Há 90 anos, Atlético-MG goleava Palestra Itália, atual Cruzeiro, por 9 a 2
Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (27) completa-se 90 anos de uma das partidas mais importantes do futebol mineiro, mas cheia de polêmicas. No dia 27 de novembro de 1927, o Palestra Itália recebeu o Atlético-MG, no campo do Prado Mineiro, valendo pelo Campeonato da Cidade daquele ano. O time alvinegro venceu por impiedosos 9 a 2, credenciando a equipe do bairro de Lourdes ao título daquele torneio.

A goleada atleticana é um dos primeiros registros oficiais de um placar tão dilatado em uma rivalidade que, com o passar dos anos, só cresceu e ganhou outras histórias. De lá para cá, o Palestra Itália mudou o nome e passou a ser Cruzeiro; o Atlético inverteu as cores do preto e branco de seu escudo; ambos ganharam mascotes criadas por Fernando Pieruccetti, o Mangabeira, enfim, muita coisa aconteceu em 90 anos.

Com objetivo de contar um fato histórico, e não apimentar uma rivalidade – que por si já faz isso –, vamos trazer aqui, na VAVEL Brasil, um pouco deste jogo.

Campeonato da Cidade de 1927 e a histórica goleada

Foto: Divulgação

Naquela época, o Campeonato da Cidade era o principal torneio para os clubes. O futebol ainda era amador, tanto que muitos jogadores tinham outras profissões, além de jogar futebol. A profissionalização viria anos depois. Um campeonato nacional só chegaria no meio da década seguinte. E os times completavam sua agenda realizando amistosos.

Em 1927, o Palestra Itália foi recolocado na Liga Mineira de Desportos Terrestres – LMDT, atual Federação Mineira de Futebol – FMF, após ser suspenso em 1926, e ter criado uma liga composta por outros times suspensos pela entidade. Segundo o blog Almanaque do Cruzeiro, a LMDT tentou encurtar o Campeonato da Cidade devido à preparação para o Campeonato Brasileiro de Seleções.

Várias equipes votaram contra a paralisação e se retiraram da competição, são elas: Alves Nogueira, Guarany, Syrio, Sport Calafate, Palmeiras, Sete e Retiro. Mais a frente, o Villa Nova também deixou a competição ficando apenas Atlético, Palestra Itália e América na disputa.

Antes da partida entre Palestra Itália e Atlético, o time alvinegro liderava a competição com 19 pontos, enquanto o América tinha 17. O Palestra Itália, sem chances de título, estava com 15 pontos.

Foto: Reprodução

Segundo informações do site Galo Digital, a partida aconteceu às 15h30, do dia 27 de novembro de 1927. O jogo ocorreu no Estádio Prado Mineiro, que pertencia ao América. O Atlético goleou o Palestra Itália por 9 a 2. Os gols alvinegros foram de Said e Jairo, três gols cada um. Mário de Castro, dois, e Getulinho. A equipe da colônia italiana descontou com Ninão, duas vezes.

O resultado deu o título do Campeonato da Cidade ao Atlético. Apesar do nome e da época pré-profissional, além do nome Campeonato Mineiro passar a vigorar a partir de 1958, a conquista atleticana configura, oficialmente, como título mineiro.

Fatos e histórias

Os cruzeirenses contestam a veracidade desta partida por falta de provas, além da extrema rivalidade entre as duas equipes. Já os atleticanos impõem a existência deste jogo, fazendo parte das brincadeiras com o rival, mas também como registro da história centenária do Atlético-MG.

- Consta na história que o jogo foi no campo do América

Muitos torcedores apenas se recordam do Estádio da Alameda, no bairro Santa Efigênia. Outras postagens relativas a partida mostram que o jogo aconteceu no local onde hoje fica um supermercado. Na verdade, a Alameda foi inaugurada em 1929, e foi casa do América-MG até 1972.

Antes, o time americano jogava no Estádio do Prado Mineiro, entre 1915 e 1929. Hoje, no antigo campo do América, que também era o estádio oficial da Liga Mineira, funciona o Mercado Central de Belo Horizonte.

- Os rivais negam a existência deste jogo

O próprio Almanaque do Cruzeiro, lançado por Henrique Ribeiro consta o jogo Palestra Itália 2 x 9 Atlético-MG, com direito a ficha técnica.

- Existe a súmula do jogo?

Segundo o blog Almanaque do Cruzeiro, as súmulas da Liga Mineira de Desportos Terrestres - LMDT foram incineradas em 1984. Os únicos registros podem ser encontrados em jornais da época. Atualmente, o Centro Atleticano de Memória realiza este trabalho de pesquisa sobre a história do Atlético-MG.

- Existiram notícias sobre o jogo?

Alguns jornais cobriram a partida e registraram a goleada atleticana. O Correio Mineiro e o Diário de Minas foram alguns que não deixaram de exaltar o placar da partida. Veja a reprodução de um dos noticiários.

Foto: Reprodução/Correio Mineiro

- Depoimentos comprovam a existência do jogo e o porquê da goleada

Em 1978, o jornalista e ex-conselheiro do Cruzeiro, Plínio Barreto escreveu o livro “Futebol no Embalo da Nostalgia”. Nele, Barreto entrevistou Ninão, que jogou a partida. O ex-atacante justificou o resultado dizendo que os jogadores fizeram “corpo mole” para que o América não ganhasse o título daquele ano. Porém, quando os atletas do Palestra se deram conta da goleada, tentaram correr atrás, sem sucesso. 

Plínio Bossi Barreto escreveu, talvez, a maior publicação do clube. O livro "De Palestra a Cruzeiro" é uma das maiores referências da história do clube celeste. Barreto faleceu, em 2015, aos 93 anos.

Em 2015, no blog do jornalista Chico Maia, encontra-se um depoimento de Bengala, ex-atacante do Palestra Itália, a revista Grandes Clubes Brasileiros, de 1971. Quem mandou foi J.B.Cruz, seguidor do jornalista. Segundo o texto, Bengala explicou a derrota da seguinte forma:

A rivalidade com o Atlético vem desde que os dois clubes começaram a se enfrentar. Entretanto, lembro um jogo que acabou com a gente. Nós tínhamos um técnico inglês, se não me engano o nome dele era Arcelos. Ele nos preparou para enfrentar o Atlético com tal entusiasmo (muita física, treinamento, corridas em volta do campo, três dias seguidos antes do jogo). No dia da partida, não tínhamos ‘pernas’ em campo”, declarou.

Justificativas e brincadeiras por parte dos torcedores não vai mudar a rivalidade entre as duas equipes. Discussões e argumentos nunca faltarão, mas enquanto houver histórias para contar, o futebol sempre viverá.

VAVEL Logo