Grêmio tem atuação abaixo em Curitiba e preocupa para próximas decisões
Volante Michel e atacante Luan são principais ausências na decaída do time (Foto: Lucas Uebel / Grêmio)

Grêmio tem atuação abaixo em Curitiba e preocupa para próximas decisões

Ainda com importantes desfalques, Tricolor foi mal na criação ofensiva e na parte defensiva, escapou da derrota e conseguiu vitória nos acréscimos

HenriqueKonig
Henrique König

O Tricolor gaúcho entrou em campo neste último domingo (15) e novamente não convenceu. Em mais um jogo muito abaixo, como tem sido a tônica no returno do Campeonato Brasileiro, o gol da vitória sobre o lanterna do segundo turno, Coritiba, veio somente nos acréscimos. Em uma jogada inusitada, Jael conduzia por dentro, caiu, levantou após escorregão do adversário e serviu passe para o bem colocado Ramiro, que definiu em chute preciso. 1 a 0. Porém, apenas o gol no final não maquia e não mascara a atuação ruim.

Ofensivamente, o Grêmio não havia acertado finalizações à meta adversária no estádio Couto Pereira. O gol de Ramiro, a 45 minutos do segundo tempo, foi a exceção. Antes disso, o que se viu foi um excesso de cruzamentos para área. Apenas no primeiro tempo, o Grêmio cruzou 14 bolas na área e o único lance de exímio perigo foi uma cabeçada de Geromel pela linha de fundo, jogando ao lado da trave. Fora isso, um outro cruzamento de Arroyo encontraria Jailson, mas o zagueiro Cleber cortou.

Se o Grêmio, pobre em criação, abusou de bolas aéreas, e sem acionar o atacante Lucas Barrios, a defesa encontrava buracos. Foi num escanteio que Werley quase abriu o placar. Foi em passe enfiado no meio da defesa, ao final do primeiro tempo, que Tiago Real chutou por cima. No segundo tempo, a bola parada que partia nas cobranças do caprichoso Carleto incomodava o Grêmio. O zagueiro Werley perdeu grande chance ao acertar a trave. O Grêmio se segurou com algumas boas defesas de Marcelo Grohe. As derrotas por 1 a 0 aconteciam, dessa vez não. Mas por detalhes.

O Grêmio foi a campo com: Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson, Arthur, Ramiro, Fernandinho, Arroyo e Lucas Barrios. Entre os principais desfalques, o volante Michel, em grande temporada, além do atacante Luan são as ausências mais sentidas. Entende-se também que, voltando de lesão, Pedro Geromel e Lucas Barrios não estejam em seus melhores momentos técnicos.

Caso Luan volte contra o Corinthians, é Michael Arroyo quem deve perder espaço no time. O equatoriano ainda não se sente à vontade em participação e movimentação com a equipe. A dupla entre Fernandinho e Lucas Barrios também não demonstra tanto entrosamento quanto Pedro Rocha demonstrava na melhor fase do Tricolor no ano. Pedem passagem na equipe os jovens meia Patrick e o atacante Beto da Silva, que podem ser testados mais vezes nas últimas partidas do ano.

O Tricolor enfrenta o Corinthians em Itaquera no meio de semana, às 21h45 da quarta-feira (18). Após isso, encara o Palmeiras em casa no domingo. O time deve ser praticamente reserva, pensando no primeiro jogo da semifinal da Libertadores da América. Com a chance de reduzir a liderança do Corinthians, o duelo em São Paulo é importante para definir as últimas cartadas no Brasileirão, além de poder aproximar a confirmação na vaga na próxima Copa Libertadores.

VAVEL Logo
CHAT