No retorno ao Santa Cruz, Marcelo Martelotte acredita em reviravolta mesmo em momento complicado
Foto: Rodrigo Baltar/Santa Cruz

O momento do Santa Cruz é difícil. Seis derrotas consecutivas que colocaram o time pernambucano na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro da Série B 2017. Mais uma vez, o fantasma de despencar consecutivamente de divisões assusta o torcedor. Para evitar que o panorama de uma década atrás se repita, a diretoria coral demitiu Givanildo Oliveira e anunciou Marcelo Martelotte. A tática dos gestores foi a mesma. Trazer um treinador que conheça o ambiente e tenha bom histórico de arrancada, de tirar o clube da situação ruim mesmo com inúmeros problemas que vão além das quatro linhas.

Martelotte foi apresentado na tarde desta terça-feira (29). Pela quinta vez na equipe da Beberibe – duas como treinador e duas como jogador, o velho/novo comandante tricolor destacou que enxerga potencial para a equipe sair da degola e vai motivar os atletas a tirar o Santa deste panorama.

“É a quinta vez que estou passando pelo Santa Cruz. Se fosse comparar esse desafio de agora, compararia com a primeira vez que estive aqui, em 1993, onde também vim com o contrato de três meses. Também em uma situação difícil naquele momento, mas, no fim, conquistamos nossos objetivos, com aquele título estadual. O desafio é o mesmo. O tempo é curto, mas estamos embasado e acreditando, principalmente, na qualidade do grupo. Acreditando que o Santa Cruz tem em seu elenco jogadores de nível para estar numa colocação bem melhor. É um desafio que é para ontem. Precisamos começar uma recuperação imediata. Mas vejo como bem possível chegarmos aos nossos objetivos”, disse.

Marcelo Martelotte comentou também sobre as passagens vitoriosas obtidas anteriormente. Apesar de acreditar em situações diferentes, o técnico enxerga desenvolvimento de um trabalho para que o potencial seja evidenciado e os resultados satisfatórios comecem a aparecer.

“Não se dá para trazer coisas de uma outra passagem para agora. Foram situações diferentes. Algumas em início de temporada. Agora, como falei, é o momento mais difícil. Esse é um período de temporada mais difícil de contratar, a recuperação de pontos precisa ser imediata e o campeonato já está na segunda metade. Precisamos elevar o nosso nível de atuação, é fundamental para os resultados. E isso só vai vir quando o trabalho for sendo desenvolvido. Sempre tive muita motivação para trabalhar no Santa Cruz, independente de situação ou de posição na tabela. Não levo em consideração o lugar na classificação. Se fosse assim, não teria vindo em 2015. Acredito muito na qualidade desse grupo. A qualidade deles é diferente da posição na classificação. Isso já conversei com eles e vamos buscar uma posição mais aceitável na tabela, tendo em vista a qualidade dos jogadores”, explicou.

Foto: Rodrigo Baltar|Santa Cruz

Perguntado sobre o momento extracampo que vive o time, o treinador afirmou que os jogadores devem manter todas as suas atenções nas quatro linhas, enquanto a diretoria deve desempenhar seu papel em solucionar os problemas existentes. Quanto aos reforços, destacou que pretende trazer novos jogadores e reforçar o elenco, apesar das dificuldades financeiras e burocráticas existentes.

“Nunca vi ao Santa Cruz com a questão financeira favorável. Os resultados e as conquistas foram sempre passando por essa situação. Lógico que existe um esforço do presidente e da diretoria para resolver essa questão, mas são situações paralelas. Meu trabalho é aqui, dentro do vestiário, é no campo, no treinamento, parte técnica, tática. Pelo fato de já conhecer muito o clube, vou procurar ajudar no que for possível. Lógico que incomoda, mas são situações diferentes. Precisamos de atenção aqui dentro. Lógico que os trabalhos, os treinamentos também vão nos dar uma condição de avaliar os jogadores que conhecemos menos. E a tendência é que possamos utilizar essa nossa possibilidade de contratação, para que possamos reforçar nosso elenco. É o momento mais difícil de contratar, existem algumas limitações de regulamento. Mas, dentro dessas dificuldades, vamos buscar reforçar ainda mais o nosso elenco”, continuou.

Ao finalizar a entrevista coletiva e comandar o primeiro treinamento com o elenco em sua primeira atividade na terceira passagem no Arruda, Martelotte destaca que a confiança é fundamental para sair da situação turbulenta que o time se encontra na competição nacional. “Entendo que uma sequência negativa ou positiva é decidida por confiança. Dentro de um nível médio, que é o que vemos nessa Série B – com exceção do Internacional. Então, dentro dessa qualidade média, quando se vê um time perdendo seis jogos seguidos, é porque está faltando confiança. A conversa com os atletas passou muito por isso, para que seja retomada essa confiança. Para nossa sorte, temos um tempo bom para trabalhar a próxima partida. Acredito que a partir do próximo resultado positivo, que espero que seja no próximo jogo, vamos entrar em uma evolução dessa confiança e vamos entrar mais forte nas partidas”, concluiu.

O Santa Cruz ocupa a 18ª colocação na tabela de classificação da Série B, com 23 pontos somados em 22 partidas. O time volta a entrar em campo apenas no sábado (9), quando encara o último colocado ABC, na Arena das Dunas, em Natal/RN.

VAVEL Logo