Pivô do pênalti anulado, Anderson Martins se defende: "Bola bateu no peito"
Fotos: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Jogando fora de casa e com um homem a mais durante mais da metade da partida, O Vasco fez 1 a 0 mas viram André igualar o placar quase no final do duelo. Porém, se fosse apenas isso, tudo bem. O problema é que o empate quase aconteceu bem antes.

Aos 24 minutos do segundo tempo, enquanto o Vasco ainda vencia por 1 a 0, Mena tocou para Rogério, que chutou cruzado e viu a bola explodir em Anderson Martins. Seria um lance normal se o árbitro não tivesse indicado a penalidade. Os vascaínos reclamaram, com razão, e com a ajuda dos auxiliares, Sandro Meira Ricci voltou em sua decisão e marcou apenas escanteio para o Sport, após alguns minutos de confusão, jogo parado e revolta dos recifenses.

O zagueiro vascaíno, protagonista do lance, falou sobre o ocorrido: "Foi um lance muito rápido. Foi um lance polêmico, mas ele tinha marcado. A bola bateu no peito. Felizmente o quarto árbitro deu um apoio. O outro assistente conseguiu dar uma informação correta".

Na rodada anterior, o Vasco foi prejudicado pela arbitragem em um gol marcado por Jô, atacante do Corinthians, com o braço, que foi validado pelo juiz, mas nesta segunda-feira (25), foi beneficiado pela confusão do árbitro.

"É complicado. A pressão é muito grande em cima deles. A gente tinha sido prejudicado contra o Corinthians. O Sandro Meira Ricci é um árbitro experiente e temos que dar os parabéns por ele ter voltado atrás. Tudo que é para evitar os erros é eu acho que é bem vindo. Esperamos que a arbitragem consiga marcar as coisas que acontecem no jogo".

VAVEL Logo