Claudinei comemora vitória do Avaí, mas evita empolgação: "Vantagem é mínima"
Time catarinense venceu o sexto jogo fora de casa no ano (Foto: Lucas Merçon/ Fluminense FC)

Avaí viajou ao Rio de Janeiro e saiu com uma vantagem importante para tentar avançar à quarta fase da Copa do Brasil. A vitória por 2 a 1 sobre o Fluminense, de virada, foi a sexta do Leão fora de casa no ano, e agora precisa de um empate para seguir na competição. Ibañez fez o gol do time carioca, mas André Moritz e Rômulo garantiram a vitória dos catarinenses no Nilton Santos.

+ Avaí vira sobre o Fluminense e consegue vantagem expressiva na Copa do Brasil

O técnico Claudinei Oliveira ressaltou a atuação do seu time na capital carioca, mas destacou que a vantagem, apesar de importante, ainda não é definitiva para o Avaí avançar na Copa do Brasil.

"Trabalhar com humildade. A vantagem e mínima. Temos pequena vantagem. Vocês viram a qualidade do Fluminense, individualmente, taticamente e tecnicamente é uma grande equipe. Temos que ter o máximo de humildade possível, falei para os atletas, pés no chão, temos que focar, temos jogo no Catarinense no fim de semana. Daqui a 15 dias, quando reencontrarmos o Fluminense, vamos buscar o sucesso, mas sempre respeitando. Fluminense é um dos grandes do futebol brasileiro, tem grande treinador", salientou.

Claudinei contou que o intervalo foi importante para o Avaí acertar a marcação e voltar melhor para a segunda etapa - quando o time criou mais oportunidades e marcou o segundo gol.

"A gente procura acertar, ter leitura do jogo. Difícil ter leitura e passar para todos durante o jogo. No primeiro tempo o Judson estava saindo para pressionar o zagueiro. Totalmente errado. Antes dele tem que ir o Romulo, Moritz, Getúlio, para não abrir o espaço central. Corrigimos, os jogadores entenderam. No intervalo, de 15 minutos, temos que deixar descansar e sobra apenas cinco para passar as ideias. Graças a Deus eles entenderam bem e cumpriram a risca o que a gente pediu", disse.

O treinador avaiano também destacou alguns fortes do Fluminense e aspectos que o time possa melhorar para confirmar a vaga para a quarta fase da Copa do Brasil - além de garantir mais R$ 1,8 mi da premiação.

"A gente sabia que a bola parada era forte. No lance que tomamos o gol, mostramos na preleção, tanto que o Getúlio estava lá pra fazer a marcação. Ele tentou cabecear, o Gum foi melhor no corpo a corpo. A gente tomou gol num lance que sabíamos que eram fortes. Tomar cuidado com esse lance - sem contar a qualidade dos atletas. Ficar atento, não dá espaço, sem desorganizar, sem quebrar linha e melhorar o lance aéreo. Nossos jogadores são mais baixos que no ano passado, no Brasileiro, onde sofremos poucos gols por cima. Vamos treinar, trabalhar, melhorar o bloqueio, são detalhes, mas temos duas semanas, vamos mapear para ver se o Abel vai mudar. Temos que ter muita atenção e achar que já conquistamos, porque estamos longe disso. Muita humildade e trabalho", analisou.

A partida de volta entre Avaí e Fluminense acontece no dia 15 de março, na Ressacada, às 21h30. O Leão volta a campo pelo Campeonato Catarinense contra o Joinville, fora de casa, no domingo (4), às 17h.

VAVEL Logo