Tite elogia atuação mesmo com empate contra Colômbia: "Mantivemos o padrão"
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Após o empate em 1 a 1 da Seleção Brasileira com a Colômbia, em Barranquilla, em partida válida pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, o técnico Tite avaliou a atuação das duas equipes e disse que o placar igual foi justo, visto o apresentado pelos times na partida: 

"Fiquei mais contente pela consistência desse jogo do que no último contra o Equador. Hoje mantivemos o padrão de atuação que dá consistência a equipe. O resultado de empate foi justo. Mas se tivesse um vencedor, seria o Brasil pelas chances que criou. Volto a ressaltar o grande jogo técnico. Tem que parar com essa história de porrada, de provocação. É jogo de futebol, um grande espetáculo que vimos hoje."

A próxima partida do Brasil será contra a Bolívia, no mês que vem, e algo que vinha sendo pertinente nos últimos dias era sobre jogadores pendurados e a questão de uma possível suspensão em uma eventual estreia de Copa do Mundo. "É importante ressaltar: nenhum atleta forçou cartão para não jogar na Bolívia. Eles competiram de forma leal em um jogo decisivo para a Colômbia, que está em segundo por seus méritos. Firmino tem características diferentes do Jesus. Vem compor no meio como faz no Liverpool para ter dois agressivos nas pontas como Mané e Salah. Para que eles infiltrem e gerem superioridade numérica Renato também foi bem no jogo, mas eu queria ter um jogador como o Coutinho para ter mais agressividade. O importante foi o time produzir bem. É o aspecto fundamental diante dessas modificações e que vai se buscar contra a Bolívia.", disse o treinador.

Duas mudanças para a partida dessa terça-feira (5) foram as entradas de Roberto Firmino e Fernandinho. Sobre a atuação dos dois e suas respectivas sequências na Seleção Brasileira, o comandante disse: "Quando é um processo criativo, como o do Firmino, há uma dificuldade maior de entrosamento. Quando é posicional, como do Fernandinho, fica mais fácil. Sei que o Firmino tem mais para dar, a atuação dele foi normal, ele tem mais para mostrar. Depende do entrosamento. Fernandinho e Casemiro podem jogar juntos, por exemplo. Entre os dois, escolho de olhos vendados. Os dois jogam muito."

Pela segunda vez consecutiva, Tite sacou Renato Augusto da equipe durante a partida e colocou Philippe Coutinho. O atleta do Liverpool, obviamente, não aprensetava a mesma importância tática do que o volante, mas conseguia produzir mais ofensivamente. "Uma coisa é entrar contra o Equador, numa pressão média baixa. A outra serve para avaliar contra uma equipe que agride, que tem consistência forte e joga em casa. O gramado poderia ser melhor para ajudar o espetáculo. Mas a minha equipe mostrou que pode manter a consistência. Podia manter o Renato e tirar o Paulinho, mas queria manter a sustentação pela direita por causa do cartão do Daniel Alves. Tenho essas opções, essas armas, esse canhão, e não posso deixar de usá-las.", ressaltou o treinador, ao ser perguntado de usaria Coutinho pelo meio.

Respondendo sobre o que lhe agradou na atuação, Tite respondeu: "A maturidade da equipe, jogar com essa atmosfera. Uma equipe já classificada, que vem de vitória, que vai jogar contra a segunda melhor. Se viesse desmobilizada, desconcentrada, teria um nível de atuação abaixo. Precisamos de mais precisão na finalização, tínhamos que fazer o Ospina trabalhar mais. O que entendo: posse de bola tem que estar associada a finalizações certas, a chances criadas. Isso é consistência, isso é jogar bem."

"Em jogos desse nível, você não vai ter um grande número de finalizações. Transformar as oportunidades em gol é fundamental. A primeira chance da Colômbia no segundo tempo terminou em gol. A efetividade conta. Transformar oportunidades, assim é o futebol.Não se mede pontos, posse de bola. Em um lance, uma bola isolada, a efetividade te pune. Não foi assim especificamente no jogo de hoje, mas faltou efetividade para nós.", completou o treinador.

Grande estrela da Seleção Brasileira, Neymar deu a assistência para o gol de Willian mas não apresentou as mesmas atuações de outras ocasiões nessas Eliminatórias. "Lembro de três lances vivos para decidir o jogo. Ele é o jogador para ser acionado de forma terminal. Vi ele com um nível de concentração alto, dentro do parâmetro da equipe. O que serve para o Neymar serve para a equipe. Tanto nesse jogo como contra o Equador. O resultado não, mas o desempenho sim.", disse Tite, respondendo sobre o atleta do PSG.

Último adversário do Brasil nessas Eliminatórias, o Chile passa por um período ruim e, mesmo sendo uma das favoritas, tem chances de não conseguir se classificar para a Copa do Mundo. "Falei antes e falo agora: o Brasil é o fiel da balança do Brasil, do desempenho de seus atletas, de todo um trabalho realizado. Ele respeita os outros. Jogamos para melhorar e para que esse desempenho seja suficiente para vencer. O sentimento que eu conversava hoje com a comissão no hotel era sobre a dificuldade de se classificar de forma antecipada. Como é difícil. Tem sete ou oito seleções coladas e separadas por poucos pontos. Não vamos ser o fiel da balança. Vamos fazer a nossa parte procurando melhorar sempre.", finalizou o treinador.

 

VAVEL Logo