparam para a 7ª colocação na classificação e tentam aproximar do grupo de acesso ao somar agora 31 pontos ganhos.

Os times voltam a campo, pela 23ª rodada da Segundona, somente em duas semanas devido a data Fifa. Os pernambucanos vão a Natal para enfrentar o lanterna ABC no Frasqueirão no dia 9 de setembro, às 19h, enquanto que os alagoanos medirão forças com o Oeste nos mesmos dia e horário.

Santa é mais efetivo e sai em vantagem

Ocupando a parte inferior da tabela, Santa Cruz e CRB não mostraram criatividade e qualidade para sair da defesa ao ataque, deixando o jogo sem empolgar o público presente ao Arruda. Indo para cima buscando valorizar o fator casa, o Mais Querido deu o primeiro chute a gol com o volante Derley, que bateu de longe e Edson Kölln defendeu seguro.

Ainda que não tivessem sendo criativos do meio para frente, os corais tentaram dar um novo ânimo a seus torcedores. Após troca de passes envolvente, a bola sobrou no pé de Bruno Paulo na intermediária dos alagoanos. O meia-atacante encheu o pé e obrigou Edson Kölln a tirar com a ponta dos dedos para escanteio, impedindo que o placar saísse do zero.

Foto: Divulgação/Santa Cruz
Foto: Divulgação/Santa Cruz

No lance em seguida, entretanto, o marcador foi inaugurado para festa da torcida mandante. Depois de cruzamento no meio da pequena área regatiana, a marcação descuidou e Grafite apareceu com perfeição. O camisa 23 não titubeou e cabeceou forte tirando do alcance do goleiro, estufando o barbante na sua reestreia em casa.

Os minutos finais, por outro lado, prosseguiram da mesma maneira do começo da partida. Os pernambucanos optaram por se segurar no seu campo defensivo, usando o contra-ataque como arma, enquanto que os visitantes buscaram alternativas para deixar tudo igual, todavia não foram efetivos na conclusão, principalmente após Edson Ratinho dar um cabeceio sobre a meta em cobrança de falta.

Galo mostra valentia e alcança virada no fim

Para a etapa final, Dado Cavalcanti realizou duas modificações em seu time, sacando os pendurados Jorginho e Eduardo, com as entradas dos meias Tony Marion, visando dar novo gás ao setor ofensivo e buscar o empate. Quem iniciou motivado, contudo, foi o Santa Cruz, que criou a primeira boa chance. Bruno Paulo invadiu a área depois de descuido defensivo e tentou cruzar para Grafite, mas o goleiro tirou e o zagueiro Adalberto interveio.

Depois do susto sofrido, o CRB não se entregou na partida e foi para o ataque, tentando demonstrar que iria conquistar o empate. Focado no confronto, o Galo da Pajuçara apresentou boa eficiência na finalização e deixou tudo igual no placar. Tony surgiu em liberdade na entrada da área e mandou uma bomba, aproveitando que Júlio César estava mais à frente, balançando a rede.

Com o intuito de corrigir os erros de sua equipe, Givanildo Oliveira fez duas alterações no ataque. André Luís e Bruno Paulo, cansados, foram sacados para entrarem Ricardo Bueno Léo Lima, respectivamente. As mexidas surtiram efeito imediato, já que Grafite recebeu um passe - em posição irregular - e acertou a rede, com o árbitro paralisando. Na jogada em sequência, Bueno arriscou forte e próximo à trave esquerda dando um susto.

Do meio para o final do segundo tempo, os regatianos estiveram mais criativos e também assustaram. Neto Baiano soltou o pé em cobrança de falta da intermediária e acertou o travessão, com o camisa 1 tricolor apenas observando. Nos minutos finais, no entanto, o mesmo Neto fez um bom cruzamento e Marion encostou no meio da área. Chico, livre, só teve o trabalho de completar e virar o marcador.

VAVEL Logo