Rivalidade apenas nas quatro linhas: ação no Fla-Flu encontra criança desaparecida
Flamengo e Fluminense se uniram em prol de crianças desaparecidas | Foto: Reprodução

Apesar do empate em 1 a 1 no Maracanã na quinta-feira (12) entre Flamengo e Fluminense, o resultado fora das quatro linhas foi de goleada, tanto para os times, quanto para a sociedade. Após ação inédita de solidariedade entre os rivais cariocas, a jovem Luany Cristina dos Santos de Souza, de 13 anos, foi localizada pela avó no domingo (15).

Desaparecida desde o início de outubro, Luany foi encontrada no Morro da Mangueira, fruto de uma informação passada para a avó dela por um torcedor ainda dentro do Maracanã.

A jovem teve o rosto exibido no telão do estádio durante a Escalação Solidária. “Assim que minha neta desapareceu eu fui à FIA (Fundação para Infância e Adolescência) para registrar o sumiço dela e para pedir ajuda. Eles me orientaram e me deram um ingresso para ir ao Maracanã, juntamente com outras mães que também estão procurando seus filhos e netos. Durante o jogo, quando foi exibida a foto da minha neta no telão, um torcedor contou para um dos assistentes sociais, que estavam nos acompanhando, que tinha visto a minha neta andando pela comunidade da Mangueira”, contou Mônica de Souza, de 53 anos, avó de Luany.

No dia seguinte ao jogo, seguindo uma orientação da FIA, Mônica foi para a comunidade com cartazes onde tinham uma foto e informações sobre a menina. Ela só deixou a Mangueira três dias depois, segurando a neta pela mão. “Ela estava na casa de uma amiga, a mesma que estava conversando com ela no meu portão no dia que desapareceu”, completou a senhora, moradora do Lins, agora aliviada.

Luany estava desaparecida desde o início do mês | Foto: Divulgação/Flamengo
Luany estava desaparecida desde o início do mês | Foto: Divulgação/Flamengo

O projeto Escalação Solidária foi uma parceria de Flamengo e Fluminense com a agência de publicidade NBS, o Disque-Denúncia, e o programa SOS Crianças Desaparecidas, da FIA. “Essa ação mostra como é possível associar o esporte com as questões sociais do país, podendo trazer resultados significantes. Fizemos um plantão para recebimento de denúncias durante da exibição do jogo e tivemos muitas ligações, ressaltando a importância desse tipo de iniciativa”, comentou Luiz Henrique Oliveira, coordenador do Programa SOS Criança Desaparecida, que fez questão de agradecer aos clubes e jogadores.

Encontrar a neta sensibilizou Monica, que tem a guarda de três netos, dois abandonados pelos pais e uma órfã. Simples e batalhadora, ela agora está abrigando a adolescente, amiga de Luany, que foi morar com ela, sob o consentimento da mãe. “Não me custa nada dar abrigo e um prato de comida para a menina. Ela não quer ficar na casa dela. Eu não sei o que acontece por lá e a mãe não me ligou nenhuma vez até hoje para saber como está a filha. Vou ficar com ela aqui, sim”, finalizou a senhora, que está desempregada.

VAVEL Logo