Arrancada Heroica: Não nos querem Palestra, pois seremos  Palmeiras
Na foto, o primeiro time campeão já com o novo nome (Foto: Divulgação)

Em 1942, o Palmeiras era perseguido e vivia um momento difícil, mas que mudaria completamente sua história no cenário esportivo. Era ano da Segunda Guerra Mundial e o governo de Getúlio Vargas proibiu que qualquer entidade brasileira usasse nomes dos países do Eixo, ou seja, Alemanha, Itália e Japão.

Diante da perseguição que sofria, Palestra Itália não poderia ter o Itália e precisaria obrigatoriamente mudar seu nome. O Palestra Itália virou então Palestra de São Paulo, mas a mudança não diminuiu a pressão política e esportivas e ameaçados de perder seu patrimônio para outro clube e ser retirado do campeonato que liderava, o time foi obrigado a mudar de nome outra vez.

O nome Sociedade Esportiva Palmeiras nasceu após uma reunião entre os diretores do clube, em meio as discussões, Dr. Mario Minervino, pediu para que o secretário Dr. Pascoal W. Bryon Giuliano, anotasse na ata a frase: “Não nos querem Palestra, pois seremos Palmeiras e nascemos para ser campeões”. Em meio a mudança de nome, o clube estava as vésperas da final do Campeonato Paulista, diante do São Paulo. A decisão aconteceu no dia 20 de setembro de 1942.

A final do campeonato aconteceu e na súmula da arbitragem, o novo nome do clube já era anotado: Sociedade Esportiva Palmeiras. O time com novo nome saiu de campo campeão, em uma vitória de 3 a 1 contra o tricolor paulista. Confirmando assim a frase “Seremos Palmeiras e nascemos para ser campeões”.  O documento escrito pelo juiz da partida está guardado até hoje nos acervos da equipe alviverde.

Durante o jogo, o Palmeiras ainda teve um pênalti marcado aos 19 minutos do segundo tempo, mas não chegou a cobra-lo, já que os adversários abandonaram o campo, dando o título ao verdão.

O primeiro time campeão, já com o nome Palmeiras, teve a participação dos seguintes jogadores: Oberdan, Junqueira, Bengliomini, Zezé Procópio, Og Moreira, Del Nero, Cláudio, Waldemar Fiúme, Villadoniga, Lima e Echevarrieta. Os autores dos gols na partida foram Cláudio, Del Nero e Echevarrieta.

Durante sua vida, o goleiro e ídolo  Oberdan Cattani sempre disse a seguinte frase: “O Corinthians é adversário, o São Paulo é inimigo”, o motivo da frase sempre citada pelo goleiro lendário, é porque com a determinação de Getúlio Vargas, toda instituição teria seus bens confiscados e o clube poderia perder o Parque Antártica, que passou a ser vislumbrado pelos são-paulinos.

O goleiro dizia também que os torcedores faziam barricadas em frente ao estádio para protege-los e que a vitória diante do São Paulo, já com o novo nome, foi como uma vingança por tudo o que havia acontecido.

Homenagem na cidade

A Arrancada Heroica foi marcante na história do clube, tanto que na cidade de São Paulo, na Avenida Antártica, há uma passarela que leva o nome “ Passarela Palmeiras Arrancada Heroica - 1942”.

Data a ser comemorada

Recentemente, o Palmeiras lançou uma nova camisa de jogo para relembrar a Arrancada Heroica. A terceira camisa do time, verde escuro com dourado, faz referência a data marcante para o clube.

Outra homenagem recente do clube a data e ao aniversário de 103 anos do Palmeiras, é a exposição Nascemos Campeões, Arrancada Heroica. O evento é aberto ao público e traz as taças conquistadas pelo time: Copa Rio e 1951, Libertadores de 1999 e Copa Mercosul de 1998, além das conquistas recentes.

A exposição pode ser visitada na Rua Augusta, 1508, das 9h ás 20h, até o sábado, dia 26 de agosto.

 

VAVEL Logo