Flamengo desperdiça pênaltis, não passa do Paraná e é eliminado da Primeira Liga
Após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar, Flamengo foi derrotado pelo Paraná nos pênaltis por 5 a 4 (Foto: Bruno Lopes/Staff Images/Flamengo)

Na noite desta quarta-feira (30), no Estádio Kleber Andrade (Cariacica), Flamengo e Paraná se reencontraram após longos dez anos – o último confronto entre as equipes foi em outubro de 2007, pelo Campeonato Brasileiro. Em partida válida pelas quartas de final da Primeira Liga, o Gralha confirmou seu retrospecto positivo sobre o Rubro-Negro e avançou no torneio ao vencer nos pênaltis por 5 a 4; tempo regulamentar terminou empatado em 1 a 1.

Flamengo e Paraná já se enfrentaram em 22 ocasiões na história, com 11 vitórias do Gralha, sete vitórias do Rubro-Negro e quatro empates. Em sua primeira participação na Primeira Liga, o Paraná agora enfrenta o Atlético-MG nas semifinais da competição.

Flamengo domina posse de bola, mas peca nas finalizações

Comandando por Reinaldo Rueda, o Flamengo veio a campo na Primeira Liga com uma formação majoritariamente reserva; Gabriel atuava improvisado na lateral direita e Márcio Araújo usava a braçadeira de capitão. 

O Flamengo era superior e mandava no jogo, administrando bem a posse de bola – a primeira chance do Rubro-Negro aconteceu logo aos três minutos de partida. Márcio Araújo se livrou da marcação dupla e arriscou de longe; na sequência, a bola saiu à direita da meta do goleiro Richard.

Vizeu desperdiçou chance para o Flamengo na primeira etapa (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)
Vizeu desperdiçou chance para o Flamengo na primeira etapa (Foto: Bruno Lopes/Staff Images/Flamengo)

Melhor na partida, o Rubro-Negro teve outro lance de perigo, desta vez com Felipe Vizeu. O atacante do Flamengo foi lançado por Vinicius Jr e chegou a driblar o goleiro Richard, mas se atrapalhou na sequência e permitiu a recuperação adversária. No segundo tempo, Vizeu ainda deixou o gramado sentindo dores - o jogador passará por bateria de exames no CT Ninho do Urubu ainda nesta semana.

Fechado na marcação, o Paraná tinha muita dificuldade na saída de bola. Apesar das diversas tentativas, o Gralha não conseguia trocar passes e investir ofensivamente; por isso, a equipe paranaense abraçou a postura defensiva e se preocupou em neutralizar os ataques rubro-negros. Após um primeiro tempo morno, as equipes deixaram o gramado com o placar zerado.

Paraná volta melhor do intervalo e partida é equilibrada

De volta para o tempo complementar, o Flamengo manteve a mesma postura ofensiva da primeira etapa. Logo aos dois minutos, Vinicius Jr tocou para Éverton Ribeiro, mas Richard se adiantou e garantiu a defesa.

O Paraná, por sua vez, retornou mais eficiente no ataque, equilibrando a partida. Aos 14 minutos da segunda etapa, Gabriel Dias passou pelos marcadores e tentou o cruzamento, mas Rômulo interceptou a jogada na sequência.

O gol do Flamengo só aconteceria aos 18 minutos: após cruzamento na área, Geuvânio cabeceou; na sequência, a arbitragem assinalou pênalti para a equipe carioca após Igor tocar na bola com o braço. Éverton Ribeiro foi o responsável por converter a cobrança e abrir o placar diante dos quase 10 mil presentes em Cariacica.

Éverton Ribeiro abriu o placar para o Flamengo de pênalti (Foto: Gilvan de Souza/Fla Imagem)
Éverton Ribeiro abriu o placar para o Flamengo de pênalti (Foto: Bruno Lopes/Staff Images/Flamengo)

O empate do Gralha não demorou a vir - apenas dois minutos depois, Renatinho cobrou falta para o Paraná próximo ao meio de campo. Mal posicionado, o goleiro Alex Muralha não conseguiu defender a cobrança do camisa 10 do Gralha; o gol de empate do clube tricolor ainda foi o primeiro gol sofrido pelo Rubro-Negro desde que Reinaldo Rueda assumiu o comando. Tudo igual em Cariacica e a decisão estava encaminhada para os pênaltis.

Sem maiores emoções, a segunda etapa teve apenas um último grande lance. Aos 46 minutos, Lucas Paquetá tocou de primeira para Vinicius Jr, que arrancou pela esquerda; o atacante arriscou o chute, mas o goleiro Richard estava a postos para fazer grande defesa para o Paraná.

Atletas da base rubro-negra, Vincius Jr e Paquetá desperdiçam cobranças de pênalti

Com o empate por 1 a 1 nos 90 minutos, o regulamento levava a decisão da vaga aos pênaltis. O Flamengo definiu Rafael Vaz, Gabriel, Vinícius Jr, Conca e Éverton Ribeiro como seus batedores. Da lista inicial, todos converteram a penalidade máxima - menos Vinícius Jr, a joia rubro-negra.

Do lado do Paraná, Murilo Rangel cobrou no travessão; Renatinho, Leandro Vilela, Eduardo Brock e Alemão estufaram as redes. Ao final das cinco cobranças iniciais, o placar era 4 a 4. A partida seria, então, decidida nas cobranças alternadas. 

Em noite de gala, goleiro Richard defendeu a cobrança de Lucas Paquetá (Foto: Divulgação/Paraná Clube)
Em noite de gala, goleiro Richard defendeu a cobrança de Lucas Paquetá (Foto: Divulgação/Paraná Clube)

Lucas Paquetá foi o primeiro - e último - atleta do Rubro-Negro nos pênaltis alternados. O atacante de apenas 20 anos desperdiçou sua cobrança; na sequência, Vitor Feijão marcou e garantiu a classificação do Gralha às semifinais.

Paraná agora encara o Atlético-MG na semifinal da Primeira Liga no sábado (2). O Flamengo, por sua vez, volta a campo no domingo (10) para clássico contra o Botafogo, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo